Dimas Roque: Para onde caminha o Partido dos Trabalhadores em Paulo Afonso?

17.9.19

Para onde caminha o Partido dos Trabalhadores em Paulo Afonso?


Sérgio Ricardo foi reeleito no último domingo, (08), como presidente do Partido dos Trabalhadores no município de Paulo Afonso no Estado da Bahia. Cidade que elegeu em 1982 o primeiro vereador da legenda no Nordeste, Evandro Paiva, e elegeu um dos primeiros Deputados estaduais e Federais, Alcides Modesto.

Nascido das lutas sindicais dos trabalhadores do setor elétrico da Chesf – Companhia Hidroelétrica do São Francisco e dos estudantes secundaristas e universitários, o PT local já teve grande representação nos movimentos sócias. E é similar a luta que aconteceu para a criação do partido nacionalmente. Foram as greves operarias no ABC Paulistas, assim como aconteceu em Paulo Afonso, que surgiu um partido que representasse a classe trabalhadora. Hoje, após muita disputa interna que mais desagregaram que uniram, o partido busca encontrar-se com sua própria história de lutas.
A reeleição de Sérgio, para ele, não representa a continuidade daquilo que deu errado, mas o encontro do caminho que o partido nunca deveria ter deixado de seguir, já que as concepções que ele defende de organização partidária e de condução do partido, não mudou e permanece a mesma. “O PT precisa retomar com mais força a questão da organização, formação política com a militância, reuniões, debates”. Seriam estes três pontos que para ele, fazem do partido o mais democrático.

O presidente do PT também falou dos erros cometidos ao longo dos anos e que refletem a atual situação partidária. Para ele, “a partir do momento que o PT, em nome de fazer alianças, deixou de disputar a prefeitura de Paulo Afonso, seja por uma série de fatores, seja porque as condições não estariam dadas para disputar. Ou talvez por acreditar que só valeria a pena ir para a disputa com uma possibilidade muito grande de vitória”. Ele ainda disse que um partido que não disputa o cargo majoritário no município vai perdendo a referência. Talvez isto tenha ocorrido aqui na cidade.

Sérgio ainda falou da possibilidade do PT lançar um candidato ao cargo majoritário na próxima eleição para prefeito. Ele lembrou de nomes que poderiam muito bem estar sendo postos para a avaliação interna partidária. Um dos nomes foi o deputado estadual Paulo Rangel, que já tentou e não conseguiu obter êxito. Mas é o nome de maior expressão e que tem todas condições de pleitear a indicação. Citou ainda os nomes de Esmeralda Patriota, dirigente da APLB Sindicato local, Marileide Brasil, funcionária da Chesf e de Dimas Roque, blogueiro e ativista digital, além de outros nomes, que segundo ele, poderiam muito bem contribuir com o debate para a escolha de um nome do partido.

Ele lembrou que o partido errou quando algumas vezes se movimentou para fora do campo tradicional que é à esquerda, procurando forças políticas de campos adversários. “O PT precisa voltar a pleitear o município e a definir os rumos da política local. Precisa se constituir como uma força importante”.

Sérgio afirmou que acredita que o PT pode construir uma alternativa com um programa de governo democrático e popular. “Para além de um nome, o PT pode se apresentar como uma alternativa programática, política”. Perguntado se existe a possibilidade de apoio a um candidato de outra legenda, ele disse que primeiro teria que ser um candidato que tenha um programa de governo democrático e popular”. Para ele, o partido está aberto para dialogar com forças que abracem ideias os princípios democráticos. Isto, ainda segundo o presidente, “é fundamental”.

Atualizado às 10:20

O deputado Paulo Rangel nunca teve seu nome colocado como candidato a Prefeito de Paulo Afonso. O alerta foi dado ao Blog pelo ex-prefeito Zé Ivaldo em um grupo de bate papo no whatsaap quando surgiu a pergunta feita por Guthemberg Tenório - assessor de Ragel.

Na verdade Paulo Rangel foi candidato em 1992 a vice-prefeito na Chapa com Zé Ivaldo.

Nenhum comentário: