Dimas Roque: Militantes petistas consolidam Movimento OPTEI durante encontro em São Paulo

3.12.16

Militantes petistas consolidam Movimento OPTEI durante encontro em São Paulo

Os militantes petistas das correntes internas Esquerda Popular Socialista (EPS) e Novo Rumo consolidaram, durante debates do seminário político neste final de semana, o Movimento OPTEI – que busca mudar a gestão do partido no país se aproximando dos movimentos sociais, sindicais e populares. A atividade na capital paulista debateu ainda a conjuntura e organização para o 6º Congresso do PT, que acontece em abril de 2017. Os petistas também encaminharam a construção de uma comissão nacional para dialogar com outras forças que também desejam fazer a movimentação de disputa do PT em novos marcos. “Criamos uma comissão que construirá a política a ser apresentada durante o congresso do ano que vem e temos uma linha de defesa ao ex-presidente Lula”, salienta o deputado federal Valmir Assunção, um dos nomes da EPS na Bahia.

Para o grupo de políticos da Bahia, um breve resumo das ações impopulares de governo de Michel Temer (PMDB) foi o bastante para iniciar uma resolução interna com diretrizes para os embates políticos de agora em diante. “O ajuste sem precedentes que está sendo executado pelo governo federal exige uma resposta à altura das organizações sociais e dos partidos progressistas”, pontua Assunção, ao lado do membro da direção nacional do MTST, Guilherme Boulos, e da direção nacional do MST, João Paulo Rodrigues. O senador carioca, Lindbergh Farias (PT), um dos nomes para assumir a presidência do PT nacional, esteve no seminário e fez uma intervenção relacionada à luta contra a PEC 55 no Senado e manifestação organizada para o dia 29, sobre como as políticas apresentadas pelo governo golpista só irão aumentar a recessão e o desemprego. 

“A direita não tem projeto para o Brasil, não pensa o Brasil enquanto nação e, por isso, que os ataques ao PT têm chegado a níveis absurdos”. Na avaliação de Farias, “a direita sabe que só o PT tem condições de reorganizar o estado brasileiro, garantindo direitos sociais, educação, saúde, emprego e renda”. Para a secretária de Movimentos Populares do PT na Bahia, Danielle Ferreira, foi com a ajuda do poder econômico, de setores da mídia e do judiciário, “ que o governo ilegítimo está cumprindo o papel de algoz de direitos sociais dos trabalhadores brasileiros”. 


“Através de medidas como a emenda constitucional que congela por 20 anos os gastos públicos, e a proposta de reforma da previdência - que deve ser apresentada ainda este ano, o golpista do Temer tenta cumprir a sua parte no acordo espúrio com a elite econômica, que resultou no impeachment de Dilma”, completa Ferreira. As duas tendências do PT apontam que o partido não pode perder a legitimidade como protagonista na oposição. Para os petistas, é preciso ter coragem de realizar uma ampla revisão na forma de financiamento de suas campanhas eleitorais e reafirmar a defesa incondicional do financiamento público. 

Nenhum comentário: