7.3.22

Conheça o Ori Coiffeur, salão de beleza onde se cuida da cabeça!

Estreia no próximo dia dia 9 de março, quarta-feira, às 20 horas, com exibição gratuita no canal do Youtube Ori Coiffeur,  o primeiro episódio da websérie baiana “Ori Coiffeur”, criação e produção 100% baiana que marca o trabalho conjunto de três empresas que atuam na área de cultura : a Toca Criações Artísticas, de Danilo Cairo, a Trielétrica, de Edvard Passos e a Sujeito Filmes, de Heraldo de Deus.

“Ori Coiffeur”, também marca a estreia de Edvard Passos na direção de um produto audiovisual de ficção e tem como cenário o salão de beleza de Nêga (José Carlos Jr.) e Ninha (Danilo Cairo), localizado num bairro popular de Salvador. Mas este salão de beleza não é um salão de beleza como os outros. Nele, os donos têm como propósito de vida transformar as cabeças soteropolitanas por fora e por dentro. As cenas foram gravadas no salão de Léo Santos, no Alto do Saldanha, em Brotas.

No episódio de estreia, intitulado “Bárbara Queen”, serão abordados os diversos tipos de violências sofridas por pessoas LGBTQIA+ no Brasil, sempre buscando uma perspectiva progressista - e debochada - da criação de uma nova e necessária mentalidade. Por isso, farão participações especiais como “clientes do Ori”, Shay Rizzo (Drag Queen e cantora) interpretando ela mesma, o ator Vitório Emanuel, no papel de Cleópatra, além do próprio diretor Edvard Passos, no papel do Tenente Amós.

Com o lema "uma cabeça de cada vez", os donos do salão, Nêga e Ninha irão receber, em cada episódio, clientes que irão lá não apenas para tratar dos cabelos, mas para cuidar da cabeça como um todo. E lá, no “Ori Coiffeur”, desde os principais acontecimentos do país até os problemas pessoais mais íntimos serão debatidos, numa espécie de “atendimento-debate” onde todas estas questões são postas na mesa.

“Ori Coiffeur” é uma homenagem à luta e resistência do soteropolitano e da soteropolitana, em especial às pessoas pretas e gays. É uma resposta à crescente necessidade de revelar as verdadeiras e heroicas narrativas contemporâneas de nossa gente e sua luta constante para sobreviver a um processo histórico de profunda opressão e crueldade, que gerou uma enorme desigualdade em nossa sociedade”, declara Edvard Passos, criador e diretor geral do projeto.

 

Quem é Nêga

Devoto de Iansã, Nêga sempre teve a responsabilidade de cuidar dos irmãos e de sua amada mamãe, matando um leão por dia. Eis que o destino conspirou a favor e Nêga finalmente encontrou seu caminho  no projeto Tête Parfaite, do Conexão Paris, que o selecionou para treinamento na capital francesa.

Após um ano de muitas experiências fora do país e uma significativa mudança no seu olhar sobre o mundo, Nêga recebe a notícia da complicação do quadro de saúde de sua mãe. Ele volta imediatamente ao Brasil determinado a cuidar dos seus, abrir seu negócio - o salão “Ori Coiffeur” - e disposto a transformar as cabeças soteropolitanas por fora e por dentro.

 

Quem é Ninha

Ninha é maquiador, cabelereiro e o braço direito de Nêga dentro do Ori Coiffeur. Fiel escudeiro, é um funcionário que ajuda a resolver todas as questões profissionais e pessoais que surgem dentro e fora do salão. Tem uma relação de aprendiz e mestre com Nêga por quem tem grande admiração e respeito. Os dois se conheceram quando Ninha ainda era muito pequeno.

Nêga salvou a vida de Ninha quando o carregou nos braços nos anos 80, em pleno Mercado de São Miguel, diante do risco de um  acidente com a queda de um engradado de cerveja. Os estilhaços dos vidros atingiriam a criança, mas Nêga se colocou na frente, sendo ferido nas costas. Ninha é um homem cis, gay, festeiro, livre e apaixonado pela vida, pelas festas, pelo carnaval e também por baladas de música eletrônica.

 

Cleópatra

Ator consagrado nacionalmente, Vitório Emanuel interpreta “Cleópatra” no episódio “Barbara Queen”. Cleópatra é, além de cabeleireira, uma Drag Queen. É concorrente de Nêga e Ninha, mas é amiga de ambas. Sobre a participação na websérie Vitório Emanuel diz que está honrado em poder fazer parte do projeto, que discute os problemas por que passam as pessoas LGBTQIA+, ao lado de atores brilhantes e sob a direção de Edvard Passos.

 “Ori Coiffeur” é uma webserie aberta a discussões. O salão de beleza é um verdadeiro palco para se debater qualquer assunto. A gente começou a falar das minorias, mas pode falar de qualquer coisa, do cotidiano, da vida, da violência contra a mulher, contra os negros, da guerra, da covid. É uma tribuna aberta!”, declara o ator.

Sobre a personagem Cleópatra, o diretor Edvard Passos revela que foi inspirada no amigo da família Elírio Costa. “Elírio é uma das pessoas mais importantes da minha vida. É um grande amigo de minha mãe. Uma daquelas pessoas capazes de carregar uma família inteira nas costas. É muito solar e sempre cuidou de todas as pessoas à sua volta, em especial, a mãe dele. Ele inspira a série Ori Coiffeur toda, em inúmeros aspectos. É uma homenagem de minha parte a uma pessoa que amo e admiro muitíssimo e é uma das grandes referências que tenho na vida”, declara Edvard Passos, que conta que Elírio o salvou quando ele era criança, fato que está na cena de abertura da série, onde um homem se faz de escudo humano para proteger uma criança. “Aconteceu de verdade com Elírio me protegendo, no mercado de São Miguel, pois minha primeira morada foi a Baixa dos Sapateiros”, revela ele.


Shay Rizzo

Cantora, Miss Subúrbio Gay, repórter do @periferiadesucesso, Drag Queen que abala ao vivo e a cores, mas também em videoclipes e afins, Shay Rizzo é uma das estrelas do primeiro episódio da websérie baiana “Ori Coiffeur”,  onde ela interpreta ninguém menos do que ela mesma, Shay Rizzo. “Fazer a mim mesma e não uma segunda persona, é de grande valorização pessoal e profissional”, afirma Shay, uma das clientes deste salão de beleza especial.

 

Estampas de Alberto Pitta

Artista plástico consagrado internacionalmente, Alberto Pitta, a partir da sua profunda vivência dentro dos terreiros de candomblé (ele é filho de Mãe Santinha de Oyá) cria artisticamente e reinterpreta códigos e símbolos presentes nas religiões de matriz africana. E assim ele fez ao criar com exclusividade as estampas dos aventais e camisas usados pelos personagens principais da websérie “Ori Coiffeur”.

Desta maneira, os búzios são o elemento principal da estamparia dos aventais e camisas de Nêgo e Ninha. Os búzios conectam na mitologia ioruba o Aiê, mundo físico, com o Orum, o mundo espiritual. Com os búzios estampados nas suas vestes Nêgo e Ninha ganham força para cuidar do Ori de seus clientes, de quem eles “fazem a cabeça”.

 

Música de abertura

Multi instrumentista, arranjador, produtor musical, cantor e compositor, Thiago Pugas, o Pugha, assina arranjo, produção musical e canta na música de abertura da websérie “Ori Coiffeur”. A letra foi criada por Edvard Passos, que é também o diretor geral do projeto e a música é uma parceria da dupla Pugah e Edvard.

Para Pugha o trabalho para a websérie despertou seus sentidos e o despertou para os tipos de falar que fazem o povo baiano ser diferenciado. “Trabalhar na trilha me fez aguçar  os sentidos e ouvir o som que o nosso gueto tem. Me fez desbravar rumos que me levaram a entender o tamanho da força que temos no nosso Ori, que temos na nossa cultura, que temos na nossa favela”, revelou o artista.

 

O salão de beleza

As cenas de “Ori Coiffeur” foram gravadas no salão de Léo Santos, no Alto do Saldanha, em Brotas. O salão se tornou a locação perfeita para a websérie, pois além do seu visual incrível, também compartilha do mesmo propósito: fazer a cabeça por fora e por dentro. Ou seja, ratar da estética e das ideias. "cortar o cabelo no salão de Léo, eu como ir a Nova York, no Brooklin. É uma experiência de qualidade internacional", afirma Edvard Passos.

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura (Prêmio Cultura na Palma da Mão/PABB), via Lei Aldir Blanc, redirecionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

 

Realização: Toca Criações Artísticas, Trielétrica e Sujeito Filmes

@edvardpassos

@danilo_cairo

@heraldodedeus


Ori Coiffeur – ficha técnica

Criação da série e direção geral - Edvard Passos

Direção de produção – Danilo Cairo

Roteiro do episódio – Edvard Passos, Heraldo de Deus, Danilo Cairo e José Carlos Júnior

Coordenação audiovisual – Heraldo de Deus

Fotografia – Mamba Negra

Som – Marise Urbano

Produção executiva – Bergson Nunes

Drone – Amós Costa Silva

Montagem – Lucas de Jesus

Música – Thiago Pugah

Projeto gráfico e redes sociais – Anderson e Luca Falcão

Maquiagem – Daiara Ferreira

Cabelos – Léo Santos

Projeto de figurino – Fernanda Araújo

Estamparia – Alberto Pitta


Elenco

José Carlos Júnior – Nêga

Danilo Cairo – Ninha

Shay Rizzo – Shay

Vitório Emanuel – Cleópatra

Silara Aguiar - bombeira Raio de Luz

Edvard Passos – tenente Amós

Eric Luz – Nêga jovem

Joaquim Cazé – Ninha criança

Heraldo de Deus – carregador Bobô


Por: Doris Pinheiro.

Nenhum comentário: