12.9.17

Após notícia de que bunker de Geddel fica no prédio de Paulo Azi, dirigente nacional do PT cobra explicações de ACM Neto.

"Qual é a explicação de ACM Neto sobre seus parceiros?". Esse foi o questionamento do dirigente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) Jones Carvalho diante da notícia, divulgada neste sábado (9), de que o prédio onde foram encontrados os R$ 51 milhões do ex-ministro Geddel Vieira Lima pertence à família do deputado federal Paulo Azi - aliado e correligionário de ACM Neto.

Além de ser a proprietária do prédio, a empresa baiana JP Patrimonial, pertencente à família Azi, ainda é administradora do prédio onde ficava o bunker de Geddel. Inclusive, o edifício leva o nome de um dos parentes de Paulo Azi: Residencial José da Silva Azi, tio do deputado. José da Silva Azi, que foi prefeito de Alagoinhas, morreu em 2014.

"São R$51 milhões com impressões digitais de Geddel, aliado de ACM Neto, e de Gustavo Ferraz, candidato a vice-prefeito na chapa perdedora em Lauro de Freitas, em 2016, com apoio direto de Neto. E todos são ligados ao governo de Michel Temer, que vem tirando os direitos dos trabalhadores e que é reconhecidamente corrupto", diz Carvalho.

O dirigente ainda mencionou a relação entre o governo de ACM, o neto, e ACM, o avô, morto em 2007. "Antigamente, a política carlista se valia do 'rouba mas faz'. Agora, com todos esses fatos, mudou para 'rouba e desfaz direitos".

Ao cobrar um posicionamento de ACM Neto, Jones ainda lembrou que o prefeito é um dos donos do maior conglomerado de comunicação do Nordeste - que incluía afiliada da Rede Globo no estado. "Se a TV Bahia não fosse dele qual seria a manchete?", interpelou.

Nenhum comentário: