23.4.20

“Reitoria pro tempore ou intervenção? E agora, Univasf”



Esta quarta-feira, 22 de abril de 2020, representa um marco histórico para a Univasf. Foram retomados os fóruns tripartites e o Comitê Unificado. A reunião tripartite Unificada realizada com a participação de Docentes, Técnicos e Discentes dos Campi Petrolina Sede, Ciências Agrárias, Juazeiro, São Raimundo Nonato, Paulo Afonso, Salgueiro e Senhor do Bonfim ocorreu online. Com pauta única, “Reitor Pro Tempore ou Intervenção? E agora, Univasf?”, foram debatidos problemas vividos no momento atual na Univasf: vivemos sob um Reitorado pro tempore em meio à suspensão das atividades devido à pandemia no novo coronavirus (COVID-19). Foram destacados alguns pontos que serão avaliados pelos fóruns dos três segmentos – Docentes, Técnicos e Discentes - para possam decidir e dar encaminhamentos às reflexões e proposições.

Foi consensual a necessidade de fazer um cuidadoso acompanhamento de todas medidas adotadas pela gestão provisória que atentem contra as liberdades na Univasf, destacando-se a gravíssima retirada de faixa afixada pelo Diretório Central dos Estudantes no Campus sede. Este episódio precisa ser melhor esclarecido e a liberdade de expressão e de pensamento será defendida na Univasf. A faixa do DCE tem que voltar! Quantas faixas forem necessárias. E isso tem que ser debatido no CONUNI.


Tratou-se também da situação da volta de intensa movimentação no prédio da Reitoria, em que se observa grande trânsito de pessoas nos últimos dias sem EPI (Equipamentos de Proteção Individual) e o risco que essa ocupação traz para biossegurança das pessoas.

Também muito preocupante é a situação dos trabalhadores terceirizados que foram convocados a trabalharem normalmente, mas pela fala de alguns participantes da plenária sem EPIs. Essa situação precisa ser confirmada. Confirmada, não pode continuar. Sob risco de aumentar as probabilidades de contágio. A reunião tripartite também propõe a coleta e distribuição de EPIs, principalmente máscaras e álcool gel para os trabalhadores terceirizados. Além disso é preciso problematizar esta situação junto às autoridades devidas da universidade.

Em suas primeiras medidas o Reitor pro tempore dispensou toda a comissão interdisciplinar de combate ao novo coronavírus (COVID-19) e indicou outra em seu lugar com a participação de membro conhecido pelo negacionismo com relação ao impacto da pandemia e defensor do isolamento vertical como forma de evitar a rápida propagação do vírus.

Nenhum comentário: