28.3.12

Infratores ambientais participam de curso de conscientização em Paulo Afonso.

Infratores ambientais identificados pela última Fiscalização Preventiva Integrada (FPI) realizada pelo Ministério Público estadual e órgãos parceiros na região da Bacia do São Francisco participaram do curso 'Construindo a Consciência Ambiental', realizado em Paulo Afonso na última semana. Reunidos com gestores públicos, representantes de órgãos ambientais e população local, eles debateram temas relevantes para a área ambiental e aproveitaram a oportunidade para trocarem experiências. Logo na abertura do evento, a coordenadora do Núcleo de Defesa da Bacia do São Francisco (Nusf), promotora de Justiça Luciana Khoury, destacou a importância de se proteger o meio ambiente em sua multiplicidade.
Diversas palestras foram realizadas, sendo abordados temas relativos à história e cultura dos povos do São Francisco, a convivência deles com o semi-árido e a necessidade de proteção aos índios e a sua cultura, pelos representantes da Comissão Pastoral da Terra, Cícero Santos; do Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada, José Santos; e da Organização de Mulheres Indígenas Pankaré, Patrícia Kriñ Si. A apresentação sobre biomas da região, Áreas de Preservação Permanente (APP), Reserva Legal e Unidades de Conservação ficou a cargo da representante do Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), Daniela Guimarães. A representante da Agência Nacional de Defesa Agropecuária da Bahia, Albany Leite, palestrou sobre agrotóxicos, enfatizando projetos de recebimento de embalagens vazias e a coleta itinerante realizada pelo órgão, visto que o Brasil é hoje o maior consumidor de agrotóxicos do mundo.
Atentos às discussões, os participantes do curso conheceram ainda os principais tópicos da Legislação Ambiental, que foram apresentados por Luciana Khoury, que enfatizou a Lei de Crimes Ambientais. O engenheiro sanitarista do MP, Zúri Bao, palestrou sobre esgotamento sanitário e abordou a origem, composição, coleta e transporte, mostrando ainda soluções coletivas e individuais viáveis para a sociedade. A cargo da analista da Central de Apoio Técnico do MP, Karine Guermandi, ficou a discussão sobre resíduos sólidos, em que ela destacou que "o nível de consumo e descarte hoje é insustentável". Outras palestras foram apresentadas pelo procurador do Trabalho José Adilson Costa e o técnico Diógenes Augusto, que debateram o Meio Ambiente do Trabalho; Suaine Leão (Inema) e João Almeida (DNPM), que abordaram a extração mineral; e Psicultura por Luana Ribeiro (Ministério da Pesca), Armando Magalhães e Ana Carolina Cunha (Ibama), Maurício Aroucha e Ticiano Oliveira (Agendha) e Afonso Silva, representante dos pescadores. (ASCOM/MP)

Nenhum comentário: