8.5.17

Governo lança linha de crédito do Banese entre as ações de combate à seca no Alto Sertão

O produto do Banese, denominado de “Custeio Pecuário - Programa emergencial de combate aos efeitos da estiagem”, objetiva atender às necessidades do ciclo produtivo da pecuária por um período de 90 dias, através do financiamento à aquisição de ração animal (forragem), água e verba para manutenção familiar. O valor total da linha de crédito é de R$ 20 milhões
O governador Jackson Barreto vai anunciar, nesta quarta-feira, 10, como parte das ações de combate à seca no Alto Sertão, uma linha de crédito do Banco do Estado de Sergipe (Banese) direcionada para os produtores rurais sergipanos localizados nos municípios atingidos pela estiagem. O produto do Banese, denominado de “Custeio Pecuário - Programa emergencial de combate aos efeitos da estiagem”, objetiva atender às necessidades do ciclo produtivo da pecuária por um período de 90 dias, através do financiamento à aquisição de ração animal (forragem), água e verba para manutenção familiar (custos operacionais). No mesmo dia, no município de Poço Redondo, o governador fará à entrega simbólica de material forrageiro destinado às localidades em situação de emergência.
O valor total destinado à linha de crédito é de R$ 20 milhões, oriundos de recursos próprios do Banese, e o público-alvo do produto abrange todos os pequenos produtores rurais dos municípios sergipanos que se encontram oficialmente em situação de emergência por causa da seca. A garantia da operação será feita através do aval solidário (grupo de três produtores) e o limite de crédito calculado de acordo com a capacidade de pagamento do produtor.
Para o presidente do Banese, Fernando Mota, a parceria entre o banco e o governo é importante porque beneficia diretamente os produtores sergipanos flagelados pela seca. “Os recursos que iremos injetar nessa campanha vão diminuir os impactos socioeconômicos causados nos municípios pela seca e contribuirão para movimentar a economia local, gerando emprego e renda na região”, ressaltou.
Conforme o secretário de Estado da Agricultura, Esmeraldo Leal, o governo tem trabalhado para diminuir o impacto da seca não apenas com ações pontuais, mas também com ações estruturantes e voltadas a todo o setor produtivo, como por exemplo, a linha de crédito do Banese e a legalização das queijarias. “A força-tarefa criada pelo governador para priorizar o semiárido sergipano entendeu que era importante a participação do Banese e o banco de imediato se colocou à disposição. Já sinalizou a liberação de recursos para a linha de crédito para as queijarias do nosso estado, que já são mais de 120 cadastradas pela Emdagro, e além disso, se comprometeu em apoiar toda a cadeia produtiva, inclusive financiando ração animal".
Clique aqui para ver a matéria completa.

Nenhum comentário: