22.8.17

O governador Rui Costa deve fazer PRIMEIRAS MUDANÇAS NO SECRETARIADO esta semana...

Surge uma novidade no cenário das apostas pela ‘minirreforma’ que o governador Rui Costa prometeu fazer em seu secretariado. Para a primeira etapa das ‘pequenas modificações’, cujo anúncio é esperado para até o final da próxima semana, ganha força nos bastidores a possibilidade de o senador licenciado Walter Pinheiro (sem partido/ex-PT) reassumir o mandato, e consequentemente deixar a Secretaria de Educação da Bahia.

A Tribuna apurou que para seu lugar deve ir o atual secretário das Relações Institucionais do Estado (Serin), Josias Gomes (PT), deputado federal licenciado do mandato. Com a articulação, ganha ainda mais força a possibilidade de Jaques Wagner assumir a pasta que cuida da relação de Rui com deputados, prefeitos e vereadores aliados de todo o estado. Atualmente no comando da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Wagner já faz a articulação do governador nos bastidores.

Por Eliabe Fontes - Tribuna da Bahia.

Edital Ecoforte 2017 para seleção e apoio a projetos territoriais.

Saiu o edital Ecoforte 2017 para seleção e apoio a projetos territoriais de redes de agroecologia, extrativismo e produção orgânica, voltados à intensificação das práticas de manejo sustentável de produtos da sociobiodiversidade e de sistemas produtivos orgânicos e de base agroecológica. Saiba mais aqui.

Ônibus com ar-condicionado e wi-fi começam a circular no CAB nesta terça-feira

Nesta terça-feira (22), entram em operação novos ônibus com ar-condicionado e internet gratuita entre o metrô e o Centro Administrativo da Bahia (CAB). De segunda a sexta-feira, de forma ininterrupta, os coletivos vão conduzir servidores e cidadãos que acessam o centro administrativo pela Estação CAB e Estação Pituaçu. 

“Os ônibus possuem serviço de telemetria e serviço interno de self TV, que é o monitoramento em tempo real de toda atividade que é executada dentro do ônibus, além de visual e pintura que garantem a identificação imediata do usuário na utilização do serviço”, explica o assessor da Superintendência de Patrimônio da Secretaria da Administração (Supat/Saeb), Alam Barros. 

A internet wi-fi estará disponível para conexão pela rede GovBa, aberta a qualquer usuário. Os coletivos têm capacidade para 42 passageiros sentados, além de serem equipados com assentos preferenciais para idosos e elevador de acessibilidade para pessoas com deficiência. 

Para garantir a qualidade do serviço, o Governo do Estado ofereceu uma capacitação nesta segunda-feira (21) aos motoristas que dirigem os circulares. A atividade foi realizada no auditório do Espaço Crescer, na sede da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre).

Para fixar os pontos de parada, parte do treinamento aconteceu dentro de um dos novos ônibus, que agora têm as cores azul, vermelho e branco e a logomarca do Governo do Estado.  A partir desta terça (22), o embarque será obrigatoriamente pela porta dianteira para registro na catraca. O acesso permanece gratuito. Não é necessário apresentar cartão de transporte ou qualquer tipo de documentação. 

“Todo treinamento é bem-vindo para esclarecimento. A gente está aqui para fazer um bom papel e ser um bom colaborador”, afirmou o motorista Paulo Orge, que já trabalha no transporte complementar desde o mês de maio. 

Já o motorista Alexandre Ribeiro quer compartilhar o aprendizado com os passageiros. “Pretendo me colocar no lugar do próximo e pedir aos companheiros e às pessoas que estão conosco no dia a dia que colaborem, ajudem e falem o que for da necessidade, para que nós possamos prestar um serviço de qualidade a essas pessoas”, destacou. 

Roteiros

O serviço será prestado por quatro ônibus, das 6h às 19h, percorrendo simultaneamente os 26 pontos de transporte público já existentes no CAB, que atendem às secretárias estaduais e prédios públicos. A previsão é que os ônibus passem a cada cinco minutos nas paradas – a volta completa contabiliza 25 minutos. 

Os ônibus farão dois roteiros diferentes. O primeiro tem saída no Colégio Estadual Bolivar Santana, ao lado da Estação CAB, em direção à sede da Embasa, nas proximidades da Estação Pituaçu. O segundo roteiro segue o caminho contrário. A coordenação e fiscalização do serviço serão feitas pela Coordenação do Centro Administrativo da Bahia (CCAB), órgão ligado à Saeb.

Foto: Carol Garcia/GOVBA.

A esquerda sempre foi a revolução

A esquerda sempre foi a revolução. A força. A guerra. A luta contra o sistema, os debochados, os cínicos, os hipócritas, os que odeiam pobres, os elitistas, racistas, fascistas. Assistimos calados um monte de moleques, sim, moleques, de 20, 22 anos, MBL, bolsominions, patos, "cidadãos de bem", tomarem o Estado. Assistimos calados ataques virtuais, Bolsonaro sendo recebido por 300 pessoas em aeroportos, fazendo discursos machistas, homofóbicos, racistas, falando em fim de Estado Laico. Vimos Lula ser perseguido sistematicamente em todas as esferas, o PT levar a culpa por todas as atrocidades. Estamos assistindo o que ontem o Datena (ATÉ O DATENA), chamou de surreal e que seria uma revolução em qualquer país: diminuir o salário mínimo! Respeito os comentários contrários, mas a esquerda já se calou demais. Assistimos calados todas essas atrocidades e deixamos chegar a este ponto. HAVIA 5 HOMENS ARMADOS PARA MATAR LULA NO PRIMEIRO DIA DE CAMPANHA DELE (ouvimos os disparos) Desculpem as opiniões diversas (aqui temos várias), mas cada inciso daquele art. 5 da Constituição da República foi escrito com suor e sangue. Diziam em 2013 que "o povo acordou". Não. A elite que tem nojo do povo que tinha acordado. Agora sim, o povo está acordando. E os 300 que Bolsonaro coloca em um comício viram um estádio de Lula. E o racismo e discurso misógino vira ovada. E os patos e pixulecos, FINALMENTE, são rasgados. Aos dentes. Eles riem "rasgam aos dentes porque não tem mais mortadela para comer". Verdade, tiraram a mortadela da mesa, mas rasgam aos dentes de raiva. De ódio. De culpa pela própria passividade. Nós precisamos tomar nosso país de volta. O país dos pobres, o país que coloca comida na mesa, o país que permite que a empregada doméstica vá conhecer o mar. E não são com flores que a gente vai conseguir isso. Não derrubamos a ditadura com flores. Che Guevara não lutava com flores. Dilma não lutava com flores. Não podemos mais abaixar a cabeça. Somos maioria. Ampla maioria. Somos todos os pobres e famintos desse país que está no mapa da fome e nos topos da desigualdade social. Tomaram nosso país e acabaram com ele. Culpa deles? Não. Nossa. Assistimos passivos. Agora é a nossa vez. A cada tiro do lado de lá, são 10 daqui. A cada aeroporto pra bolsonaro, um estádio pra Lula. A cada pixuleco levantado, 30 devoradores. À luta, senhores. Nós é quem construímos a história.

Anular o Impeachment, nossa luta mais digna e justa.

Por Eduardo Perdigão.

Só a LUTA trás mudança. (Por Helenice Rocha)

As gerações futuras sentirão vergonha de nós.

Sentirão vergonha de nosso silêncio e de nossa apatia. 

Não haverá certamente nenhum espanto, posto que a brutalidade que estamos permitindo tomar conta do mundo há também de eliminar a possibilidade de espanto e indignação. A brutalidade elimina qualquer espasmo de surpresa.

Casos como o da deputada que tem recebido sistematicamente ameaças pela internet, pelo whatsapp e também pessoalmente, não nos indignam porque estamos atolados, sem perceber, na mais absoluta falta de empatia. Num dos áudios, o sargento da aeronáutica a ameça "vou rasgar você no meio" e avisa que o clã Bolsonaro faz parte do grupo. Os xingamentos e ameaças que se ouve no áudio são dignos de uma sessão de tortura.

O neto do ex presidente Figueiredo, aquele que dizia que preferia o cheiro de cavalo ao cheiro de povo, postou nesta semana no facebook um efusivo agradecimento ao governador do RJ por ter deixado falir a UERJ. No texto, ele vibra diante da possibilidade dos professores (sem salários) morrerem de inanição. Mas como estamos cindidos psicoticamente, não nos afetamos.

Do salário mínimo para 2018, será tirado 10 reais. Enquanto isso, um magistrado do Mato Grosso recebeu em julho salário de mais de 500 mil e outros dezoito, receberam mais de 300 mil. Ao ser indagado sobre o valor, muitíssimo acima do teto, o primeiro responde "tô nem aí". Assim como a excelência de Mato Grosso, nós também não "estamos nem aí."

O prefeito da maior cidade do país xinga, humilha e ofende políticos e militantes do PT, enquanto abandona a periferia sem saúde, enquanto corta parte da merenda das crianças com a justificativa de combate a obesidade, enquanto deixa aumentar o número de moradores de rua, enquanto trama vender o patrimônio público de olho no financiamento de sua campanha para presidente em 2018.

Não precisamos olhar para Barcelona ou para Charlottesville para vislumbramos a face do horror. Os massacres à população negra, LGBT e indígena ocorridos aqui apenas neste ano, nos dão a dimensão do nosso horror caseiro.

A sanha demolidora do governo golpista que nos desgoverna com as reformas que vem fazendo desde que assumiu, nos promete um país arrasado para os próximos anos. Com saúde, segurança e educação sucateados, a miséria e a violência aumentarão. Mas não nos abalamos porque, afinal, não sabemos de nada.

A extrema direita e suas personas, nazistas, fascistas, homofóbicas, machistas, xenófobas, pretendem dilacerar todas as possibilidades de uma sociedade mais justa e mais humana. A prova evidente é a adesão em massa até dos mais "letrados" e dos mais jovens, às ideias de políticos e de grupos que propagam diuturnamente o ódio. Ainda assim não reagimos porque, afinal, a liberdade de expressão é um bem precioso.

Nos espaços onde divido com colegas os meus afazeres profissionais, vejo alguns absolutamente indiferentes diante do sofrimento deste presente tenebroso e diante da promessa de mais sofrimento que um futuro sombrio nos acena. Estão totalmente incapazes de dimensionar suas responsabilidades éticas diante deste estado de coisas.
Estamos falhando absurdamente. Tínhamos a obrigação moral, ética, instintiva até, de deixarmos um mundo melhor para os que virão.

Os incautos e hoje privilegiados, os brancos, os da classe média, os que não sentiram ainda o corte na carne, não tardarão a reconhecer que ficaram do lado errado da luta. Mas os seus filhos e netos saberão, ainda que não seja pelos livros de história, ainda que seja pelos resíduos inconscientes a eles transmitidos, saberão da covardia de seus antepassados que preferiram a inércia, a preguiça e a covardia ao invés do trabalho árduo, duro e sofrido de denúncia e combate a todas essas formas de ódio, pois é de ódio que se trata tudo isso. Ódio ao próximo, ao diferente, ao povo, à justiça, ao elemento humano.

As gerações futuras sentirão vergonha de nós e tomara que assim seja. Se forem capazes de sentir vergonha, é porque talvez tenham compreendido um pouco daquilo que hoje a grande maioria não está compreendendo, que tudo isso é muito vergonhoso. 

Por ignorância, má fé ou cinismo, a verdade é que a maioria não está compreendendo.

A psicanálise nos ensina que a pulsão de morte opera em silêncio. Eu diria que no nosso silêncio diante de tanta brutalidade, opera a pulsão de morte na sua forma mais destrutiva e mais avassaladora, que é o desligamento. Desligamento da nossa própria fragilidade e desamparo, cujo reconhecimento seria a única possibilidade de nos aproximarmos como gente, que ainda somos.

A nossa luta, diuturna, é para que essa vergonha futura seja substituída pela imensa certeza de que sem LUTA não há MUDANÇA!

Por: Helenice Rocha - Psicanalista e Professora de Psicanálise na Universidade Guarulhos.

SOBRE O PAPEL HISTÓRICO DO PT. (Por Breno Altman)

Até o surgimento do PT, nos anos 80, a esquerda brasileira não detinha protagonismo na vida política do país.

O PCB, principal partido da classe trabalhadora até então, operando como vértice do campo popular, não era alternativa de poder, em que pese sua poderosa influência na história nacional, ao menos desde a derrota da insurreição comandada por Prestes em 1935. 

Desde aquela época, e até o nascimento do PT, o embate fundamental era entre frações das classes dominantes, com os comunistas e demais forças de esquerda funcionando como elemento subordinado ou condenados (às vezes auto-condenados!) ao isolamento. 

Lembremos que o próprio trabalhismo não é uma criatura do movimento operário, mas produto de uma cisão nas oligarquias do país, comandada por Getúlio Vargas, ainda que tenha nascido em seu bojo, posteriormente, o nacionalismo revolucionário de Leonel Brizola. 

O esquema de alianças do PCB derivava, centralmente, da escolha de qual setor da burguesia poderia ser mais próximo aos interesses da classe trabalhadora, tratando de pressiona-lo e cativa-lo para assumir com mais consequência certas tarefas democráticas, populares e anti-imperialistas. 

O conceito de amplitude subordinava o de hegemonia: nas mais variadas táticas, à esquerda ou à direita, o centro estratégico elaborado pelo PCB (e herdado pelo PCdoB) não conferia um papel dirigente aos trabalhadores, em parte por conta de uma análise torta sobre o desenvolvimento do capitalismo brasileiro e a natureza da burguesia local. 

O PT rompeu essa lógica, mais por conta da potência do movimento operário que lhe dá origem do que por elaboração teórica. Lá se vão trinta anos nos quais a classe trabalhadora assumiu protagonismo, com a contradição fundamental passando a ser entre o campo popular e os partidos do grande capital. 

A propósito, grande parte dos erros cometidos pelo PT em seu período de governo teve como origem uma relativa abdicação do tema da hegemonia como princípio reitor da ação política. 

Com a derrocada do governo Dilma e a ofensiva reacionária, começam a surgir entre as correntes de esquerda, sempre em nome da correlação de forças, a opção de retorno à equação pré-PT, travestida de busca por um centro democrático desaparecido e por uma fantasiosa burguesia nacional ou dita "produtiva". 

Nesse raciocínio, novamente o conceito de hegemonia volta a se subordinar ao de amplitude, cujo significado não é outro que não a classe trabalhadora rebaixar seu próprio programa e amainar seu protagonismo, em nome de uma aliança que seja viável e realista, em tempos de recuo das forças progressistas. 

Essa é a essência, penso, de um dos debates fundamentais dos dias atuais. 

Admirável, nesse sentido, a coerência de Aldo Rebelo, ex-ministro e antigo dirigente do PCdoB, que rompeu com seu partido exatamente porque não acredita mais na hegemonia de classe, na verticalidade da questão operaria, substituindo-a por um difuso nacionalismo. Muitos pensam como ele, no PCdoB e no próprio PT, para não falar de outras organizações, mas não tem a mesma audácia revisora. 

O tema é complexo, embora de fácil enunciado: a reorganização da esquerda, obrigatória depois de tamanha derrota, passa por uma estratégia de hegemonia ou pelo retorno à velha política da aliança subordinada?


21.8.17

Lula não conversou com Kátia Abreu sobre o PT.


A Presidenta do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffman, postou em sua conta no Twitter a informação de que o Presidente Luís Inácio Lula da Silva quando esteve com a Senadora do Tocantins, Kátia Abreu, não falaram sobre sua possível filiação ou algo parecido.

Gleisi disse que a Senadora “Kátia enfrentou o golpe e continua resistindo”. Em referência ao enfrentamento feito por ela contra as mudanças na Lei Trabalhista, se posicionar, também, contra mudanças no SUS – Sistema Único de Saúde, e estar constantemente defendendo causas que o PT defende. O que para muitos é uma boa surpresa.


“Ela não pediu nem Lula a convidou-a para entrar no PT. Conversaram sobre o Tocantins”. Escreveu Gleisi.

Tá na internet: As vidas não têm o mesmo valor.


Segunda feira, dia 15 de Agosto de 2017 mais de 400 pessoas morreram soterradas devido a um deslizamento de terra na Serra Leoa. Quase ninguém se apercebeu, e a mídia (incluindo a africana) não deu a devida importância ou cobertura mediática.

Dois dias depois, (dia 17) acontece um atentado em Barcelona onde morrem 13 pessoas e vira destaque mundial. Todos se solidarizam. todos ficam sentidos. como se fosse a sua própria família.

No mesmo dia morrem 40 pessoas soterradas no Congo Democrático e quase ninguém se apercebeu. Passou apenas nota de rodapé nas TVs do mundo.

É caso para dizer: As vidas não são iguais.

13 pessoas mortas em Barcelona valem muito mais que quase 440 pessoas mortas em Africa na mesma semana.

Deixemos de ser guiados pela mídia porque eles têm o monopólio. Eles decidem o que devemos pensar e dar importância. Graças a Deus temos a internet que nos ajuda a julgar e filtrar a informação de forma livre.

Oremos pelas vitimas da Serra Leoa e os sobreviventes que precisam urgentemente de ajuda humanitária.

Oremos pelas vítimas no Congo e todas as vítimas de catástrofes naturais e terrorismo em África que são ignoradas pela mídia mundial.

Africa Unida.

Tá na internet: Sobre os ataques dos Brasileiros "Não Nordestinos" a nossa Miss Brasil Piauiense.


Amo meu Piaui. Amo meu Nordeste

Amo meu Estado, tenho orgulho que a mulher mais linda do Brasil seja filha da Cajuína cristalina de Teresina, da Serra da Capivara, da Cachoeira do Urubu, da Batalha do Jenipapo, do Delta do Parnaíba... terra cheia de beleza, vida e amores.

Nordeste,  aqui temos as melhores paisagens, as melhores comidas e povos acolhedores. 2017 foi Piaui, mais amanhã pode ser Maranhão, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e o preconceito continuará. Como podemos exigir dias melhores se os próprios brasileiros não tem ética moral com seus irmãos de Estado?
Aqui é um berço cultural repleto de encantos, magia, alegria, calores e valores.
Mais foi do Piauí, terra de pessoas fortes, que mesmo com a sua  luta contra a desigualdade estamos sempre de mãos dadas. Estado de pessoas pacatas que enfrentam o dia a dia sem temores.

Somos nordestinos  e acima de tudo, piauienses com muito orgulho, e aprendemos desde cedo a não colocar freadores. 

RESPEITEM Monalysa Alcântara
Respeitem nosso Nordeste
Respeitem o Piauí 
Terra de imensa beleza
Terra de cabra da peste
Terra de mulher macho sim senhor
Nossa cultura é uma grandeza
É quem produz o alimento
Que sustenta a classe preconceituosa que se chama Burguesa!

A ORIGEM DA FORÇA DO LULA. (Por Davi Antônio)


Ao ver um ancião de 71 anos ter a disposição do Lula pelo Brasil só posso dizer que ele não seria tão forte assim se não tivesse cúmplices entre os próprios oprimidos e injustiçados. 

Lula é julgado injustamente e tá sendo imolado  por causa de nossas misérias. 

Lula estará entre aqueles que se sentarão à mesa com Abraão, Isaque e Jacó, embora as mentes "sacrossantas" digam que não.

Lula passeia entre seus cúmplices de oprimidos em sua amada casa, o Nordeste, casa que lutou a vida toda para adorna-la como uma esposa que ama ver sua casa bem arrumada. 

Lula vive na pele como eles o que é ser perseguido, caluniado, injustiçado e oprimido. 

Lula está entre os que padecem dos males da vida pq ele sabe o que é padecer dos mesmo males.

Lula, nos seus últimos anos de vida está vivendo na maior intensidade em seu ser o que é as injustiças em todas as suas escalas.

Mas é pelo amor do seus oprimidos e de seus iguais que ele anda forte por aí gastando seus últimos dias de vida por eles.

Lula se fortalece pelo amor e não pelo ódio.

Por Davi Antônio.

Katia Abreu está mais perto do PT do que você imagina. (Por Katia Abreu)


Estive neste final de semana com dirigentes nacionais do PT (Lula, Dilma e Gleisi Hoffmann) para falarmos sobre o apoio do partido no Tocantins. Mais do que tempo de televisão em uma campanha eleitoral, o importante são as propostas que cada partido tem a oferecer em prol do desenvolvimento do nosso estado. Precisamos unir forças de forma responsável e consciente a fim de termos uma gestão eficiente, honesta e transparente, retomarmos o crescimento e, sobretudo, recuperamos o emprego dos tocantinenses. 

Continuo no PMDB, mas quero fazer alianças com todos os partidos que possam contribuir para a reconstrução do meu estado, principalmente aqueles que têm experiências exitosas em desenvolvimento social e econômico.

Sempre fiz e faço política no campo da centro-direita, mas governar não é afirmar ideologia, e sim encontrar equilíbrio e soluções. Não sou da esquerda, mas se há propostas na esquerda que indiquem soluções, eu vou defendê-las. O que é bom precisa ser aproveitado.

Os brasileiros não querem guerra, querem resultado. E a união de muitas ideias é que fará a diferença. Sem radicalismo e sem preconceitos, nosso foco tem que ser as famílias, o sucesso das pessoas, o bem estar. Vamos em frente. Força, Tocantins!

Por Katia Abreu.

20.8.17

Uma mídia sem compromisso com os fatos. (Por Emiliano José)

A mídia brasileira não tem mais qualquer compromisso com os fatos. A passagem de Lula pela Bahia tem sido marcada por uma sucessão de emocionantes explosões populares, multidões ansiosas por ao menos tocar seu líder, quando não consegue abraçá-lo. Foi assim no metrô de Pituaçu ao Campo da Pólvora, assim na Fonte Nova. Assim em Cruz das Almas, onde a estupidez de um vereador só fez crescer a população cheia de admiração e esperança que o aguardava, sobretudo os funcionários, estudantes e professores da UFRB. Assim em São Francisco do Conde, naquela fantástica universidade negra e intercontinental. Estou agora, em Feira de Santana, vendo à minha frente milhares de trabalhadores e trabalhadoras, bonés e camisas avermelhando o horizonte, bandeiras e faixas alegrando essa grande festa política, corações cheios de esperança, a esperança encarnada na figura de Lula, incontestavelmente a maior liderança política e popular que o País produziu. O que tornou este homem uma figura quase mítica, quase mística, cuja popularidade só faz crescer por mais que as classes dominantes o ataquem, tentem destruí-lo. Ele, não obstante, está num lugar onde esse ataque não alcança, não tem condições de alcançar: o coração do povo brasileiro. As classes dominantes nunca entenderão isso. Muito menos a mídia, que ignora solenemente esse emocionante abraço que a Bahia Alfaiate, a Bahia Malê, a Bahia do 2 de Julho, a Bahia de Waldir Pires, de Wagner, de Rui Costa, dá nesse extraordinário líder do povo brasileiro. Lula lá!

Por Emiliano José.

NOTA À IMPRENSA: Sobre a matéria de “Veja”.

A propósito da matéria “Investigação confirma aposentadoria irregular de Dilma”, veiculada por Veja a partir de sexta-feira, 18, a Assessoria de Imprensa de Dilma Rousseff esclarece:

1. Veja volta a executar o velho Jornalismo de Guerra ao dar ares de escândalo à aposentadoria da presidenta eleita Dilma Rousseff. O escândalo está na perseguição que a revista promove e não na aposentadoria em si.

2. Depois de 36 anos, 10 meses e 21 dias de serviços prestados – comprovados documentalmente – aos 68 anos de idade, Dilma Rousseff se aposentou com vencimentos pouco acima de R$ 5 mil — o teto do INSS. Ela nada recebe como ex-presidenta da República ou anistiada política. O benefício segue os rigores da lei. Tampouco se valeu de subterfúgios para o recebimento de valores indevidos ou excessivos, como ocorre com Michel Temer e ministros do governo golpista.

3. Afastada da Presidência pelo golpe construído a partir do impeachment fraudulento, Dilma Rousseff recebeu em agosto de 2016 seu primeiro benefício como aposentada.

4. Inicialmente, o governo golpista se recusara a reconhecer o tempo de serviço dela, com base nos efeitos da anistia. É que, além de ter sido encarcerada pela ditadura no início de 1970, Dilma Rousseff foi obrigada, a partir de 1977, a se afastar de seu trabalho, na Fundação de Economia e Estatística, por integrar a chamada lista do General Frota.  Só no final dos anos 1980, foi anistiada.

5. Por isso, Dilma Rousseff pleiteou para a sua aposentadoria o reconhecimento pelo INSS do período de anistia de aproximadamente dez anos. O governo golpista negou-lhe os efeitos da anistia com o evidente objetivo de prejudicá-la. Alegou que tentava fraudar a previdência, procurando se aposentar antes da hora. A ação foi frustrada porque Dilma Rousseff havia trabalhado por todo esse período e podia facilmente comprová-lo. Como o fez.

6. Na sequência, o INSS apontou que uma anotação equivocada por parte de uma funcionária — sem interferência da presidenta eleita —, ensejou a concessão do benefício em agosto e não em setembro, como seria o correto. A própria autarquia avaliou, no entanto, que não houve má-fé por parte da servidora.

7. A defesa da presidenta eleita — a cargo dos advogados Bruno Espiñera Lemos e Victor Minervino Quintiere — deixou claro que não era possível exigir de Dilma Rousseff que soubesse tratar-se de equívoco por parte do sistema do INSS. Isso porque o procedimento passou pelos devidos trâmites regimentais.

8. Dilma Rousseff está recorrendo da devolução. A jurisprudência dos tribunais superiores considera incabível a cobrança pelo erário dos valores recebidos de boa-fé. Ela vê na atitude do governo golpista uma clara tentativa de prejudicar funcionários de carreira criando uma “falsa denúncia” para punição abusiva.

9. A sindicância mencionada por Veja reforça a tese da defesa da ex-presidente de que não houve “intenção clara dos investigados em beneficiar Dilma Rousseff”.

10. Veja dá cores de denúncia ao que é sanha de um governo usurpador, tomado pelo objetivo de perseguição política e de diversionismo dos escândalos de corrupção do grupo no poder. Devia era explicar as aposentadorias precoces do presidente ilegítimo e de seus associados.

11. A revista também não cumpre a exigência fundamental do jornalismo isento, ao deixar de procurar a defesa da ex-presidente ou sua assessoria de imprensa. Não há desculpas ou explicações que justifiquem a parcialidade e o proselitismo político da revista.

12. Esse é o retrato dos nossos tempos, em que a democracia se mantém sufocada pelos interesses inconfessáveis de uma elite insensível ao bem-estar da população e ao respeito dos direitos democráticos, como a liberdade de imprensa.
 
 
ASSESSORIA DE IMPRENSA DILMA ROUSSEFFFF.

19.8.17

O PT vai seguir lutando pelo povo



Em propaganda na televisão, Gleisi Hoffmann deixa claro em que luta ela e o PT estão. Também deixa claro o lado da justiça no Brasil, que está naquele jogo de “pesos e medidas”. Enquanto vão tentar se safar, o PT vai trabalhar para que os mais necessitados tenham emprego decente e que possam conquistar seus próprios salários.

“O filho de uma desembargadora pego com quilos de droga foi solto, já Rafael Braga preso em 2013 com um desinfetante continua preso. Rafael é pobre. Temer foi liberado pela Câmara e seu assessor com uma mala de dinheiro, foi solto. Um senador com gravações comprometedoras foi liberado pelo senado. Eles defendem os ricos, já Lula que defende os pobres e é perseguido e condenado sem provas a justiça não é igual para todos no Brasil.”

O grito de indignação dado pela senadora está disponível na internet e faz parte de uma peça de propaganda do Partido dos Trabalhadores.

A mídia brasileira não tem mais qualquer compromisso com os fatos.


 A passagem de Lula pela Bahia tem sido marcada por uma sucessão de emocionantes explosões populares, multidões ansiosas por ao menos tocar seu líder, quando não consegue abraçá-lo. Foi assim no metrô de Pituaçu ao Campo da Pólvora, assim na Fonte Nova. Assim em Cruz das Almas, onde a estupidez de um vereador só fez crescer a população cheia de admiração e esperança que o aguardava, sobretudo os funcionários, estudantes e professores da UFRB. Assim em São Francisco do Conde,  naquela fantástica universidade negra e intercontinental. Estou agora, em Feira de Santana, vendo à minha frente milhares de trabalhadores e trabalhadoras, bonés e camisas avermelhando o horizonte, bandeiras e faixas alegrando essa grande festa política, corações cheios de esperança, a esperança encarnada na figura de Lula, incontestavelmente a maior liderança política e popular que o País produziu. O que tornou este homem uma figura quase mítica, quase mística, cuja popularidade só faz crescer por mais que as classes dominantes o ataquem, tentem destruí-lo. Ele, não obstante, está num lugar onde esse ataque não alcança, não tem condições de alcançar: o coração do povo brasileiro. As classes dominantes nunca entenderão isso. Muito menos a mídia, que ignora solenemente esse emocionante abraço que a Bahia Alfaiate, a Bahia Malê, a Bahia do 2 de Julho, a Bahia de Waldir Pires, de Wagner, de Rui Costa, dá nesse extraordinário líder do povo brasileiro. Lula lá!

Por Emiliano José.

Com anúncio da vinda de Lula cinco mil pessoas se filiam ao PT/Bahia em apenas um mês.

O PT/Bahia conquistou aproximadamente quatro mil novas filiações neste mês. Além disso, mais de 1600 pessoas entraram com pedido de filiação ao partido, totalizando mais de cinco mil pessoas. “A população baiana sempre teve uma relação muito forte com o PT, mas a gente acredita que este grande número (3.883 filiações e 1643 solicitações) num curto período, é fruto do anúncio da vinda à Bahia da nossa maior liderança, o ex-presidente Lula”, avalia o secretário de organização do partido, ” Elio Santana.
Ele lembra que a população baiana elegeu e reelegeu o petista Jaques Wagner no primeiro turno. Com relação à Dilma, a presidenta foi a mais votada na eleição de 2014, no segundo turno, em 416 dos 417 municípios baianos.

Além disso, o partido continua governando o Estado já que Rui Costa se elegeu, a exemplo de Wagner, também no primeiro turno nas eleições de 2014. Para completar o PT elegeu as maiores bancadas federal e estadual.  “Com estes novos integrantes, o PT da Bahia atinge mais de 100 mil filiadas e filiados, ” comemora Elio Santana.


Por Marival Guedes l ASCOM PTba

18.8.17

Psol de Sergipe solta nota de apoio a Alexis Pedrão.


Acusado de articular agressões ao ex-presidente Lula quando este estivesse na cidade de Lagarto no estado de Sergipe, Alexis Pedrão nega o fato e tem solidariedade do seu partido, o Psol. Ele informa que o print que está circulando nas redes sociais é falso e não pertence a ele.
Leia a integra da nota:
O PSOL em Sergipe vem por meio da presente nota prestar total apoio e solidariedade ao camarada e militante do PSOL Alexis Pedrão, diante da tentativa de criminalização do camarada a partir da MENTIROSA nota veiculada em diferentes portais de notícias e redes sociais, de uma suposta ameaça ao Lula durante a vinda deste ao estado de Sergipe.
Acreditamos que essa calúnia representa uma resposta desesperada e criminosa de alguns setores políticos contra nosso militante que sempre expos de forma respeitosa as divergências políticas em torno do projeto de conciliação de classe tocado pelo governo petista durante seus 14 anos à frente da presidência do país. Projeto esse que abriu espaço para o atual cenário político brasileiro, a partir do golpe construído pelossetores mais reacionários da política brasileira. Afinal, Temer não caiu na presidência de paraquedas, o mesmo fez parte da política de aliança construída ao longo desses anos entre o PT e o que há de mais reacionário na política brasileira.
A arma do PSOL e do camarada Alexis Pedrão não é o ódio ao PT, mas a crítica ao projeto defendido pelo mesmo. Alexis não alimenta o ódio da direita reacionária, mas não se furta à crítica aos que jogam na lama as lutas e a memória de milhares de lutadores e lutadoras que morreram para defender um país justo, soberano, livre das amarras do capital. Se não houver lugar na sociedade para a crítica, para o debate franco e honesto, para a emergência das contradições para transformar a realidade dos explorados, só restará a tirania. Seria esse o sentido da criminalização ao camarada Alexis por pessoas que se escondem para não assumir publicamente o seu real objetivo?
O PSOL também entende que o ataque ao camarada Alexis, faz parte de um processo de criminalização e perseguição das figuras públicas, tão bem respeitadas em nosso país.Talvez aí esteja o desespero.
Mas de nada adiantará plantar calúnias, criminalizar militantes, pois o trabalho de base não vai parar, a luta nas ruas, a organização nos movimentos sociais e sindicais, são caminhos sem volta. Nosso território é o da organização e luta, sempre, pois acreditamos que SÓ A LUTA MUDA A VIDA.
Portanto, se quiserem colocar a cara na rua, lá nos encontrarão para fazermos um rico e importante debate a partir da base dos trabalhadores e desempregados para estruturar um projeto de esquerda alternativo para o país. Esse é o compromisso de Alexis Pedrão e do PSOL. Acreditamos que esse seja o melhor caminho para construirmos um outro país, um pais e um mundo socialista, sem explorados e exploradores.

Militante do Psol em Sergipe faz ameaças a Lula.


Está circulando nos grupos de conversas no whatssap de Sergipe um print com uma conversa de alguém identificado como “Pedrão”. No texto ele diz “tá confirmado” a chegada do ex-presidente em Sergipe. E é contestado por outra pessoa de que não seria pelo aeroporto e sim de ônibus.

O rapaz incita que teria que ser o outro e não ele a cometer o atentado. “Vai ter que ser VC”. O seu interlocutor rebate e diz, “ “a menina lá não quis não? E se der merda? Os petralhas mandarem me prender?”. E Pedro Alexis pede para ele relaxar e avisa que está “indo aí combinar”.


Nós mandamos entramos em contato com  Alexis para confirmar se as ameças são mesmo feitas por ele, mas até o momento não recebemos respostas e seu telefone só dá na caixa postal. Ele é filho de Sonia Mary, presidente do Psol em Sergipe.

Gleisi Hoffmann, a mulher no coração do povo.


Ela comanda o maior partido de esquerda das Américas, e enfrenta de cabeça erguida os ataques que vem sofrendo pela justiça. E avisa que vai provar a sua inocência. Essa é a Senadora do Estado do Paraná que desde ontem, até o dia 05 de setembro, comanda a Caravana Lula Pelo Brasil.

Advogada, se tornou no último PED – Processo de Escolha Direta, em eleição direta realizada pelo Partido dos Trabalhadores, a primeira Presidenta da legenda. Ela já foi Ministra-Chefe da Casa Civil no primeiro Governo de Dilma Rousseff, entre 2011 e 2014. Essa mulher de ferro é casada com Paulo Bernardo, ex-ministro das comunicações do Governo Lula.

Ontem, 17, acompanhou o ex-presidente Lula e o Governador da Bahia Rui Costa na visita que fizeram ao Metrô de Salvador. Lá ela pôde ver e sentir a calorosa recepção feita pelos funcionários da obra. Surpreendidos com a presença das autoridades, os trabalhadores pararam os serviços e foram se juntar a Gleisi e Lula. Passado o primeiro momento junto ao povo baiano, a Senadora disse que, “o primeiro dia já superou minhas expectativas”. Ela se referiu ao carinho do povo. “Mal podíamos andar! Muita, muita gente na estação”.

À noite, durante o evento de lançamento do "Memorial da Democracia" e do livro "Comentários sobre uma sentença anunciada", após ter seu nome anunciado para compor a mesa, Gleisi foi recebida por uma multidão gritando, "No meu partido... eu boto fé! Porque ele é presidido por mulher!".

Essa mulher, que comanda um Partido que é atacado diariamente pela grande imprensa, é hoje a fiel escudeira da legenda. É ela quem tem a grande responsabilidade de conduzir a militância pelos caminhos da democracia, e de coordenar a próxima campanha eleitoral que poderá levar de volta ao palácio do planalto Luís Inácio Lula da Silva.

Gleisi é mais do que um belo rosto! É nela que estão depositadas as esperanças de um partido plural. É nela que a militância encontra ressonância para o enfrentamento diário da luta política. E por onde ela passa nessa caravana ouve-se o seu nome gritado por populares. Ela definitivamente caiu nas graças da militância e do povo.


Vida longa a Gleisi Roffmann  

Tá na internet: O REENCONTRO DE LULA E "LULINHA".



Everton Conceição Santos tinha apenas 7 anos quando foi ver o então presidente Lula inaugurar casas populares em Lauro de Freitas (região metropolitana de Salvador), em 2006.


Diante da multidão no local, driblou os adultos até que um vizinho decidiu erguê-lo sobre o ombro.
Foi quando ele se aproximou de Lula. O momento foi registrado pelo fotógrafo Ricardo Stuckert.

Desde então, Everton é conhecido como Lulinha.



Hoje (17), em Salvador, 11 anos depois daquela foto, Everton reencontrou Lula.

E como disse o fotografo do Presidente Ricardo Stuckert, "essa foi a foto da foto".


Foto: Ricardo Stuckert.

Por temor de ser preso, ACM Neto atira contra segurança.

Coincidência ou não, logo após ter o pedido de prisão requerido pelos vereadores de oposição à sua gestão em Salvador, o prefeito ACM Neto começou a críticar a Segurança Pública na Bahia. Neto teme que a queixa crime impetrada contra ele junto ao Ministério Público por obstrução da justiça se transforme em uma decisão judicial pela sua prisão. 

Ao invés de atirar contra a segurança pública e chegar ao desplante de pedir a saída do secretário da SSP, Neto deveria, como prefeito, fazer a sua parte nessa área. Salvador não tem programas de proteção voltado para os jovens, principal vítima da violência. A prefeitura nada faz na promoção do primeiro emprego, no fortalecimento de políticas públicas de esporte, cultura e lazer pra juventude.

Segurança é um desafio nacional. Todo o Brasil convive com o aumento da criminalidade. Na Bahia, para enfrentar o problema, o governador Rui tem reforçado e aparelhada as polícias civil e militar. Há poucos dias, anunciou um novo concurso público para contratar 2 mil policiais, além da convocação para o trabalho administrativo de outros 2 mil militares da reserva. Neto, ao contrário, só faz críticas, sem cumprir seu dever de casa enquanto prefeito da capital. 

Robinson Almeida.

Conhecer o Brasil é conhecer sua gente. (Por Paulo Pimenta)

Fiquei com uma dúvida cruel durante dias: devo ou não acompanhar o presidente *Lula* na sua histórica caminhada pelo Nordeste? Acompanhei Lula na caravana da agricultura familiar, ainda no século passado, no RS, e as lembranças são até hoje motivadoras e inesquecíveis. 

De lá pra cá muita coisa aconteceu, e jamais imaginaria eu, naquela oportunidade, que viria a ser deputado federal, reeleito sempre, e sendo o mais votado do PT em todas últimas eleições no RS. Acompanhei muito de perto seu governo e compartilho com vocês meu orgulho por muito que fizemos em todo Brasil, especialmente por aqueles que mais precisam. 

Fui deputado nos governos da Presidenta Dilma, fui seu líder na Comissão de Orçamento, e junto com vocês sofri as agruras do golpe. Jamais desistimos de lutar para tirar esse governo corrupto e ilegítimo, anular o golpe e reconquistarmos a democracia. No entanto, os tempos são duros e difíceis. Muito difíceis! 

Eu tenho agendas no RS, tenho questões familiares, enfim, razões várias para não ir ao Nordeste. Falei com Lula esta manhã. Todos sabem de minha admiração e carinho por ele, além de nossa relação política. “Você me abandonou Pimentinha”, disse ele, em tom de brincadeira séria, para abrir nossa conversa. Eu rapidamente respondi: “Jamais presidente, jamais”.

Tomei a decisão que me pereceu mais acertada, depois de falar com Lula, e decidi me integrar à histórica coluna pelo Nordeste. Daqui a muitos anos, lembraremos destes tempos sombrios e em meio a fogueiras (opa, mesas de bar) e contaremos nossas histórias, deste capítulo ímpar das nossas trajetórias, onde  mais do que nunca, procuramos dar o melhor de cada um, em defesa da democracia e do Estado de Direito. 

É na vida do povo, corajoso, alegre e sofrido do Nordeste que recarregaremos nossas baterias. "Conhecer o Brasil é conhecer sua gente". Aprendi com Lula essa lição, que procuro exercitar em todos os momentos da minha vida. 
Levarei um abraço de todos(as) e espero retornar mais forte e preparado para luta em defesa da democracia e do nosso projeto. 

Paulo Pimenta - Deputado Federal PT/RS.

Lula. (Por Emiliano José)


Pensando na força desse homem.

Nada o afasta do compromisso com os trabalhadores, com os pobres, com a juventude, com os desvalidos.
Nada.

As classes dominantes, ciosas de seus privilégios, o caçam como um cão danado.
Seus feitores gritam cheios de raiva atrás dele.

E ele segue.

Sofre, como não sofrer, quando tanto tormento mata sua Marisa.


Quando perseguem seus filhos, netos.

Não verga, não obstante.

Maiores são os poderes do povo.

Que importa o meu destino?

Ele diz isso toda hora.

Disse ontem durante o apaixonado, delirante abraço que recebeu de tanta gente em Salvador.

Nós o compreendemos, mas retrucamos: importa e muito.

Lula é um sinal luminoso, uma estrela a clarear esse tempo temeroso, sombrio, tempo de canalhas descomprometidos com o destino da Nação e de seu povo.

O Brasil precisa dele, esperança de uma terra em transe.

Lula lá!

Por Emiliano José.

Pixuleco toma porrada e saí fugido da Bahia.


Ontem, 17, na cidade de Salvador, o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva foi recepcionado por uma multidão de simpatizantes. Ele visitou o metrô da cidade acompanhado do Governador da Bahia, Rui Costa.

Durante sua passagem pela cidade alguns manifestantes do MBL - Movimento Brasil Livre, colocaram o boneco conhecido com Pixuleco. A imagem mostra uma caricatura de Lula vestido de presidiário. Mas o boneco não durou 30 minutos em pé. Assim que foi descoberto, militantes Petista, em sua maioria mulheres, partiram para cima e o rasgaram todo, além de darem uns empurrões naqueles que apareceram para gerar notícia negativa a Caravana Lula Pelo Brasil.


Em Salvador Lula participou dos lançamentos do "Memorial da Democracia" e do livro "Comentários sobre uma sentença anunciada", que contou com a participação de um grupo de advogados que contesta a condenação feita pelo juiz Sérgio Moro contra o Petista.

17.8.17

CHEGA. (Por Leandro Fortes)

Um país onde o Judiciário se presta a proibir uma pessoa - qualquer pessoa - de receber uma homenagem de uma universidade precisa, urgentemente, de uma intervenção civilizatória.
Porque essa decisão de um juiz da Bahia de proibir que a Universidade Federal do Recôncavo Baiano homenageie Lula não é apenas um ato abominável de autoritarismo e de exceção.
É um sintoma claro e indiscutível de que nosso sistema judiciário está doente, apodrecido, dominado por uma casta togada contaminada por um tipo de ódio absolutamente incompatível com a democracia e o Estado de direito.