18.9.17

"Ajayô": Filhos de Gandhy e Carlinhos Brown estreiam projeto Concha Negra.



O bom humor dos personagens Mainha e Junior, do grupo ‘Frases de Mainha', deu ao público da Concha Acústica do Teatro Castro Alves, em Salvador, as boas-vindas ao projeto Concha Negra, que estreou no fim da tarde deste domingo (17). Depois dos humoristas e ao som da percussão e de um sonoro ‘Ajayô’, subiu ao palco o Afoxé Filhos de Gandhy, abrindo a programação musical e trazendo como convidado o cantor Carlinhos Brown. Muitos sucessos do Ghandy e do artista fizeram a festa da consagração da cultura afro e dos blocos de matrizes africanas, reafirmando a história de resistência desses grupos fora da época de Carnaval.

Iniciativa do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura do Estado (Secult), e em parceria com a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), a ideia do projeto é dar visibilidade a esses blocos, que são patrimônio cultural da Bahia e parte da identidade do povo baiano. Para isso, os grupos são remunerados pelo estado e também recolhem a bilheteria de cada um dos eventos.

Segundo a diretora do Centro de Culturas Populares e Identitária, Arany Santana, essa é uma forma de valorizar as manifestações artísticas afro-baianas. "Hoje é um dia de festa para a comunidade negra de Salvador por causa desse projeto, que inclui as entidades negras e blocos afro tão responsáveis pela revolução rítmico musical desde os anos 80 até hoje, com a oportunidade de pisar nesse palco histórico que é a Concha”.

Teve gente que chegou cedo para ficar sentado na primeira fala, como a publicitária e turista mineira Cleide Verônica que, em visita à Bahia, aproveitou para curtir o Ghandy no palco. "Eu acho maravilhoso porque isso é o símbolo do negro voltando a ocupar o seu lugar, seu lugar de destaque, e isso é reconhecimento. É muito importante e me sinto orgulhosa e feliz de estar fazendo parte disso”.

Os baianos também aprovaram a ideia, como o auxiliar administrativo Miguel dos Santos. “Eu sou associado há 29 anos e, como eu acompanho o trabalho do Ghandy há quase três décadas, me faltam até palavras. É indescritível, ainda mais por ser o mês do meu aniversário, Eu me senti presenteado. São espaços como esses que foram negados aos negros há muito tempo e agora estamos ocupando, conquistando nosso espaço”.

Embalando a plateia com seu ritmo peculiar e cadenciado, ao som da percussão misturado ao som dos instrumentos de sopro e das cordas, a banda chamou o convidado Carlinhos Brown para se juntar ao grupo e agitar ainda mais o público. Para o cantor, o Concha Negra aviva a música da Bahia, que vai muito além do Carnaval. "Esses são grupos que têm uma performance internacional e que nós, baianos, precisamos conhecer essa demonstração necessária de que precisamos nos encontrar para discutir, juntos e dançando, a valorização da música baiana”.

Concha Negra

O Afoxé Filhos de Ghandy é o primeiro de uma série de apresentações do Concha Negra, que segue até fevereiro de 2018 com uma apresentação por mês, sempre às 18h de domingo e com ingressos a R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). Os próximos a comandarem o palco da Concha serão Muzenza (8/10), Ilê Aiyê (19/11), Cortejo Afro (17/12), Olodum (7/1/2018) e Malê Debalê (4/2/2018).

Foto: Paula Fróes/GOVBA.

Nenhum comentário: