Dimas Roque: Tortura mental praticada por agentes do Estado (Por Josias Gomes)

28.8.19

Tortura mental praticada por agentes do Estado (Por Josias Gomes)


Durante a Ditadura Civil-Militar, a CIA realizava treinamento com as forças repressoras do Estado, para ensinar métodos de tortura capazes de fazer presos políticos delatarem o que sabia dos seus companheiros (as) e os que não sabiam, muitos, inventavam ficções para se livrarem da tortura incessante.

Depois que o mar agitado da Lava-Jato baixou a maré, pessoas que estavam sufocadas pelo Tribunal de Exceção, começaram a depor contra os criminosos da Republiqueta de Curitiba. Nesta última quarta-feira, Nelma Kodama, ex-esposa do doleiro Alberto Youssef, em entrevista à Rádio Bandeirantes, confirmou o assédio que os operadores da “Lava-Fraude” praticavam com os presos na operação.
Segundo as suas próprias palavras: "O Lula era o assunto. Eu não sou PT, não estou falando sobre política e sim sobre crime. Todo crime precisa ter prova e não houve prova. Cadê o cadáver? Então, qual foi o objetivo (da prisão)?”.

A tortura mental praticada por agentes do Estado para deporem contra Lula,
é semelhante à da Ditadura Militar. Fascistas utilizam o pretexto da corrupção e moralidade para atuarem à margem da lei. Toda esta panaceia criada por procuradores, juízes e a mídia pirotécnica, sempre tiveram o único objetivo: prender o presidente Lula e destruir o PT.

Os crimes cometidos por essa gente que se coloca acima da lei e se acham deuses, fraudaram o sistema jurídico, perpetraram golpes contra a democracia, o Estado de direito e pessoas inocentes. É sem dúvidas, uma das principais tragédias vividas no Brasil.

Sérgio Moro, Deltan Dallagnol e seus concubinatos esfacelaram o país em mil pedaços. Mesmo diante dessa caça às bruxas, não acharam um grão de areia que relacionasse Lula a qualquer crime de corrupção. Por isso, foi necessário de um Powerpoint sem noção,
com mentiras homéricas, horas e horas de mídia golpista para jogar a sociedade contra o companheiro Lula e o PT.

Depoimentos como estes de Nelma Kodama, corroboram as inúmeras arbitrariedades flagradas pelo Intercept Brasil que denuncia este Tribunal de Exceção que se formou em Curitiba. Nem os membros do STF passaram ilesos a devassidão provocada pela Lava-Jato.

Chegou o momento do próprio Supremo Tribunal Federal dar uma resposta à sociedade e libertar Lula desta trama cruel, que além de tudo, dividiu o país e colocou em cheque as nossas instituições, soberania nacional e tantos outros agravos que é impossível de se contabilizar nas próximas décadas os impactos danosos desta máfia, que agia em nome da lei. 

Nós exigimos #LulaLivre!

Josias Gomes - Deputado Federal (licenciado) do PT/Bahia e atualmente titular da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR).

Nenhum comentário: