20.2.20

Imagens mostram que tiro que atingiu Cid Gomes veio de fora do tumulto



Quem atirou ontem no Senador Cid Gomes, sabia o que estava fazendo e tinha intenção de o matar.

A cidade de Sobral no Ceará ontem, 19, viveu um clima de guerra miliciana. Policias que estão em greve se amotinaram após a justiça decretar que o movimento é ilegal. No dia anterior já haviam notícias de que vários deles tinham praticados atos criminosos para tocar o terror nas pessoas.

Carros da policia militar foram roubados de quarteis sem nenhuma resistência por parte de quem estava no local na hora do acontecido. Pneus de viaturas foram furadas nas ruas. E ontem, homens encapuzados em viaturas da Policia e em motos, estavam, mais uma vez, encapuzados e armados, circulando em bando e obrigando que comerciantes fechassem as portas do comércio local.

As cenas vistas nas redes sociais, mais pareciam sair de um filme mexicano que mostram os carteis do trafico naquele país. Chocaram o Brasil e revoltou populares da cidade de Sobral, que convocados por Cid, foram em comboio até o quartel onde estavam os amotinados.

De megafone nas mãos, o senador disse estar dando cinco minutos para que os milicianos amotinados, suspendessem a barreira e parassem de tocar o terror nas pessoas. Passado o tempo estipulado, Cid, pegou uma pá carregadeira e investiu contra o portão de ferro e o arrancou.

Com o tumulto gerado, gritos de provocações de lado a lado são proferidos e ao menos, três tiros, também, são ouvidos durante o tumulto. Um deles atinge o peito esquerdo do senador Cid. E no meio da multidão é escutado gritos de alerta de quem percebeu o momento grave: “mataram Cid”.

Neste mesmo momento, na sequência das imagens, um senhor coloca as mãos na cabeça e fica olhando o interior da pá carregadeira. Foi o exato instante em que o senador abaixa o corpo, atingido pela bala.

Ao analisar com um programa de edição de imagens, se percebe nitidamente os momentos em que projeteis de balas passam por sobre a cabeças dos policiais milicianos amotinados e um deles atinge o vidro e em seguida o senador Cid Gomes.

Quem atirou, sabia o que queria atingir e tinha o objetivo nítido de matar um senador da república. A pessoa, ou as pessoas que usaram arma, possivelmente estavam encima de uma caminhonete da polícia militar ou no muro que fica no local onde são hastadas as bandeiras. É que na frente do portão não há prédios.

Outra hipótese é que os tiros tenham vido do prédio da policia que fica do lado direito onde existem janelas que poderiam ter servido para a tentativa de assassinato.

Nenhum comentário: