1.8.17

Para a deputada Teresa Leitão, falta liderança no governo Paulo Câmara.

A Deputada estadual por Pernambuco, Teresa Leitão, do Partido dos Trabalhadores, está em seu quarto mandato consecutivo na Assembleia Legislativa. Ela atualmente preside a Comissão de Educação e Cultura. E tem atuação como titular nas Comissões de Constituição, Legislação e Justiça, e de Defesa dos Direitos da Mulher; e como suplente nas Comissões de Finanças, Orçamento e Tributação e de Ciência e Tecnologia, além de ser vice-líder da bancada de Oposição.

Entre seus projetos de lei, destacam-se os que deram origem às mudanças na lei do direito do aluno, apoio ao idoso, fomento da economia solidária, meia-entrada para servidores da educação e cultura, semana estadual da criança e adolescente, criação de estacionamentos para bicicletas em empresas privadas e órgãos públicos, escola em tempo integral, combate à violência contra a mulher, dentre outros. A deputada também foi representante da Alepe no Conselho Estadual da Economia Solidária e no Conselho Estadual da Alimentação Escolar, além de ter presidido a Frente Parlamentar da Criança e do Adolescente.

Teresa Leitão é Formada em Pedagogia pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) em 1975, Teresa iniciou sua militância no movimento sindical em 1984, como diretora da Associação dos Orientadores Educacionais de Pernambuco (AOEPE). Em 1993, Teresa chegou à presidência do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe). Em 2002, sua candidatura à deputada estadual surge como uma exigência de educadores e estudantes, ansiosos por uma voz no Poder Legislativo do Estado. Teresa Leitão é atualmente a presidenta do Partido dos Trabalhadores (PT) em Pernambuco.
 
Blog: A Senhora está no quarto mandado como Deputada Estadual, qual o segredo para esse sucesso?

Deputada Teresa Leitão: Muito trabalho e muito foco. E a linha da coerência e da transparência, da qual não tenho me afastado. Além da base social que acompanha o mandato. Eu acho que esse é o segredo do mandato. A manutenção da base social bem representada. Fazendo do mandato um instrumento de representação política. E isso tem ajudando bastante o nosso trabalho.

Blog: A senhora é opositora ao atual governador, Paulo Câmara, o que impediu de estarem juntos por Pernambuco?

Deputada: Eu me elegi como Deputada de oposição. Sou Vice-líder da oposição. Fui até pouco tempo Presidenta e Vice do PT de Pernambuco, que faz oposição. Então, eu tenho que ter coerência com a política que nos colocou no lugar que estamos hoje. Além disso eu tenho críticas políticas e administrativas ao governo em relação a área de educação, que é de onde eu venho. Que tem muitos gargalos. E embora seja uma área bem avaliada pela sociedade, entre os gargalos eu destaco a falta de valorização dos trabalhadores da educação. O governador se elegeu prometendo dobrar o salário dos professores e não vai fazer isso. Ele paga o piso de uma forma distorcida, porque paga e não vincula a carreira como manda a Lei. Já na área da segurança pública eu não preciso nem falar que é um caos. A área de recursos hídricos também está muito carente de intervenção. E os movimentos sociais, a relação com os servidores carece de uma liderança maior do governador. Ele apesar de ser a maior liderança pelo cargo que ocupa, ele não tem coordenação e liderança. Há muitas divisões no governo e isso tem prejudicado o estado como um todo.

Blog: Essa falta de comando do governador Paulo Câmara é o que está influenciando as últimas pesquisas de intenções de voto, que o coloca como provável derrotado nas próximas eleições?


Deputada: Eu acho que reflete! Mas eu acho que é muito mais os erros na política. Porque quem tem maquina na mão, quando chega perto de eleições sempre dão um “Plus”. Nós estamos vendo se esforçando nesse aspecto administrativo, mas não está correspondendo. O que eu acho que a população sente é uma certa insegurança em relação aos rumos do governo. Isso de fato prejudica a implementação das políticas públicas, prejudica a relação do conjunto dos servidores e não dá a sociedade a segurança para o reeleger. Eu acho que esse conjunto de fatores tem de fato se refletido nas pesquisas. Sábado (29), eu estive em Caruaru e vi que a situação das estradas é muito deficitária, que nós conseguimos ver pessoalmente o problema delas. Fora a segurança pública, a saúde, a educação a recursos hídricos como já falei antes e que estão por merecer a atenção do governo e não sei se nesse ano e meio que lhe resta ele vai fazer.
Blog: A executiva estadual já decidiu que não fará coligação com o atual governador nem com o PTB do senador Armando Monteiro e que terá candidato próprio. Se a data da escolha do nome fosse, quem seria seu candidato a governador de Pernambuco pelo PT?
Deputada: Primeiro vamos deixar bem claro, o que o PT decidiu foi ter candidatura própria, mesmo porque o PT não pretende sair sozinho. O PT vai fazer alianças com partidos que estejam se colocando contra o Golpe e contra as medidas do Golpe. Por isso que a aliança com o PSB é difícil, porque o PSB apoiou o Golpe! Com o PTB também. Porque está apoiando as medidas do Golpe! Essa foi a linha que o nosso Presidente Lula pontuou como pré-candidato à Presidência da República para as alianças. Porém, com outros partidos que se alinhem a esse projeto nacional nós podemos discutir. E quais são eles? O ritmo do processo brevemente vai dizer. Tem a construção de nomes até o final deste ano para que no encontro eleitoral tenhamos um nome consensual e ao mesmo tempo com um programa de governo que será apresentado e construído com a sociedade. Hoje dentro do PT só tem um nome que abertamente se coloca à disposição do Partido e que tem agregado positivamente com outras forças, que é o nome da Vereadora do recife, Marília Arraes.
Blog: Ela conta com o seu apoio?

Deputada: Conta! Eu tenho por tradição apoiar todas escolhas do PT. E acho que nesse momento o PT precisa de uma candidatura própria e este nome é o que está despontando e tem que ter agregado em torno de si muitos apoios. O que precisa é se tornar uma candidatura verdadeiramente competente. Hoje, 31, eu já vi uma declaração do Prefeito Luciano Duque de Serra Talhada, dizendo que ela é a candidata dele. Dialogar com prefeitos com vereadores, muitos já declararam apoio e ter o consenso interno de toda a Direção do partido.

Blog: O Presidente Lula este mês, vai sair mais uma vez em Caravana pelo Nordeste. Como a Senhora vê essa passagem pelo Nordeste na atual conjuntura política?

Blog: Eu vejo a passagem dele com extrema alegria, com muita satisfação. É aqui que ele tem índices retumbante de aprovação, é a terra dele e o vamos conversar e ouvir. Ele começa pela Bahia e chega aqui no dia 24 e fica o 25. Hoje, 31, está acontecendo uma reunião com a Direção nacional e os Presidentes estaduais e de capitais, para decidirem estrategicamente essa agenda. Deve ser Recife e uma visita a Suape e cidades do interior. Esse conjunto de ações, roteiro e estratégias da Caravana tá sendo definido na reunião de hoje. Amanhã, com a chegada do presidente estadual, ele deverá trazer o que foi definido, com as sugestões que Pernambuco levou com coordenação dessa caravana.


Nenhum comentário: