17.12.20

Eles estão nas sobras, mas poderiam estar no estrelato

Que a internet deu voz e vez a muitos idiotas, milicianos e toda sorte aos escrotos, eu não tenho a menor duvida disso. Também é verdade que isto só aconteceu a pouco mais de dez anos com a chegada de aplicativos do tipo wahtsaap, cópia do antigo ICQ.  Na tradução livre para o português seria algo como, “Eu procuro você”. No Inglês, “I Seek You. Programa de comunicação instantânea pioneiro.

Com a chegada do Facebook, também uma cópia mais atualizada do antigo Orkut, rede social filiada ao Google, à estratégia de monopólio foi ficando evidente e assim, também, o uso para fins políticos foram se avolumando. Um dos exemplos foi o uso de dados para envio de mensagens na Primavera Árabe. Movimento que ficou conhecido em todo o mundo e que segundo os seus idealizadores, os jovens do Oriente Médio e do Norte da África, seria uma onda revolucionária.

No Brasil os “efeitos” dessa onda revolucionária foram às manifestações de 2013 por R$ 0,20 (vinte centavos). Primeiro começou com jovens e partidos de esquerda reivindicando o não aumento do preço das passagens de ônibus na cidade de São Paulo, onde o prefeito da época era o Fernando Haddad do Partido dos Trabalhadores.

Capturados pela grande mídia e pela direita, o movimento começou por exigir a retirada das ruas de bandeiras de partidos de esquerda. Alimentadas, as reivindicações depois pediram a retiradas de representantes das legendas, chegando ao final por excluir o vermelho e se apossar do verde e amarelo. Símbolo hoje do que há de pior em movimentos sociais no Brasil.

Essas agitações fez surgir pessoas como Allan dos Santos. Um insignificante social que foi levado ao estrelato após postar diversas notícias falsas e agredir autoridades com palavras chulas em suas redes sociais. Bia Kics, antes uma ilustre desconhecida, hoje eleita deputada federal. Sua plataforma eleitoral? As agressões proferidas contra adversários políticos. Kim Kataguiri? Este surgiu feito meteoro durante as manifestações contra a presidenta Dilma. Antes, ninguém tinha ouvido falar dele. E tem a Carla Zambelli. Que de guardadora de banheiros químicos nas ruas da capital Paulista, se elegeu, também, deputada federal.

O ódio, o absurdo, as notícias falsas criaram este tipo de estrela meteórica e ao mesmo tempo escondeu pessoas como o poeta, Zé Reys. Que com seus belos escritos luta para ter condições de publicar um dos seus, segundo ele mesmo, “mais de 50 livros” e nenhum publicado até hoje. Morador do Paraná pode ser visto no Twitter pelo endereço, @ReysDosVersos.

Para quem gosta de desenho realista, o Gláucio Barreto é arquiteto de formação e pintor por opção. O rapaz, morador da cidade de Campina Grande na Paraíba, mostra em sua página alguns dos seus “produtos” encomendados e que levam a sua assinatura. Lá pode ser visto vídeos mostrando o processo de criação das peças de arte. Para ver o belo trabalho, vá ao Instagram e procure por @ glaucio.art e se divirta.

Na música, são incontáveis os cantores, cantoras e grupos que tem potencial artístico e de criação que deveriam estar no estrelato brasileiro. Mas isto não acontece. O guitarrista Igor Gnomo (@igor.gnomo), a Banda Raíz de Macaúbaa cantora pernambucana Marina Elali. Neta do compositor Zé Dantas, parceiro de Luiz Gonzaga em muitas das composições que são sucesso até hoje.

Na fotografa experimental a Mary Comparoni e seus ensaios em preto e branco mostram uma fotografia popular, ao alcance de qualquer pessoal e pode ser vista neste endereço, @ maryane_comparoni, também no Instagram. E para fechar a lista de artistas que estão escondidos do grande público, mas que deveriam estar em evidência, assim como milhares, não está. Eu trago o excelente cantor baiano Lazzo Matumbi. Com sua voz inconfundível, o artista é figurinha carimbada em Salvador e no recôncavo baiano, mas nuca teve a sua arte em evidência no Brasil. Um erro que precisa ser concertado urgentemente.

O Brasil, como disse Moraes Moreira, vai “descendo a ladeira”. E enquanto os piores se destacam por suas posições absurdas, os verdadeiros artistas, políticos, brasileiros vão sendo colocados no ostracismo.

Só com o povo nas ruas para reverter essa loucura que se transformou o Brasil nos últimos anos.

Nenhum comentário: