Dimas Roque: Comprovada fraude na pesquisa Datafolha que favorece Serra.

18.4.10

Comprovada fraude na pesquisa Datafolha que favorece Serra.

Contra a tendência revelada por vários institutos de pesquisa de opinião, que indicavam o crescimento de Dilma e a estabilização de Serra, o Instituto Datafolha, do grupo Folha de S. Paulo, decidiu bancar a discrepância sob uma chuva de críticas.

Primeiro, publicou uma pesquisa colocando Serra 9 pontos à frente de Dilma, agora publica outra aumentando a diferença para 10 pontos percentuais. Isso depois do instituto Sensus ter revelado um empate entre os candidatos.

Antes eram suspeitas, agora são comprovações de que o Datafolha anda fraudando pesquisas. No TSE estão as provas. Na pesquisa de fevereiro o Datafolha aplicou entrevistas em 18 bairros da capital paulista. Na pesquisa de março, o Datafolha elevou a pesquisa para 71 bairros da capital paulista. Muito estranhamente não aumentou o número de bairros no Rio de Janeiro e Belo Horizonte. O critério passou a ser político. Rio e BH passaram a ter menor importância na pesquisa Datafolha.

Os analistas estão dizendo que o Datafolha “anabolizou” a pesquisa em SP para favorecer Serra.

Dá para entender. O eleitorado da capital paulista é 1,8 vezes maior do que o da capital fluminense. Pela proporção, se o Rio teve 10 pontos de coleta de rua, São Paulo deveria ter 18 pontos de coleta. Foi assim que o Datafolha achou apenas 4% de diferença entre Dilma e Serra.

Não mais que de repente, na pesquisa de março, o Datafolha aplicou, anabolizou, a coleta de amostra de São Paulo para 71 bairros. Mas, no Rio e Belo Horizonte manteve os mesmos 10 bairros. Então, a partir desse artifício – eu chamaria de fraude – aumentou a diferença para 9% a favor de Serra.

Onde está o truque? O truque está na manutenção do número de coleta no Rio e Belo Horizonte. No Rio, pela mesma proporção da capital paulista, a pesquisa deveria coletar entrevistas em 39 bairros, em Belo Horizonte deveria saltar para 15 bairros.

O Datafolha vai argumentar que o tamanho da amostra em São Paulo não quer dizer nada, porque os resultados finais são ponderados de acordo com os dados do IBGE. É apenas uma meia verdade, pois uma pesquisa "bem feita" em São Paulo, e "mal feita" no Rio de Janeiro e Minas Gerais, afeta os resultados de toda a região sudeste e do Brasil.

Além disso, qual é a explicação para um estatístico "anabolizar" a amostragem justamente na cidade de São Paulo, onde José Serra tem índices muito melhores do que no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte? É inexplicável que um estatístico escolha fazer esse plano de amostras desbalanceado.

O Datafolha mudou caladinho a metodologia no meio do jogo. É uma fraude. Não se pode mais comparar o resultado de fevereiro com o de março. É uma verdadeira lambança.

Os aloprados do Datafolha terão muito o que explicar à Justiça Eleitoral.

Os aloprados da Folha de São Paulo estão incorrendo em crime eleitoral.

O site “Os Amigos do Presidente Lula” publica até a relação de cidades “anabolizadas” pelo Instituto Datafolha.


Por Oldack Miranda.

Um comentário:

030953ja disse...

Eu não sei se o próprio paulista tem este senhor sem nenhuma graça como preferência. Não sei o que ele fez de concreto nos governos que passou neste chove não molha. A única que eu conheço é uma lei proibitiva: a anti fumo. O transito não faz mal, os infindaveis congestionamento, mortes violentas, os alagamentos também não. Como governador inaugurou uma maquete e 60 km do rodo anel, a ultima, tem até morte de envolvidos nesta obra, que faz parte do plano decenal de São Paulo, vem desde Malluf.