Dimas Roque: O fiasco Bolsonaro (Por Josias Gomes)

7.8.19

O fiasco Bolsonaro (Por Josias Gomes)


Bolsonaro vive a maior rejeição de um presidente pós-redemocratização. O fiasco junto à opinião pública não é por acaso.

A destruição do patrimônio brasileiro, a deformação da Previdência, o discurso sempre pró-empresariado, o posicionamento contra a classe trabalhadora e os seus ataques odiosos a boa parte dos brasileiros, contribuem para figura de um dos chefes de Estado mais rejeitados no próprio país e mundo afora.    


Bolsonaro saliva ódio ao ver os altos índices de aprovação dos governadores do Nordeste. Diferentemente de Bozo em relação aos EUA, os nordestinos não têm postura subserviente ao presidente. Não está escrito na Constituição que os governadores devem fazer palanque para o pequeno ditador. Mas é obrigação do presidente tratar a todos os Estados da federação sem distinção. 

A alegação do Jair Mentira de que “boa parte' dos governadores da região é socialista”, responde à raiz do problema.

Apesar da paranoia de Bolsonaro, não foram os ‘governos socialistas’ que o rejeitaram de forma massacrante nas urnas nordestinas e mantêm a maior resistência antifascista do Brasil. Quem diz não a governos totalitários são pessoas autônomas que pensam por si e não aceitam os embargos econômicos, a xenofobia, o ataque aos povos indígenas, à educação, aos direitos, aos movimentos sociais, aos sindicatos e tudo que represente um país soberano.

A ameaça de Jair Mentira de “somente liberar verba a Estados do Nordeste se os governadores se alinharem a seu governo”, é a marca do desgoverno antidemocrático, anitipovo, míope!

Nenhum governador do Nordeste pode mudar a mentalidade de mulheres, homens, LGBTs, de diferentes classes sociais. Aqui, resolvemos olhar para frente. Os governadores desta região do Brasil, alguns declaradamente socialistas, outros não, estadistas que são, respondem aos interesses da maioria. Isto é democracia, vai além da vontade bolsonarista.

Bolsonaro é contra a vontade popular e a livre liberdade de expressão, isto é a negação da evolução da sociedade. Pior, trabalha para destruir os princípios democráticos. Age de forma pequena, inquisidora, chantagista, totalitária.

O “mito” quer dividir o Brasil entre os seus súditos famintos, sem direitos, ideias, subalternos, e, os “rebeldes”, que segundo a sua visão, são “comunistas”, precisam se adequar, baterem continência ou desaparecerem do mapa.

O capitão mentira deveria se inspirar no Consórcio Nordeste e vislumbrar um Brasil unido. Nesta mesma semana, Rui Costa, presidente do consórcio, se reuniu com os embaixadores da Itália, Antônio Bernardini, da Espanha, Fernando Casas e da China, Yang Wanming. Está em busca de investimentos nas áreas de infraestrutura, transporte, saúde, meio ambiente e saúde.

O povo quer é trabalho e políticas públicas, presidente. Não temos tempos para briga de egos, questões mentalmente mal resolvidas ou brincar de mundo bipolar. Respeite o Nordeste. Tente ter o mínimo de sensatez à frente do cargo mais importante do país. 

Eu sei que é pedir demais. No entanto, tente.

Por Josias Gomes - Deputado Federal (licenciado) do PT/Bahia e atualmente titular da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR).

Nenhum comentário: