16.4.17

Carta aberta ao Paulo Henrique Amorim.

Este tipo de crítica contra o Lula absolutamente fora de hora que o senhor publicou em seu blog Conversa Afiada que tem uma audiência invejável não ajuda em nada ao Lula, as nossas maiores empresas, ao PT, as esquerdas e ao Brasil que tanto você estima neste momento de luta contra o golpe. Quis-se assim vossa senhoria ajudar o Ciro, mas, digo que este não tem carisma algum e também compartilhou o poder com os golpistas quando ministro. Pode até ser honesto. Daí a vencer uma eleição tá difícil. Este tipo de analogia do seu blog Conversa Afiada diminui a resistência ao golpe e dá sobrevida aos que você chama de garotos de Curitiba, ao "imparcial" Moro, e aos quintas colunas em geral. Isto é um discurso para coxinha vê ouvir e aplaudir. Não é hora para sinceridismo. Há coisas que vossa senhoria ao qual rendo grande admiração pela grande capacidade e inteligência deveria entender. Lula precisou governar e o sistema já estava apodrecido quando ele chegou ao poder. Teve que governar e ajudar o país e os brasileiros como assim o fez mesmo diante dessas estruturas nocivas à ética e à moral já enraizada neste país há séculos. Um único homem não poderia mudar da noite para o dia a cabeça de centenas de poderosos, tanto no judiciário como na mídia como na política como no mundo empresarial. É um sistema complexo. Mas, ao longo dos seus mandatos tomou várias medidas para ao menos fiscalizar e tentar coibir certas práticas. Lula precisava da Odebrecht assim como precisou de outras grandes empresas nacionais para poder ajudar este país e tocar o nosso desenvolvimento. Entretanto, como visto em todos os processos expostos contra ele, nenhum enriquecimento ilícito pessoal dele se comprovou por isto. Não lucrou financeiramente com isto ao contrário do que fizeram a maioria dos imorais deste país. Ajudou o Brasil. Isto não é crime. Acreditar que a Odebrecht está falando 100% verdades é pequeno demais para a sua capacidade de discernir tão peculiar. Não há provas PHA! O que há nas declarações contra o Lula são suposições não concretas de quem está há dois anos sob tortura física e psicológica nas masmorras de Curitiba como vossa senhoria tanto gosta de referir. Não têm valia aquelas delações imprecisas, sem provas e visivelmente forçadas. E como ninguém é perfeito definitivamente você desta vez pisou feio na bola. Inoportuna a sua analogia. E os golpistas assim agradecem.

Diogenes Viana.

Nenhum comentário: