Dimas Roque: Tá na internet: NAPOLEÃO e LULA (Por Fernando Werfel)

23.8.19

Tá na internet: NAPOLEÃO e LULA (Por Fernando Werfel)


Estamos em 1814, Napoleão foge do exílio que fora condenado à cumprir em Elba, Ilha de Elba, ato contíguo é derrotado na Batalha de Waterloo, pelos ingleses comandados pelo Gal. Wellington, tudo isso nos arredores de Bruxelas. 

Já estamos em 1815.

Por ter fugido de Elba, foi enviado a Ilha de Sta. Helena, para cumprir uma longa pena.


Localizada na Costa da África, local de difícil acesso, pela topografia, pelas condições adversas impostas pela própria natureza.

Dizia-se,  impossível o seu resgate ou qualquer tentativa de fuga.

Os bonapartistas inconformados com a prisão do seu líder maior, organizaram uma gigantesca operação objetivando resgata-lo.

Era uma operação cara e com uma logística sofisticada para os padrões da época.

Finalmente lá chegaram, houve uma breve batalha e tomaram a Ilha.

Napoleão, peremptoriamente, se nega a fugir, pois quem foge culpa tem, segundo ele.

Suponho que a perplexidade dos bonapartistas tenha sido enorme.

Napoleão, a exemplo de Lula, só queria um julgamento justo para provar sua inocência. 

Infelizmente, faleceu em Sta. Helena, de câncer, segundo os historiadores.

Onde Lula entra neste contexto?

Lula, não deveria aceitar uma eventual prisão domiciliar, até porque seria uma álibi para a direita e nem os seus direitos políticos seriam  restabelecidos.

Sua condenação é política, existindo poucas possibilidades,   pela via legal ser inocentado em definitivo, embora o processo seja uma anomalia, uma aberração jurídica.

Só saí após pressões políticas, inclusive internacionais, felizmente já ocorrendo.

Formadores e multiplicadores de opinião, como o Papa, Juristas internacionais renomados, vários ganhadores do Nobel da Paz, Anistia Internacional e tantos mais, já se posicionaram publicamente a favor da liberdade imediata do nosso ex-presidente. 

Lula é um troféu para as elites e classes dominantes.

A verdade prevalecerá.

Por: Fernando Werfel.

Nenhum comentário: