25.9.17

Canalhas e Caos. (Por Alfredo Herkenhoff)


Imagine o Brasil em que Rocha Loures com a mala de dinheiro fosse Graça Forster e Temer fosse Dilma. Como reagiriam os juízes Bonner und Waack e os jornalistas Gilmar e Moro?:

Imagine o Brasil em que o telefonema de um senador para um ministro do Supremo recebendo ordens não fosse de Aécio para Gilmar, mas de Gleisi para Rogério Favreto, do TRF-4?

Imagine o Brasil em que o Ministro da Fazenda que recebeu 170 milhões como consultoria de 2015 para cá fosse não o Henrique Meirelles mas o Guido Mantega ou o José Dirceu?

Imagine o Brasil em que as provas materiais, a documentação em papel, extratos de depósitos,  com os números e endereço de contas bancarias em tal paraíso fiscal dissesse respeito a  milhões de dólares de Caixa 2, ou dinheiro sujo não contabilizado, guardado lá na Suíça e que essa grana não fosse em favor do senador José Serra e do governador Alckmin, mas em favor de Lindberg e do governador petista Wellington Dias!

Imagine o Brasil em que as denúncias com provas cabais, incluindo fotos nunca mostradas, da entrega de milhões de reais numa mala no Centro de São Paulo não fossem relativas a um dinheirão vivo nas mãos dos assessores da Presidência José Yunes e Rocha Loures, mas nas mãos das assessoras da Dilma  Maria da Solidade de Oliveira Costa e Deise Ramos?

Imagine o Brasil em que as denúncias com provas cabais mostrassem hierarcas petistas do governo Dilma  fazendo 5 por cento do que fazem hierarcas tucanos e peemedebistas ao redor de Temer?

Imagine se o Jornal Nacional mostrasse todo dia que o maior número de políticos acusados de corrupção pertence ao PP, PMDB e PSDB, e não ao PT?

Imagine o Brasil em que as denúncias com provas cabais mostrassem que Lula tem apartamento de luxo em Paris, que deu apartamento na Europa para uma ex-amante, deu apartamento  nos Estados Unidos para o filho da ex=amante, deu apartamento em Higienópolis para uma namorada que chegou depois da viuvez? E ainda tem uma fazenda em Minas e outras em SP! 

Pois este Brasil existe e se chama ditadura dos ladrões com apoio da mídia e de juízes que viraram policiais e de policiais que viraram juízes. Todos eles odeiam História. Alguns odeiam por herança, são doutores escravocratas que odeiam os brasileiros da base da pirâmide. Outros, os policiais, odeiam por desinformação, são vítimas violentíssimas do ódio e passam a odiar tanto ou mais do que seus patrões, que são governadores e por vezes governadores  marajás ou controlados pelos marajás. 

A República é dos Marajás Tropicais do último país a acabar com a escravidão negra e o primeiro a reinstaurar a escravidão dos mais pobres, entre os quais está a maioria negra.

Está rolando um Apartheid econômico racial no Brasil. Você vê a panorâmica da Globo na arquibancada do Maraca na vitória domingo passado do Fogão em cima do meu Mengão e não tem negro quase no estádio.

Agora no Rock in Rio só tem negro no palco. Na plateia, está o resultado do Apartheid.

Não adianta gritar Fora, Temer. O substituto será ainda pior.

Ou os ministros do Supremo anulam o golpe ou levam o Brasil para onde estão levando: ao caos,  a antessala do inferno, estão arando o terreno para safras tóxicas, ou pré-revolucionárias.

Triste! 

Até as polícias no Brasil estão ficando esbranguiçadas! 

Em algum momento a corda rói!

Por Alfredo Herkenhoff.

Nenhum comentário: