24.12.17

Na manhã deste natal estaremos numa cerimônia de cremação contra o ódio e a intolerância.

Marcone Alves de Lima, homossexual negro assassinado no balneário de Ipanema, no litoral paranaense na madrugada do último dia 15/12, veio do Piauí há 25 anos em busca de melhores oportunidades.

Marcone tinha 49 anos. Trabalhador, era pizzaiolo e muito querido por todas as pessoas da região de Ipanema.

Seu corpo foi encontrado semi-enterrado nas areias da praia. Sua cabeça golpeada com uma grande pedra até que seu crânio afundasse, numa conduta criminal típica de crime de ódio.

Teria sido enterrado como indigente se pessoas não tivessem avisado a família, no Piauí, através do Facebook.

A família telefonou ao IML pedindo que seu corpo fosse colocado em câmara fria até que o irmão, Ulisses, chegasse ao Paraná e providenciasse os funerais.

Apesar da promessa, o corpo de Marcone não foi colocado em câmara fria e, quando Ulisses chegou, o corpo estava em estado de decomposição tal, que já não era possível mais sequer embalsamar para traslado e sepultamento.

Ulisses refez as últimas 24 horas de seu irmão aqui, colaborando, assim, com a investigação.

Diante das condições do corpo, era preciso requerer judicialmente autorização para cremação, eis que se tratava de um assassinato.

O Dr. Ivan Santos, presidente da Comissão de Igualdade Racial em Paranaguá, entrou com o pedido junto ao plantão judiciário e, após ouvidos o IML, o Delegado e o Ministério Público, na noite desse sábado saiu a decisão autorizando a expedição do alvará para a cremação.

Marcone é um um dos nove filhos de Marlene Corrêa Alves de Lima (na memória) e de José de Ribamar Alves de Lima, que, aos 93 anos, se despedirá de seu quarto filho.

Sua irmã Jaqueline Hosana, militante feminista, é nossa companheira petista no Piauí, onde é Secretaria Estadual de Mulheres da Articulação de Esquerda.

Na manhã deste natal estaremos numa cerimônia de cremação em Curitiba, que será transmitida para a família de Marcone no Piauí, que finalmente poderá se despedir de seu ente querido.

A família de Marcone acredita nas investigações da polícia do Paraná e espera que os autores desse crime brutal sejam encontrados e punidos na forma da Lei.

Na manhã deste natal, faremos da cerimônia de despedida de Marcone um ato contra a intolerância e o ódio em nosso estado.

Se você ama as pessoas independente de cor, credo, raça, orientação sexual, assim como Cristo, cujo nascimento se celebra nessa data, também as amou, traga seu coração cheio de amor e venha se despedir de Marcone com a gente na manhã deste natal.

A cerimônia será às 10h, no Crematório Perpétuo Socorro, que fica na  Rua Antônio Gitikoski,1000 - Bairro Botiatuva, em  Campo Largo/PR.

Toda a nossa solidariedade à Família de Marcone.

Marcone Alves de Lima? Presente!

(Agradecimentos ao Coletivo Advogadas e Advogados pela Democracia e ao Grupo Dignidade, nas pessoas do Camarada Toni Reis e do Dr. Marcel Jeronymo.)

Nenhum comentário: