Dimas Roque: Em quem Galinho votou para presidente?

12.9.19

Em quem Galinho votou para presidente?



Em entrevista à rádio Angiquinho no programa Radar, o vereador Mário Galinho foi questionado pelo apresentador Ozildo Alves se estava satisfeito com o governo do presidente Jair Bolsonaro ou se já estaria arrependido.

Para o vereador o governo Bolsonaro não tem como ser avaliado positivamente. Isto porque, segundo ele, as prioridades que foram faladas durante a campanha eleitoral não estão sendo executadas e “quem votou tá bastante arrependido”, disse Galinho.
E surpreendeu a declaração dele ao falar que não fez campanha para nenhum candidato à presidência da república.

Galinho ainda disse que não concorda com o que o Governador Rui Costa vem fazendo na área da saúde no Estado. Só em Paulo Afonso ele implantou a Policlínica, autorizou a construção da UTI – Unidade de Terapia Intensiva que vai ser instalada no Hospital Municipal da cidade, participou das negociações para reforma e ampliação do Hospital Nair Alves de Sousa.

Parece que Galinho não leu a última pesquisa que dá ao Governador Rui Costa 80% de aprovação popular.

Atualização, 19:38.


O vereador Mário Galinho entrou em contato com o Blog e informou que a “regulação” a que ele se referiu na entrevista é a de UTIs – Unidades de Terapia Intensiva e não a da Policlínica que é de responsabilidade das prefeituras.

Segundo o CFM, através da Resolução CFM nº 2156 de 28/10/2016, são 05 (cinco) níveis de prioridade (o menor para pacientes menos grave, com alta probabilidade de recuperação, e o 05, em fase terminal, sem chance de reversão do quadro, que pode ter indicação de cuidados paliativos).  Vê­se, portanto, que  não  é  todo  e qualquer tipo  de  paciente  que  faz jus,  de  acordo  com  critérios  clínicos,  aos leitos  de  UTI, mas  somente  os pacientes classificados como de prioridade 02 e prioridade 04 é que necessitam de monitorização intensiva.

Cabe, portanto, ao médico do hospital fazer a classificação do paciente conforme sua prioridade e informar à Central de Regulação do SUS para que esta aloque o indivíduo, se for o caso, num leito de UTI.

Nenhum comentário: