9.11.21

"Pinacoteca do Beiru" promove oficinas, performances, leituras, conversas e apresentações de NOV/2021 a JAN/2022 no MAM-Bahia

Atividades integram o ‘Programa de Residências Artísticas do MAM-Bahia’

A Pinacoteca do Beiru (pinacotecadobeiru.art) está ocupando Galeria 3 do Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-Bahia) de novembro/2021 até a primeira semana de janeiro/2022. Trata-se do ‘Programa de Residências Artísticas do MAM-Bahia’ que convida grupos e coletivos para ocupar o museu. A Pinacoteca atua com o compartilhamento de projetos artísticos e troca de saberes no bairro do Beiru, em Salvador, e foi inaugurada este ano (2021) pelo artista plástico soteropolitano, Anderson AC, juntamente com a produtora cultural Juliana Freire.

As atividades da Pinacoteca no MAM incluem visitação ao ateliê montado no museu com o artista trabalhando, convidados com performances, leituras públicas, aulas, oficinas, incluindo até uma apresentação de música jamaicana e DUB, além de rodas de conversa envolvendo música da diáspora. “A proposta é que o público acompanhe e participe dos processos da programação, pois a residência se utiliza do formato de ateliê aberto, no qual os artistas e convidados compartilham seus processos criativos do dia a dia no museu”, explica o curador do MAM-Bahia, Daniel Rangel.

Segundo Rangel, além da Pinacoteca, planejam-se outras residências com o ‘Acervo da Laje’, coletivos e grupos que atuam na Bahia. “Essas são ações artísticas que geram impacto social; a ideia é que o MAM se torne catalisador para que essas propostas ganhem mais visibilidade e a partir da troca com equipe e público do museu, se desenvolvam ainda mais artisticamente”, conclui Daniel.

BEIRU, PERFORMANCE TEATRAL e LIVRO – De acordo com Anderson AC a Pinacoteca realiza atividades artísticas, lúdicas, de cidadania e formação cultural no Beiru. “Neste ano (2021) conseguimos abrir o espaço para a comunidade e bairros adjacentes, totalizando cerca de 100 moradores – entre adultos e crianças – que reconhecem e frequentam a Pinacoteca como ponto de respiro voltado às artes nessa região”, diz Anderson.

Segundo relatos, o nome Beiru refere-se ao escravo de origem yorubá, Gbeiru, que teria habitado essa área no século XIX e que depois reuniu escravos e libertos no local. Hoje, 86% da população do Beiru se autodenomina afrodescendente (dados UFBA).  “E nesse mês do ‘Novembro Negro’ teremos uma programação que dialoga com essa afrodescendência”, complementa a produtora cultural da Pinacoteca, Juliana Freire.

PERFORMANCE – Além da visitação gratuita ao ateliê de Anderson no MAM (terça a domingo) e das 'Oficinas de Arte para Crianças' que acontecem nos dias 21 de novembro, 5 e 19 de dezembro, a Pinacoteca promove no próximo domingo (14), às 15:30h, uma performance teatral e leitura do Livro 'Para Desgraça - uma quarta para não esquecer' com o ator e dramaturgo baiano, Leno Sacramento, integrante do Bando de Teatro Olodum. O livro escrito por ele, relata uma abordagem policial que Leno sofreu em 2018 na Avenida Sete de Setembro, em Salvador, quando levou um tiro e foi parar no hospital. O título reproduz a fala do policial que o atingiu.

Para mais informações sobre a residência da Pinacoteca do Beiru no MAM, acompanhe nossas redes sociais (instagram e facebook), acesse o site www.mam.ba.gov.br ou ligue para o telefone (71) 31176132 (9h às 12h e das 13h às 15h). O MAM funciona de terça-feira a domingo com entrada gratuita. A exposição ‘O Museu de Dona Lina’ e a residência da Pinacoteca ficam abertas à visitação de 13h às 17h. O café, cinema Saladearte e os pátios de 12h às 20h. O MAM-Bahia é um equipamento da Secretaria de Cultura/IPAC.


Em 08.11.2021, Assessoria de Comunicação – MAM

Geraldo Moniz de Aragão (1498-mte.ba)

 geraldomoniz.mam@gmail.com, 071 99102.7394


Foto MAM: Paulo Tosta.

Nenhum comentário: