Dimas Roque: Na encruzilhada com Moro

17.6.19

Na encruzilhada com Moro




Na encruzilhada com Moro

Alguém ainda lembra do interrogatório que Luís Inácio Lula da Silva estava dando em Curitiba ao então juiz da operação lava-jato e que, enquanto rolava a audiência vazava tudo o que estava acontecendo lá dentro?

Naquele dia, pelas imagens que tínhamos, os advogados do ex-presidente não usaram telefone dentro da sala. É visível que os outros que aparecem nas imagens também não tiveram acesso ao dispositivo móvel.


Mas, a imagem mostra o uso de dois computadores sem que nada seja visto do que está sendo feito neles. Então, partindo do jogo das hipóteses, temos duas a saber qual delas se confirma.

A primeira é a de que alguém estava repassando as informações para o Site de ultradireita “O Antagonista” por um dos computadores de dentro daquela sala. A segunda é que eles receberam antecipadamente as informações do que iria acontecer naquela sala. Nesta só há um problema: como eles sabiam a hora de postar cada coisa?
Porque digo isto?

Porque os vazamentos feitos pela lava jato naquele dia era quase que em tempo real. Aconteceram enquanto Lula estava sendo ouvido. E a não ser que criaram, e não estamos sabendo ainda, o tal do homem invisível, e ele esteve lá sem que ninguém o tenha visto, ou que Diogo Mainardi e sua turma tenham o dom de ouvir conversas a milhares de quilômetros de distância, outra hipótese não pode justificar o que aconteceu naquele dia.

Agora com a Operação Vaza-Jato que está ocorrendo através do Site The Intercept, nós estamos vendo de fato o que acontecia nos porões da justiça. A cada vazamento, em conta-gotas, se percebe que Lula, Dirceu, Vacari e a campanha do Fernando Haddad a presidência, não teriam a menor chance de obterem sucesso em suas defesas e na eleição. O jogo já estava jogado antes mesmo da partida começar.

Na verdade, Lula ao ir ser ouvido por Moro, não sabia, mas fizesse o que fizesse, não seria inocentado. Assim como na idade média onde os processos inquisitórios realizados serviam tão somente para justificar a pena já definida antes, o ex-presidente não teve e não tem um julgamento justo.

Pelo que já vimos das mensagens, provas foram plantadas, interrogatórios combinados entre juiz e promotores. E até a grande imprensa participou do maior escândalo jurídico de todos os tempos no Brasil.

Os malfeitos praticados por quem deveria primar por um processo justo, se não forem exemplarmente rechaçados e anulados, deixará todo o sistema jurídico brasileiro suspeito. E não adianta dizerem que as condenações dessas pessoas foram referendadas pelo TRF4 – Tribunal Regional da 4ª Região. Agora já se sabe que todos estão envolvidos, e até ministro do Supremo Tribunal Federal apareceu nas mensagens. O julgamento está eivado de vícios no seu nascedouro quando se imputou crimes a Lula sem que apresentassem uma só prova.

Ou a justiça volta a usar a Constituição do Brasil para fazer valer o que nela está escrito, ou a Democracia no país sairá de cena para a ditadura jurídico/midiática/militar. E isto não vai ser bom para ninguém.

Nenhum comentário: