Dimas Roque: 300 anos de escravidão, o odor da carnificina (Por Josias Gomes)

15.8.19

300 anos de escravidão, o odor da carnificina (Por Josias Gomes)


300 anos de escravidão, o odor da carnificina, o sangue no olhar do carrasco e a sede da “elite” escravista não se dissiparam em pleno 2019!

A besta Bolsonarista resgata o pior Brasil, o país de colônia exploratória e genocida.

A chegada de Bolsonaro ao poder representa a abertura da Caixa de Pandora, todos os males impossíveis e ideias inimagináveis em um mundo civilizado, neste desgoverno, são colocados em pauta, em série recorde, como se o fim dos tempos fosse para amanhã. 

Não existe razão, o mínimo de bom senso, muito menos humanidade. Como diria o descendente de escravo com imigrante italiano, o Rap Mano Brown: “O ser humano é descartável no Brasil”.

A MP da “Liberdade Econômica” é o slogan bonitinho por trás do punhal cravado nas costas da classe trabalhadora. O Capitão do Mato, obedece aos seus “senhores” e aprofunda a devassa trabalhista iniciada no Vampiro Temer. O objetivo é levar o povo de volta ao Tronco e a senzala é o destino da esmagadora maioria dos brasileiros se não enfrentamos estes fascistas como eles merecem.

A Medida Provisória 881, é o paraíso dos empregadores que vão poder explorar os trabalhadores (a) mais do que já exploram, protegidos pela “lei”. Será permitido:

Trabalho em qualquer dia da semana, inclusive sábado, domingo e feriados, sem o pagamento de horas extras e feriados. Em relação ao descanso no dia de domingo, a proposta era impor 7 domingos trabalhados para ter direito a uma folga. Chegaram a um consenso de 4 domingos trabalhados para conseguir folgar neste dia, e alardearem como se fosse um benefício.

A medida enfraquece os sindicatos, antes responsáveis pelos acordos da folga semanal junto com os empregadores. Na verdade, todo resquício de direitos, organizações coletivas, tudo que represente a defesa da classe trabalhadora vem sendo destruída pelo governo que atende aos pedidos mais sórdidos da Casa Grande.    

As Horas Extras vão desaparecer: o trabalhador não precisará registrar horas extras, devendo registrar somente as horas trabalhadas, caso contrário precisa pedir permissão ao patrão. Imaginem o mercado de trabalho altamente competitivo, o país em crise, as empresas a maioria cobrando metas abusivas, desemprego em alta, se o trabalhador sem proteção da lei, sindicato vai pedir para registar hora extra?


O Brasil está retomando o período escravista que envergonha a humanidade. Um presidente que defende abertamente trabalho infantil, considera patrões coitadinhos e trabalhadores “vagabundos” cheios de direito, e age para escravizar o próprio povo, não difere em nada da exploração portuguesa. 

O atraso mental é de 5 séculos. Países com trabalhadores marginalizados geram pobreza, desigualdade social, concentração de renda, aumento da violência e um país infeliz!

Por: Josias Gomes - Deputado Federal (licenciado) do PT/Bahia e atualmente titular da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR).

Nenhum comentário: