16.2.21

Parceria entre cooperativas da agricultura familiar baiana coloca novo café gourmet no mercado

De olho em expandir mercado, cooperativas da agricultura familiar da Bahia vêm aumentando o leque de produtos a partir de parcerias com outras organizações produtivas.  É o caso da Cooperativa de Serviços Sustentáveis da Bahia (Coopessba), sediada em Ilhéus, no sul do estado, conhecida pela fabricação de chocolates veganos, com a marca Natucoa, que acaba de lançar um café gourmet.

O café gourmet Natucoa é uma parceria com a Moreno Torradores, marca que integra os cafés da Cooperativa de Cafés Especiais e Agropecuária de Piatã (Coopiatã), localizada no município de Piatã, na Chapada Diamantina.

O grão do Café Natucoa confere um sabor único, resultado de uma maturação mais lenta, feita na elevada altitude e no clima ameno de Piatã, que proporciona mais doçura ao café. A torra média traz notas de chocolate e caramelo. Os grãos são colhidos manualmente, torrados de forma artesanal, proveniente das mãos da agricultura familiar.

A presidente da Coopessba, Carine Assunção, afirma que cacau e chocolate têm tudo a ver juntos: “Trabalhamos com uma linha de chocolates veganos, mais intensos. É um público que, em sua maioria, consome um café de mais qualidade. Além disso, saborear um bom chocolate acompanhado de um café especial, com certeza proporciona um prazer único”.

O presidente da Coopiatã, Rodolfo Moreno, explica que tanto a Moreno Torradores quanto a cooperativa vêm trabalhando um processo de expansão das marcas: “Durante a pandemia, montamos um serviço delivery e começamos a ver a fluidez desses produtos na capital e no interior. Estamos levando o produto de Piatã para toda a Bahia. Iniciamos a parceria com a Natucoa, agregando ao chocolate, e já estamos buscando novas parcerias com cooperativas que trabalham com outros produtos”.

Investimentos

A Coopessba e a Coopiatã vêm sendo apoiadas pelo projeto do Governo do Estado, Bahia Produtiva, com ações que visam o acesso ao mercado, permitindo que produtos da agricultura familiar ganhem cada vez mais espaço.

Na Coopessba, são R$2,5 milhões investidos em ações como a ampliação da capacidade produtiva e o desenvolvimento e o posicionamento de nova marca e embalagens, Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) e Assistência Técnica e Gerencial (ATEG), o que melhorou a gestão técnica, econômica e ambiental da empresa.

Já a Coopiatã, está recebendo recursos de R$1,8 milhão para a implantação de uma agroindústria de torrefação, ATER, ATEG e suporte em estratégias de acesso ao mercado.

O Bahia Produtiva é um projeto executado pela Companhia de Desenvolvimento Rural (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), com cofinanciamento do Banco Mundial.

Nenhum comentário: