13.5.20

Cancro (Por Leandro Fortes)



A partir das notícias que pululam, aqui e ali, sobre o vídeo da tal reunião no Palácio do Planalto, usada pela defesa de Sergio Moro para provar a ingerência de Jair Bolsonaro na Polícia Federal, pode-se afirmar, sem mais delongas, que o Brasil está sendo governado por fascistoides organizados em uma confraria de dementes, milicianos e golpistas.

Há ministros como Weintraub, o analfabeto que sugeriu a prisão dos ministros do Supremo Tribunal Federal, e Damares, a idiota da goiabeira que pediu a prisão de governadores e prefeitos, que se enquadram em mais de uma categoria. Mas são fichinhas diante da indigência moral do chefe.

Confirmadas as versões de fontes presentes à sessão de apresentação do vídeo, Bolsonaro tem feito das reuniões ministeriais verdadeiras sessões de hospício onde ele, um Napoleão de boca suja, vomita autoritarismo e estultices sobre uma plateia de chimpanzés adestrados para bater palmas e, se for ordenado, se lambuzar de merda e andar de quatro.


É tudo tão inacreditável que, sabe-se agora, Bolsonaro, além de ter forçado as mudanças na Polícia Federal para proteger os filhos bandidos, ameaçou usar as Forças Armadas para impedir a população de saber o resultado de seu exame de Covid-19. Aliás, a essa altura, ele nem precisa mais apresentar nada, porque resta apenas o óbvio ululante de que o presidente, irresponsavelmente, sabia estar doente e, mesmo assim, partiu para uma cruzada criminosa de contaminação coletiva, dentro e fora do governo.

Mas não é a revelação em si que apavora Bolsonaro. Como todo sociopata, ele não tem a menor empatia com o próximo, seja um general idoso, seja um de seus filhos abobalhados. Bolsonaro está morrendo de medo que seu patrão, Donald Trump, descubra que ele já estava doente quando, junto com uma comitiva de outros infectados, foi se encontrar com o presidente dos Estados Unidos, DENTRO da Casa Branca.

Trump, que tem por Bolsonaro o respeito que um leão tem por um rato, jamais vai perdoar uma desfeita dessa vinda de um empregadinho de quinta categoria.



Nenhum comentário: