11.5.17

Frases marcantes de Lula ontem no depoimento.

"O vazamento das conversas da minha mulher e dela com meus filhos foi o sr q autorizou". 
Lula espinafra Moro, q gagueja.

"o Dallagnol não tá aqui, eu queria o Dallagnol aqui pra me explicar aquele powerpoint"

"Há interesse de vazar, Dr Moro. Porque esse julgamento é antes pela imprensa"-Lula

"Eu não quero ser julgado por interpretações, quero ser julgado por provas."

"Foi o senhor que soltou o Yousseff, o senhor deve saber mais que eu".

"Hoje eu pensei que os meus acusadores iam mostrar uma escritura, um pagamento, alguma prova. Mas não tinham nada"

"Determine que a Polícia Federal devolva os iPads dos meus netos. É uma vergonha. Está desde de março do ano passado".

"e se lula não tiver cometido o crime que dizem que ele cometeu? o problema da mentira é que não dá para voltar atrás"

"Eu queria lhe avisar: se esses q me atacam tiverem sinais de que serei absolvido, prepare-se: os ataques ao senhor serão até mais fortes" (Lula a Moro)

"Primeiro, presidente não manda prender. Presidente não prende ninguém, a não ser em regime autoritário" (respondendo a pergunta do Moro sobre a seguinte frase que teria sido dita por Lula: ""Se eles não me prenderem logo, que sabe um dia eu mando prendê-los pelas mentiras que eles contam").

"Vamos, com todo o respeito, tomar cuidado com as declarações.
O sr. sabe da mágoa profunda que eu tenho do vazamento das minhas conversas com a minha mulher. Profunda".

"Estou vivo e me preparando para voltar a ser candidato".

"Não sei se o Sr. tem mulher, mas nem sempre elas dizem pra você o que vão fazer".

Tá na Internet.

Um comentário:

Cícero disse...

Essa implacável perseguição a Lula, protagonizada sobretudo pelos procuradores fanfarrões da lava-jato, que tentam - sem prova alguma -, incriminá-lo a qualquer custo, já deixou de ser apenas perseguição e se transformou numa obsessão doentia. Uma cruzada do mal contra o ex-presidente com o único objetivo de impedir que ele se candidate e, mais uma vez, seja eleito presidente do Brasil.

Todo o ódio das elites fascistas contra o Lula se deve ao sucesso do seu governo. Imaginavam que um ex-metalúrgico não tinha "capacidade" para governar um país. Enganaram-se redondamente. A aprovação do presidente Lula foi fantástica: 85% dos brasileiros julgaram ótimo o seu governo. Isso fez intensificar o ódio que as elites político-jurídico-midiáticas já nutriam contra Lula. Então, a partir da vitória da presidenta Dilma em 2014, esses fascistas, instigados pela Globo e movidos por sua aversão doentia aos pobres, começaram a uivar contra Lula e Dilma, como animais raivosos a expelir seu babo de ódio pelos cantos da boca. E quando perceberam que não poderiam vencê-los por meio do voto popular, então passaram a tramar o Golpe.

Com o Golpe em curso, a democracia deu lugar à tirania, e pelas mãos dos usurpadores caminha o Brasil para dias ainda mais difíceis e sombrios.

Direitos e garantias constitucionais já não vigem mais. Pessoas estão sendo condenadas e presas sem o devido processo legal. Pessoas estão sendo arrancadas dos seus lares e levadas coercitivamente para Curitiba sem que tenham sido previamente intimadas e com base apenas em delações, sem prova alguma que as incrimine.

“Prende-se para investigar, prende-se para fragilizar, prende-se para forçar a confissão e, por fim, prende-se para desgastar, subjugar, ameaçar e forçar a colaboração premiada”, conforme escreve o Professor Cezar Bitencourt (pós-graduação/PUC- RS).

Como se não bastasse, segue a grande Mídia bombardeando com calúnias, injúrias e difamações o Lula, 24 horas por dia, num ataque covarde e brutal, sem precedentes na história recente do país. Mas não conseguirão destruir a sua biografia nem degradar sua memória porque seus feitos e conquistas, enquanto presidente, já estão registrados de forma indelével na História.

Devassaram a vida do Lula e, até agora, cerca de três anos de investigação, não encontraram nada que pudesse incriminá-lo. O juiz inquisidor do Paraná transformou seu gabinete num tribunal de exceção e passou a julgá-lo de forma abusiva e arbitrária, sem o devido processo legal, julgando e condenando ao arrepio da Lei, sem provas e sem pudor, baseado apenas em "convicções".

Somos o Povo, somos a força mais poderosa de uma República democrática, e nesse momento de seguidas e patentes agressões aos mandamentos da Constituição Federal, temos não apenas o direito de resistir, mas também a obrigação de lutar, pacificamente que seja, pela restauração da Democracia, pelo restabelecimento da ordem social, pela reconquista da liberdade, pela reassunção da JUSTIÇA.

Não podemos aceitar calados que o país continue dirigido por esse governo golpista que aí está governando o Brasil sem ter sido eleito pelo povo, sem ter sido submetido ao escrutínio popular. Se não lutarmos pelos nossos direitos agora, amanhã poderá ser tarde demais. Os canalhas que aí estão no Poder, movidos por suas ilimitadas ambições, tais quais vampiros insaciáveis, sugarão até a última gota do nosso sangue, dos nossos direitos, da nossa dignidade, dificultando nossa luta diária pela sobrevivência, destruindo nossos sonhos e solapando nossas esperanças.

Querem calar a nossa voz, mas não conseguirão.

Vale aqui, por oportuno, lembrar Maiakovski, poeta russo, que escreveu:

“Na primeira noite, eles se aproximam e colhem uma flor de nosso jardim, e não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem, pisam as flores, matam nosso cão e não dizemos nada.
Até que um dia, entram em nossa casa e rouba-nos a lua,
e conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta,
e porque não dissemos nada, já não podemos dizer mais nada”.