24.3.22

Rede Semiárido Forte vai impulsionar atuação de grupos produtivos de mulheres rurais

Ampliar a comercialização, otimizar custos e auxiliar na padronização e qualidade da produção de 25 grupos de mulheres apoiados pelo Governo do Estado, participantes do projeto Pró-Semiárido nos territórios Piemonte da Diamantina e Bacia do Jacuípe. Esse é o objetivo da Rede Semiárido Forte, lançada no último domindo (20/03), em Ourolândia, durante a Feira de Negócios e Tecnologia – Fentec Ouro.

A Rede irá agregar grupos de 12 municípios da região que trabalham no processamento de alimentos e comercializam pães, bolos, biscoitos, salgados, polpas de frutas, picolés, geleias, beijus, doces, sequilhos, dentre outros produtos fabricados a partir de matérias primas da agricultura familiar.

 “A criação da Rede Semiárido Forte vem para visibilizar ainda mais o trabalho que o Pró-Semiárido está fazendo com essas mulheres nas comunidades atendidas pelo projeto e que tem gerado renda, autonomia e novas perspectivas de futuro para elas e suas famílias”, explica Rejane Magalhães, coordenadora local do Pró-Semiárido.

O técnico em agroindústria do Pró-Semiárido, Marcos Andrade, falou o quanto a Rede irá impulsionar o trabalho dessas agricultoras. “A ideia é que a Rede funcione como solucionadora de problemas, atue na abertura de mercados e dê suporte aos grupos, ampliando a comercialização e a qualidade dos produtos”. Ele destacou ainda que a Rede irá aumentar a representatividade desses coletivos para a economia da região e a valorização da agricultura familiar. 

Somados os investimentos em capacitações, aquisições de equipamentos, fardamentos, barracas para comercialização, construção e/ou reforma de cozinhas comunitárias e agroindústrias de pequeno porte, o Governo do Estado já aportou mais de R$2 milhões destinados aos grupos produtivos de mulheres apoiados pelo Pró-Semiárido.

Durante o lançamento, foi formada a comissão que irá trabalhar na formalização da Rede e de uma cooperativa que estará vinculada a ela e irá atuar, especificamente, na comercialização dos produtos.

Para a agricultora Aline Silva do grupo Delícias do Quintal, a criação da Rede significa o acesso a recursos para produzir, para aumentar a produção, para acessar serviços e oportunidades. “A criação da Rede e da cooperativa vai facilitar a nossa participação em editais e chamadas públicas, o que vai mostrar a nossa capacidade e a nossa força. Vamos conseguir chegar em lugares, por exemplo, que a nossa associação não consegue chegar. Com a Rede e a cooperativa, a gente não pensa hoje somente no Delícias dos Quintais, mas na coletividade. Vamos caminhar juntos e crescer juntos. Nós vamos ganhar o mundo com nossos produtos.”

Monitora – Para auxiliar na gestão dos grupos, seja na aquisição dos insumos, controle de estoque, acompanhamento das vendas e do fluxo de caixa, a Assessoria de Monitoramento e Avaliação do Pró-Semiárido apresentou o Monitora. “O programa foi adaptado para atender às necessidades levantadas após pesquisa feita com essas organizações econômicas e tem o objetivo de auxiliar essas mulheres não apenas com a produção das receitas, mas em todas as etapas da gestão do grupo produtivo”, explicou Carla Ferreira, assessora de monitoramento e avaliação do Pró-Semiárido.

O Pró-Semiárido é cofinanciado pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR). 

Nenhum comentário: