19.11.18

ESCÂNDALO: prefeito ACM Neto arma esquema para próximas eleições municipais



O Jornalista baiano OldackMiranda fez uma grave denúncia em sua página pessoal no Facebbok. Ele publicou informações mostrando que o atual prefeito da cidade de Salvador na Bahia, ACM Neto, realizou a contratação de quatro empresas de comunicação.

A informação consta no Diário Oficial do Município na data de 14 de novembro de 2018. São as empresas; Propeg Comunicação S/A, Tourinho Publicidade, Ideia 3 Comunicação & Expansão de Negócios e a PMG Comunicação LTDA.

Na denúncia há a informação de que cada empresa ganhou um contrato no valor de R$ 80.000.000,00 (oitenta milhões de reais). Somadas, as quatro vão faturar ao final dos serviços, R$320.000.000,00 (trezentos e vinte milhões de reais).

Oldack questiona o valor das contratações realizadas exatamente no período em que todos os municípios brasileiros estão passando por dificuldades financeiras e padecem de educação, saúde, segurança dentre muitas outras necessidades. Ele ainda cobra das autoridades locais uma investigação sobre o caso e deixa, em suas postagens as perguntas: Onde está o Ministério Público? O Judiciário?


Um comentário:

Unknown disse...

A Prefeitura de Salvador informa que o contrato de prestação de serviços de publicidade por agências de propaganda no âmbito da administração direta e indireta do Poder Executivo Municipal tem o valor global estimado de R$ 80 milhões, com vigência de 12 meses. O referido montante está estabelecido no edital da licitação, cujo processo seguiu todo o trâmite legal, culminando na contratação de quatro agências que atenderam aos critérios de melhor técnica e menor preço. Os resumos dos contratos foram publicados nesta quarta-feira (14), no Diário Oficial do Município (DOM). De acordo com a legislação, em cada um dos resumos consta o valor global estimado de R$ 80 milhões. Importante ressaltar que este é o valor máximo a ser investido em publicidade no período por intermédio das quatro agências, conforme previsto em edital. Ou seja, a quantia de R$ 80 milhões será dividida pelas quatro agências. A divulgação da cifra de R$ 320 milhões não passa de fake news.