29.7.17

PARA ONDE CAMINHA NOSSO PAÍS? (Por Dep. Airton Faleiro)


Tinha me preparado para dar um tempo, neste recesso do mês de Julho, sem publicar matérias sobre política, mas não foi possível. Pois considero que as últimas medidas do atual governo são  agressivas  demais para ficarmos calados.

Se faz necessário lembrar que estes que estão no poder agora aformavam que tira a Dilma e o PT do governo seria a solução para todos os males do Brasil, inclusive para enfrentar a crise financeira, para mim fica difícil engolir este aumento do combustível que equivale ao aumento de imposto, pois vai rebater no bolso do consumidor, não apenas na compra do combustível e, sim, no aumento dos demais produtos impactados pelo aumento do combustível.

Para a tristeza do povo brasileiro, o que vemos é  um governo desacreditado e que não passa segurança para investidores e para a sociedade. Um governo Que busca salvar seu mandato, mesmo que isto custe a quebra dos serviços públicos e da economia do país.
 
Infelizmente, não vejo saída a curto prazo (nem política e nem financeira). Sei que muitos  esperam que, diante das graves denúncias, o Congresso Nacional possa autorizar a apuração e o afastamento de Temer. Pelo que observo o congresso vai mante-lo. Isso deixa claro o novo pacto do consórcio golpista para tentar levar o governo Temer até o final.

Não observa-se mobilização suficiente da sociedade pelo "fora temer". Não condeno isso, pois imagino uma inteligência  subjetiva que analiza que tirar Temer e eleger um novo presidente por via indireta é  trocar seis por meia dúzia.

Penso que não teremos solução para crise financeira e política sem a eleição de um novo presidente com o voto do povo. Por isso, sugiro   que apostemos nossas fichas na última batalha desta guerra, que é  a eleição de 2018.

Sei que a vontade de uma grande fatia da sociedade é  pelo retorno de Lula, mas esta é uma batalha especifica: as esquerdas de tudo farão para assegurar o direito dele concorrer  à Presidência da República, em 2018, e os adversários da mesma forma, para impedir que ele concorra, pois não contam com uma plataforma e um nome que se apresente como alternativa para o caos instalado na política e na economia do Brasil. Caus esse que se agrava com eles no  comandando do país.

Por último, devo lembrar as reformas do atual governo, que passam pelo Congresso Nacional. Na minha opinião levarão, em curto  prazo, para um maior enriquecimento do empresariado e o empobrecimento  da classe trabalhadora. Portanto, teremos um desaquecimento da economia e do mercado de consumo em massa,  tendo como resultado o aumento do desemprego.

Dep. Airton Faleiro - PT-PA.

Nenhum comentário: