29.3.18

O povo mandou avisar, se mexerem com Lula o Brasil vai parar.



A palavra Fascismo, tão atual na maioria dos textos de jornalistas e blogueiros na atualidade, para alguns é um termo desconhecido. É comum encontrar nas redes sócias perguntas de jovens querendo uma definição mais exata sobre o termo. Desconhecem até mesmo as principais características e ideias. Essas pessoas não sabem, nem buscaram saber que o Totalitarismo com a sua falta de democracia concentra todos os poderes nas mãos do líder de governo. Já o Nacionalismo, que foi a ideologia presente entre os fascistas dizia que só o que importava e tinha valor era o que havia em seu país.

Surgido ao fim da Primeira Guerra Mundial na Itália, tinha como seu mentor Benito Mussolini com seu sistema político imperialista, antiburguês, autoritário, anticapitalista e nacionalista.

Mas é na hierarquização da sociedade que o fascismo deixa claro o que deseja. Para eles, são os mais fortes (ricos), quem devem conduzir o povo (pobres) a prosperidade. Desde que eles determinem o que é melhor para todos.

Em áudio, o ex-ministro do Governo Lula, Zé Dirceu, lembrou da Noite dos Cristais. Quando aconteceram as primeiras agressões contra os judeus por toda a Alemanha e Áustria em novembro de 1938. Destruíram lojas, casas e sinagogas, agrediram e mataram. Tudo em nome de uma sociedade onde aqueles que não eram iguais deveriam ser eliminados e massacrados.

As balas que atingiram os ônibus da Caravana Lula Pelo Brasil, acertaram a democracia brasileira. Mas elas não podem servir de pretexto para no Brasil, ocorrer um “Incêndio do Reichtag”. Em fevereiro de 1933, atearam fogo no Reichstag o Parlamento Alemão. E essa ação foi o motivo usado pelos nazistas como prova de que os comunistas estavam começando uma "conspiração" contra o governo alemão. E Adolf Hitler, que tinha tomado posse como chanceler da Alemanha quatro semanas antes, fez de tudo para que o Presidente Paul von Hindenburg fizesse um decreto de emergência enfrentando o Partido Comunista da Alemanha. O que aconteceu após, muitos de nós já sabemos. A esquerda tem que ter cuidado para não cair nas provocações, mas não pode dar a outra fase quando agredidos. A defesa da vida é um direito de todos.

A militância Petista não pode entrar no clima de guerra que as Milícias Armadas da direita estão tentando os levar.

Para o ex-ministro, os tiros disparados contra a Caravana, não foi Lula que foi agredido, mas sim o direito a livre manifestação e a liberdade democrática. “Não podemos nos omitir e sermos cúmplices dessas milícias fascistas” disse Dirceu.

Mas o atentado a Lula nos mostrou um bom sinal. A esquerda que antes “só se reunia na cadeia”, agora acordou e esteve presente no ato de encerramento da caravana em Curitiba no Paraná. Lá esteve Guilherme Boulos do Psol, Manuela d'Ávila do PCdoB e João Capiberibe do PSB, Além da CUT, Força Sindica e MST. Todos foram levar o apoio e a solidariedade a Lula e ao Partido dos Trabalhadores.

Nenhum comentário: