6.10.21

Osmar Prado: “Lula é aquilo que o Capitão gostaria de ser e jamais será”


O Brasil é servido de grandes atores e atrizes. Um deles é o Osmar Prado de tantas personagens maravilhosas que interpretou e um dos mais populares foi o “Tabaco” na novela “Roda de Fogo” da TV Globo que tinha três mulheres ao mesmo tempo. Assunto inovador para aquele momento que o Brasil vivia e se tornou um “Herói Nacional”.  Mas, como me contou em entrevista, sua carreira profissional começou mesmo foi aos 10 anos de idade na antiga TV Paulista nas gravações da Telenovela “David Copperfield”.

Engajado nas causas sociais, ele lembrou durante a nossa conversa que foi uma antiga namorada que lhe fez abrir os olhos ainda na juventude para a política. E desde que isto aconteceu, a esquerda foi sempre o seu lugar presente. Foi um processo lento, como ele mesmo disse, “isto não se faz da noite pro dia”. É que no meio da comunicação de massa, ou você se enquadra ou você se torna uma pessoa indesejável quando pensa diferente dos patrões.

Por conta desse seu engajamento, Osmar disse que deixou de fazer algumas propagandas, o que lhe renderia um bom dinheiro a época da novela “Anjo Mau” onde fez casal com a atriz Pepita Rodrigues a pediu desculpas por ter a atrapalhado nos possíveis trabalhos que poderiam ter feito juntos.

Osmar se disse profundo admirador dos políticos progressistas, os que lutam por um país mais digno e menos desigual. Fã confesso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da ex-presidenta Dilma Roussef, o ator não economizou nas boas palavras para falar sobre os dois.

Ele esteve na cidade de São Bernardo dos Campos em São Paulo quando aconteceu a prisão de Lula.

“Ele sabia que seria preso e poderia ter pedido asilo e qualquer país o receberia”, disse Osmar. Mas também sabia que, sendo um animal político, Lula sabia que teria que ficar no Brasil, ser preso e provar a sua inocência, como de fato vem acontecendo em todos os processos de que foi acusado e tendo pago um altíssimo preço por isto.

Retirado da disputa presidencial por um complô envolvendo membros da justiça, políticos e possivelmente o envolvimento direto do Estados Unidos da América, Osmar viu, assim como todos, a eleição do Inominável, como ele bem definiu a presidência. E estamos vendo a entrega do patrimônio público a preço de banana de fim de feira aos Gringos por traidores da pátria.

Osmar ainda afirmou que “Lula é aquilo que o Capitão gostaria de ser e jamais será”.

No próximo ano teremos eleições para presidente, governadores, senadores, deputados estaduais e federais. Perguntado se colocaria seu nome na disputa, ele respondeu que “nunca”. Pois para ele, a função social que ocupada é para o entretenimento das pessoas e desde criança se dedicou a isto. Representar no teatro, no cinema e na televisão é o oxigênio de Osmar Pardo.

Vida longa a Osmar!

Nenhum comentário: