17.6.17

UM MUNDO SEM NEGROS. É POSSÍVEL?

Um grupo de brancos decidiu mudar-se para um mundo sem negro. Entraram por um túnel escuro para sair num novo lugar na América, onde qualquer traço do passado tinha desaparecido. Respiraram profundamente de alívio e exclamaram: ENFIM, NENHUM NEGRO!!!

Mas logo perceberam que esta nova América era somente uma terra árida e fértil. A boa agricultura sumiu, pois até então, o continente comia frutas, grãos e legumes, frutos do trabalho dos escravos negros nos campos.  Não tinha cidades com arranha-céus, pois Alexander Miles, um negro, inventou o elemento que garante a segurança dos elevadores. Sem tal invenção, não poder-se-ia subir de um andar para um outro.

Quase não tinha carros, pois Richard Spikes, um negro, inventou a transmissão automática.  Joseph Gammel, um outro negro, inventou o sistema de alimentação para motores combustíveis internos, e um outro negro Garret A. Morgan inventou o semáforo que regula o trânsito. Não se encontrava os trens expressos urbanos, tramway, pois seu inventor foi o negro Elbert R. Robinson. As ruas estavam sujas de lixo acumulado, pois Charles Brooks, um negro , inventou o varredor elétrico. Tinha poucas revistas e livros, pois o negro John Love inventou o apontador de lápis, o negro William Purvis inventou canetas esferográficas recarregáveis; e o negro Lee Burridge inventou a máquina de escrever, sem contar com o negro W. A. Lovette e a sua nova impressora. O negro William Barry inventou o carimbo manual e Phillip Downing outro negro, o caixa de correios. A grama era pálido e seca, pois o negro Joseph Smith inventou o regador mecânico, e o negro John Burr, o cortador de grama.

Quando entraram em suas casas, as acharam escuras, sem surpresa para nós, pois o negro Lewis Latimer inventou o filamento da lâmpada elétrica, o negro Michael Harvey a lanterna, o negro Grantville T. Woods o interruptor regulador automático. As casas estavam sujas, pois o negro Thomas W. Setwart inventou o esfregao/esfregona e o negro Lloyds P. Ray, inventou a pá de lixo. As suas crianças estavam descalças, com roupas amassadas e cabelos bagunçados, era de se esperar, pois o negro Jan E. Matzelinger inventou a máquina que dá forma aos sapatos, o negro Walter Sammons, ao 
penteador, a negra Sarah Boone inventou a tábua de passar/repassar à ferro e o negro Georges T. Samon o secador de roupas. Ficaram com fome e queriam comer, sem chance, pois comida estragou por faltar uma geladeira da invenção do negro John Standard.

Não é estranho, um mundo moderno sem as contribuições dos negros?

Como dizia o Martin Luther King. Jr., “ saibam que ao se preparar para sair até chegar ao trabalho, mais da metade das coisas que encontram e de aparelhos que usam, foram inventados por negros”.

Pessoal, tudo isso para ilustrar que a história dos negros não se resume só à escravidão como sempre nos levaram a pensar. 

Fonte: Fundação Cultural Palmares.

Um comentário:

Otelo Livraria disse...

É um plágio deste texto de 2007:
Já entrei em contato com o autor.