1.8.17

O UNIVERSO PARALELO DA CLASSE MÍDIA. (Por Zuggi lmeida)


A teoria da existência de universos paralelos é apresentada como uma realidade auto-contida em separado, coexistindo com a nossa própria. Esta realidade em separado pode variar em tamanho de uma pequena região geográfica até um novo e completo universo, ou vários universos formando um multiverso. 

A classe média brasileira decidiu viver num mundo paralelo à realidade nacional. Esse estrato  criou uma bolha onde imagina estar isolada  do cotidiano ou dos fatos que afetam seu modo de vida.

Para esse nível intermediário da escala social que há pouco tempo atrás ocupava as praças e sacadas batendo panelas em protestos contra a corrupção, o Brasil de hoje não existe. 
A classe média não está interessada em saber que a  corrupção que ela  tanto combateu ocupa a ordem do dia.
Não está  preocupada  com a perda dos direitos trabalhistas, nem com o aumento do desemprego, dos preços dos combustíveis, da elevação dos impostos, com o crescimento da pobreza, e acima de tudo com o caos político do governo golpista instalado no poder, no Brasil.

O universo paralelo onde a classe média escolheu para se esconder não lhe isenta de culpa e bem pior não lhe permite entender que foi usada por um outro vilão: o mercado.

O deus mercado com apoio da mídia fazendo valer seu poder financeiro  e o apoio do Judiciário fabricou o bandido da vez, escolhendo o PT, tendo Lula e Dilma como seus representantes. Foi criado um caos econômico gerado pela suposta corrupção e pela incompetência administrativa petista. A classe média engoliu a pílula.

As raízes do ódio ao PT foram plantadas e irrigadas diuturnamente pela imprensa. A classe média alimentou-se desses frutos e ainda hoje digere a ojeriza em admitir o retorno de Lula ao poder.

A questão nunca foi ideológica, mas mercadológica. O capitalismo neo-liberal precisa estabelecer os seus espaços distintos e assegurar seus ninchos de lucros. O desmonte social no Brasil é parte da estratégia de estabelecer novos ambientes econômicos propícios ao capital global. O governo Temer é apenas um dos meios facilitadores para instalação das companhias estrangeiras no território nacional.

A mídia parceira dos interesses gringos apenas usou a classe média conservadora como uma inocente útil para pavimentar a aliança com o capital internacional e garantir a ordem financeira e o progresso dos lucros.

No universo paralelo onde ela habita, a classe mídia brasileira está muito mais preocupada com a votação da constituinte venezuelana.

Por Zuggi lmeida.

Nenhum comentário: