10.2.22

Cortes de aves defumadas é mais um produto inovador da agricultura familiar da Bahia

Direto do Baixo Sul para a capital soteropolitana, a Associação de Biojoias, Pesca e Agricultura em Ituberá (ABPAGI), que tem sede no município de Ituberá, lançou no mercado mais um novo produto da agricultura familiar baiana, os cortes de aves defumadas. Sem química, natural, fácil de preparar. Basta esquentar e está pronto para ser servido.

Com valor agregado, o produto possui o Selo de Identificação dos Produtos da Agricultura Familiar (SIPAF) e pode ser encontrado nas versões frango desossado, meio frango, frango normal, rocambole de frango com bacon e a codorna temperada.

O produto foi lançado em dezembro de 2021, durante a 12ª edição da Feira Baiana de Agricultura Familiar e Economia Solidária, realizada pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), em Salvador. No local, foram vendidos 500 quilos de cortes de aves e realizados diversos contatos com estabelecimentos comerciais, que demonstraram interesse em aderir à comercialização do produto. Atualmente, as vendas são feitas por encomendas pelo telefone (73) 99807-8752.

O presidente da ABPAGI, Domingos Conceição, afirma que as vendas estão um sucesso. “Estamos vendendo para estabelecimentos da região, para clientes da capital e do interior e já estamos com algumas propostas pelo estado. A previsão é de fechar grandes contratos e que a gente aumente em até 18% a receita neste ano de 2022”.

Segundo Domingos, a associação tinha um projeto de galinhas caipiras e muitos associados que criavam os animais resolveram agregar valor ao produto. “O frango era vendido sem abater e não cobria os custos com ração. Reformamos o local de abate, colocamos nos padrões sanitários e conheçamos a produzir os defumados”.

O projeto do Governo do Estado, Bahia Produtiva, já investiu mais de R$1,8 milhão na ABPAGI, para a implantação de uma unidade de Fabricação de Artesanato de Piaçava, com foco em biojoias e similares, aquisição de máquinas e equipamentos para o beneficiamento da fibra e do coco da piaçava, além da aquisição de barracas padronizadas, para a exposição dos produtos em feiras e eventos e de um veículo utilitário, para escoar a produção.

Os recursos também foram destinados para o desenvolvimento da piscicultura. Além disso, as 150 famílias beneficiadas pelas ações do projeto recebem assistência técnica e extensão rural (Ater), por meio do Serviço de Assessoria a Organizações Populares Rurais (Sasop), empresa contratada pelo Bahia Produtiva, e também por meio da Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater/SDR).

O Bahia Produtiva é um projeto executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), e cofinanciado pelo Banco Mundial.

Nenhum comentário: