8.5.17

Ninguém vai negar que o Brasil está despedaçado.

Economicamente despencando, politicamente destroçado e socialmente em frangalhos. 
Seja lá o que foi articulado contra o país, foi pior que um ataque à bomba. Os estragos foram do mesmo nível, mas se tivéssemos sido atacados, ao menos, estaríamos unidos. Uma outra hora falaremos sobre "guerra de 5a geração", agora minha pergunta é: de quem é a culpa por estarmos assim? 
Se eu perguntar para a direita a culpa é da esquerda. Se perguntar para a esquerda é da direita. 
No fundo, vão reclamar dos políticos e vão todos concordar "que o povo é burro". A direita já não gostava muito de "povo", a esquerda agora criou o péssimo "pobre de direita", também criminalizando o povo. O povo "não tem memória" e no Brasil temos a "impunidade", todos concordarão. 
Fazendo isto, direita e esquerda chegam à mesma conclusão, a culpa é, portanto, do povo. 
Mas isto é uma análise simplista. Dizer que "foi o povo que colocou os políticos lá" é muito raso. É imaginar que cada eleitor tem à sua disposição todas as informações sobre os candidatos. E isto é absurdo. 
O povo quando vai votar não sabe que o político A tem 18 processos eternos por corrupção. Não sabe que o político B é "patrocinado" pelas empresas x, y e z. O povo quando vai votar não sabe que o político B tem contas no exterior ou empresas e imóveis devedores do fisco. 
Aí, a pergunta muda. A questão é "por que o povo não tem estas informações?" E respondendo a esta pergunta saberemos onde estão os maiores problemas do Brasil:
Não temos informações primeiro porque temos um judiciário inefetivo, parcial, caro e desonesto. Se o judiciário brasileiro fizesse o seu papel, a corrupção diminuiria ano a ano. Vai olhar quantas ações acabam por "prescrição" (significa que o crime imputado ocorreu há tanto tempo que não cabe punição). Vai ver quantas ações voltam, inúmeras vezes, ao ponto inicial por "erros" de juizes e promotores. Vai ver quantas ações contra políticos são "sobrestadas" (paralizadas até ordem superior em contrário) por decisão de um "ministro x ou y". Vai ver quantas são julgadas improcedentes ou nem mesmo acolhidas pelo juiz, de imediato, sem nem começar direito. Nosso caríssimo judiciário atua na defesa dos mais ricos, e não raro os políticos estão entre os mais beneficiados. 
Isto encerra a questão? Não! De maneira nenhuma. 
Nosso judiciário poderia ser incompetente e argentário, poderia ser desonesto no todo (embora não seja) e ainda assim conseguiríamos avançar se tivéssemos uma mídia profissional e competente. 
O papel de fiscalizar os poderes (incluindo o judiciário) é da imprensa. Mas aí está o segundo problema do Brasil. Quando o político é do agrado da mídia o silêncio é completo. Você não sabe nem o nome da criatura se a imprensa não quiser. O Odebrecht pai (que mandou no Brasil de 1960 até 1990) falou sobre isto. Que ele achava estranho que a imprensa QUE SEMPRE SOUBE DE TUDO (palavras dele) agora se "escandalize" com a corrupção. 
Temos um grupo que tem por função fiscalizar (imprensa) e outro julgar a punir (judiciário). Ambos têm por função informar (vivem falando em transparência), mas não fazem. 
Não é preciso ser gênio para entender que o sentimento de impunidade vem porque os que deveriam punir, não punem. E a "falta de memória" do povo vem porque ele nunca foi informado ou relembrado do que era importante. Está vendo novela, futebol ou bbb. 
O judiciário prende pobre, preto e maconheiro. Pode olhar os dados sobre nossas cadeias. Gente com 5 gramas de maconha tá vendo o sol nascer quadrado. Meia tonelada de pasta base de cocaína em helicóptero, "não tem dono". 
A mídia te faz odiar A e amar B. Te mostra barquinho de A e te esconde contas em off-shore de B. Fala até dos filhos de A e nem um pio sobre a riqueza da irmã de B. Aponta o "absurdo" do almoço do político X, mas nem um pio sobre o roubo da merenda escolar que o político Y fez. 
Um dos melhores indicativos de desenvolvimento de um país é o grau de informação que a população recebe. No Brasil, você não sabe nem o que será votado amanhã, não sabe quem votará, não sabe o que pesa sobre o político X ou quem paga o político Y. Não sabe nem quanto ganham. 
Você não sabe de nada. Eles não te informam. Escondem e fingem que não veem ou não sabem. De tempos em tempos, te pedem para ir CEGO para as urnas, apertar nuns botões e fazer "democracia". Depois ensinam a direita a odiar a esquerda e vice-versa. Colocam a polícia para bater e espancar quem questiona e tudo fica como está. Todos continuam sendo chamados de excelências, todos continuam enriquecendo e nós brigando, um colocando a culpa no outro. 
Os verdadeiros culpados estão atrás das togas e das câmeras. Se eles fizessem os seus trabalhos o resto entraria no prumo.

Por Fernando Horta.

Nenhum comentário: