19.7.17

MORO ESTÁ VIRANDO O PALHAÇO DA CORTE, RIZÍVEL E DESMORALIZADO. (Por Francisco Costa)


Sobre a ação de agravo de declaração, impetrada pelos advogados de Lula, o circense artista de Ânusritiba (sei que você pensou em palhaço, mas me referi a mágico, dada a sua capacidade de fazer sumirem provas contra tucanos e tirar do nada provas contra os petistas, embora dublê de sofrível palhaço também) comparou a situação de Lula à de Eduardo Cunha.

O sujeito é ridículo e de juiz só tem os exorbitantes salários e as benesses e vantagens do cargo, que só mantém pela cumplicidade golpista do STF e CNJ.
Será que ele acha semelhantes também as quadrilhas de Temer e da APAE?
Quanto a Lula e Eduardo Cunha...

Cunha tem várias contas no exterior, comprovadamente, movimentadas por ele e a mulher, Cláudia, absolvida por Moro, por falta de provas (depois a madame pediu a Moro o repatriamento da grana), a única conta atribuída a Lula e Dilma, por Joesley Machado, não tinha a titularidade no nome de nenhum dos dois, que nunca a movimentaram (e nem poderiam, assinar como?), com a denúncia culminando com o desmentido do próprio autor do delírio.
Cunha foi denunciado, apontado, dedurado... Com provas, por diversos delatores, enquanto Lula... Inocentado por todas as testemunhas, 83, entre as de defesa e as de acusação.

Contra Cunha abundam documentos, a começar pelos extratos bancários de contas secretas, enviada pelo Ministério Público suíço.
Contra Lula... Um contrato de promessa de compra e venda, sem as assinaturas do vendedor (OAS) e dos compradores (Lula e Dona Marisa) e com uma rasura grosseira, mostrando o amadorismo da força tarefa, que “plantou” o documento, onde Moro é o chefe, como Temer, Cunha, Marcola e Beira Mar, profissionais das farsas e trambiques.
Na redação da sentença, mais de noventa por cento do primário e linear português gasto por Moro não expôs um veredicto, como exige o Estado de Direito, mas justificativas do justiceiro, já que a única peça acusatória foi a extra- oficial declaração de Léo OAS, depois de ter negado reiteradas vezes que Lula tinha alguma coisa a ver, só mudando de idéia quando o mafioso ameaçou centrar as baterias do arbítrio judicial sobre ele, condenando-o à prisão perpétua.

Qual é então a semelhança entre Lula e Cunha, senão na argumentação política deste golpista togado, vira latas do império, o que o faz, pela manipulação e pela venalidade, um Cunha no Judiciário?

Por Francisco Costa.

Um comentário:

Ronilda disse...

Seria tão bom se fosse lido no congresso de ratos e ratas.