19.12.21

Picolés com frutas do Cerrado conquistam o público da 12ª Feira da Agricultura Familiar no Parque Costa Azul

Em forma de picolé, frutas do Cerrado como pequi, cagaita, mangaba, araçá, buriti, cascudo, jenipapo, murici, jatobá, cajuí e maracujá do cerrado, conquistaram o gosto dos visitantes da 12ª Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária, que segue até este domingo (19), no Parque Costa Azul, na orla de Salvador.

Toda a matéria-prima utilizada na fabricação dos picolés é produzida por agricultores familiares do município de Cristópolis. As frutas do cerrado se destacam por serem ricas em nutrientes e substâncias antioxidantes, mas são desconhecidas ainda pela maior parte da população.

Para o representante do Sabores do Cerrado, Bartolomeu Xavier, a expectativa de participação da feira é grande. "Estamos tendo boa saída dos picolés. Essa feira da agricultura familiar sempre tem público para a gente mostrar e vender nossos produtos e fazer bons negócios".

Quem aprovou o produto foi a diretora da Kianda Filmes, Adriana Feliciano. "Experimentei o picolé de pequi e achei delicioso, cremoso, consistente e tem um gosto diferente. Achei muito interessante, frutas exóticas. Me surpreendeu e gostei muito. Vou voltar com um isopor para levar para casa". 

Além dos picolés, os visitantes encontram produtos derivados de umbu, licuri, caju, cacau e mais de 1.500 produtos de 200 cooperativas e associações de todo o interior do estado que estão sendo comercializados na feira. Tem ainda tenda Quilombola, Indígena e de Flores e Artesanato, Vila Gastronômica, Parque Infantil, Cozinha Show e atrações musicais para toda a família. 

A 12ª Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária é realizada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), em parceria com União das Cooperativas da Agricultura Familiar (Unicafes), com o apoio das secretarias do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), Agricultura (Seagri), de Ciência, Tecnologia e Inovação, Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder) e do Banco do Nordeste.

Nenhum comentário: