17.4.20

Investigado, Aleluia deixa ministério da saúde junto com Mandetta




Aleluia não ficará no ministério da saúde após saída de Mandetta

Hoje, 17, o ex-deputado e aliado de primeira hora do prefeito de Paulo Afonso, José Carlos Aleluia, concedeu entrevista a Rádio Sociedade da Bahia. Durante a conversa com Adelson Carvalho, ele foi perguntado se continuaria assessorando o novo ministro da saúde, Nelson Teich. O Bolsonarista então respondeu que deixará o cargo de assessor que hoje ocupa.

O aliado de Luiz de Deus tem um histórico de polêmicas em sua vida política. Já foi acusado no escândalo dos Anões do Orçamento. A acusação era de que, ele participava de corrupção. É verdade, após choro público e jurar inocência, dizem que foi ACM Velho quem conseguiu retirar o nome como acusado da noite para o dia. Na época ficou-se sabendo de uma história escabrosa. “Magalhães teria aceitado livrar o correligionário Aleluia se em troca seu partido aceitasse liberar o conterrâneo Sérgio Guerra, que à época era filiado ao PSB”.


Agora, segundo a revista Veja, espiões da ABIN - agência brasileira de e militares do Exército estariam investigando o ex-ministro Mandetta e assessores. Dentre estes, Aleluia.
Aleluia também foi acusado na delação da Odebrecht de ter recebido caixa dois.

Com a demissão do ministro de Aleluia por Bolsonaro, a pergunta a ser feita é: Será que todas as promessas feitas pelo aliado Aleluia a Luiz de Deus para saúde do município de Paulo Afonso vão se concretizar?

Nenhum comentário: