Dimas Roque: Bolsonaro fez do seu discurso na ONU uma diarréia mental

25.9.19

Bolsonaro fez do seu discurso na ONU uma diarréia mental


Iniciou o espetáculo do horror com uma frase débil: “apresento aos senhores um novo Brasil, que ressurge depois de estar à beira do socialismo”.

O teatro fascistinha seguiu.

Veja esta acusação delirante de uma mente perturbada, mentirosa e ressentida: “em 2013, um acordo entre o governo petista e a ditadura cubana trouxe ao Brasil 10 mil médicos sem nenhuma comprovação profissional. Foram impedidos de trazer cônjuges e filhos, tiveram 75% de seus salários confiscados pelo regime e foram impedidos de usufruir de direitos fundamentais, como o de ir e vir. Um verdadeiro trabalho escravo, acreditem”.

E diante da própria ONU, concluiu o seu devaneio:

“respaldado por entidades de direitos humanos do Brasil e da ONU!”.

A mente do Bozo é semelhante a de um veterano de guerra atormentada por anos de conflitos. Trauma por qual Bolsonaro jamais passou! O capitão aloprado foi expulso do exército brasileiro e depois parasitou por 27 anos no Congresso Nacional. O problema dele é mal cataratismo, ignorância e uma profunda falta de inteligência.

Outra vergonha semelhante ao problema que enfrentamos em relação a Amazônia, foi a fala do Jair Mentira sobre este tema: “nossa Amazônia é maior que toda a Europa Ocidental e permanece praticamente intocada. Prova de que somos um dos países que mais protegem o meio ambiente”.

Prova de que Bolsonaro não é somente o imbecil do ano, mas do século XXI. Um presidente deste nível faz qualquer cidadão ter vergonha de ser brasileiro.


O discurso seguiu marcado de ódio, mentiras e manipulações no que diz respeito a soberania nacional, povos indígenas, política internacional e como não poderia ser diferente, deu aquela tradicional lambida de bota no patrão Trump. 

Vimos uma verdadeira aniquilação na reputação do Brasil e povo brasileiro mundo a fora. #Elenunca

Por: Josias Gomes - Deputado Federal (licenciado) do PT/Bahia e atualmente titular da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR).

Nenhum comentário: