Dimas Roque: Cerca de 43 mil pescadores foram impactados pelo derramamento de óleo

25.10.19

Cerca de 43 mil pescadores foram impactados pelo derramamento de óleo




A Bahia Pesca, empresa vinculada à Secretaria de Agricultura, atualizou o número de pescadores e marisqueiras afetados pelo derramamento de óleo que atinge o litoral baiano.

De acordo com dados disponibilizados à empresa pelo Ministério da Agricultura, cerca de 43 mil pescadores e marisqueiras já foram impactados pelo óleo, direta ou indiretamente. Esse número corresponde ao total de pescadores com Registro Geral de Pesca (RGP) na área que abrange o litoral da Bahia entre Conde, no norte, e Cairu, no sul. Esse número está em constante atualização pelos técnicos da Bahia Pesca, em conjunto com as entidades pesqueiras.


Os impactos diretos são a presença do óleo na área de pesca, impedindo a atividade pesqueira. O impacto indireto se reflete na queda do volume de vendas do pescado, já que os consumidores se tornam mais cautelosos nas cidades atingidas pelo óleo.

Coleta e análise do material

Técnicos da Bahia Pesca estão realizando a coleta de peixes e mariscos para análise laboratorial e envio de relatório à Diretoria de Vigilância Sanitária e Ambiental do Estado da Bahia, que determinará se esse pescado é próprio para consumo ou se está contaminado.

Essa coleta é realizada em quatro etapas. Na primeira, os técnicos da Bahia Pesca fazem a identificação das áreas afetadas pelo derramamento de petróleo. Em seguida, visitam as comunidades pesqueiras que foram impactadas com esse óleo.

Essas duas etapas ainda estão em andamento, já que novas manchas de óleo continuam chegando ao estado. Mas já foram visitadas áreas de pesca dos municípios de Conde, Esplanada, Entre Rios, Mata de São João, Camaçari e Lauro de Feitas.

A terceira etapa é a coleta dos indivíduos e, por fim, a entrega a um laboratório para que se faça a análise da segurança do consumo do pescado. Essa etapa já está em andamento e deve ser finalizada até a sexta-feira, 1º de novembro. Serão coletados quase 200 indivíduos em seis regiões do estado: Jandaíra (em rio Real), Conde (no rio Itapicuru), Entre Rios (rio Subaúma e rio Sauípe), Camaçari (rio Jacuípe), Lauro de Freitas (rio Joanes), Itapuã (no mar) e Santiago do Iguape (área de controle, não atingida pelo óleo).

Prazo para entrega do relatório

As análises serão feitas no Laboratório de Estudo do Petróleo, da Ufba. O prazo de conclusão do relatório e entrega à Diretoria de Vigilância Sanitária é de 15 dias úteis após a conclusão de todas as coletas.

Nenhum comentário: