4.2.20

Indignado, Adriano Argolo fala sobre o processo do STF contra ele


O advogado alagoano e militante em redes sociais, Adriano Argolo, está sendo processado pelo STF – Superior Tribunal Federal, por ter, supostamente, criado um perfil no Facebbok e atacado os juízes da casa. Ocorre que, ele em depoimento à polícia federal afirmou e comprovou que nunca teve uma conta em seu nome no aplicativo.

Ele está indignado com o processo nº 4781/19 que sofre e acusa estar sofrendo mais um caso de lawfare. Que é quando uma pessoa é perseguida através da justiça, que se utiliza das leis como forma de abater oponentes. É o uso de manobras jurídico-legais como substituto de força armada, visando alcançar determinados objetivos.
“Entraram na minha casa cinco homens. Três de balaclava, com armamento pesado, com pistola de última geração, chutando meus gatos, botando cara feia, acordando minha filha cinco e meia da manhã no quarto dela, revirando a minha casa toda. Quando descobriram que eu não tinha arma, um policial federal disse, é a primeira casa que eu entro e não tem arma”, disse Adriano.

Adriano acredita que tudo partiu “de setores do STF”. No áudio ele questiona como uma suprema corte do país recebe uma denúncia, de que um cidadão estaria ameaçando agredir, através de um perfil, o presidente da corte, que diz, na abertura do inquérito, “que chegou ao nosso conhecimento”, sem objetivamente dizer que recebeu uma acusação.

Objetivamente, o inquérito, segundo Adriano, parte do princípio de que o STF, ao não nominar a fonte da denúncia está achando que o povo brasileiro é idiota em acreditar nesta falácia.

Ele cobra o porquê do STF não ter, antes de o acusar e abrir processo contra, investigado se a conta era falsa ou não. E o maior absurdo nessa história é que Adriano continua mesmo negando ser o dono da tal canta, perseguido pelo STF que que não autorizou novas investigações que comprovariam a verdade dos fatos. 

Nenhum comentário: