7.3.13

SEDE VACANTE E O VOO RASANTE DE YOANI SÁNCHEZ.


O Vaticano fica no continente europeu e a Europa sempre se colocou como centro cultural do mundo, reservando-se aos Estados Unidos da América do Norte o centro do poder político-econômico-tecnológico, como anteriormente fora à Inglaterra. A civilização egípcia foi engolida pelo Império Romano e depois da crucificação de Jesus Cristo, São Pedro, o primeiro papa, foi para Roma. A civilização grega era na Europa e a civilização chinesa nunca chegou a influenciar outros povos.
O papa Bento XVI renunciou ao seu papado quando ainda um homem lúcido e com capacidade intelectual ativa, embora apresentasse fragilidade física a olhos nus e creio que por mais longevidade que tivesse não deixaria de comprometer suas atividades de Chefe de Estado e condutor espiritual de milhões de pessoas.
Ele não foi o primeiro papa a renunciar e a última renúncia houvera acontecido há 600 anos antes. Tenho a impressão que Bento XVI passou a ser mais prestigiado com a renúncia do que pelos seus 30 anos de influência que tivera sobre o Vaticano. O Cardeal Ratzinger que foi Chefe da antiga Inquisição no Governo do Vaticano foi importante para a escolha de João Paulo II, o papa polaco e responsável pela aceleração da desintegração da antiga União Soviética. Eleito João Paulo II, ele e Ratzinger enfatizaram a repulsa da Igreja aos métodos contraceptivos, incluindo-se ai a camisinha de vênus, o casamento de padres, as pesquisas com células tronco, e de quebra, o casamento entre as pessoas do mesmo sexo.
Embora João Paulo II tenha sido um papa “pop star”, o seu conservadorismo junto com o Cardeal Ratzinger, depois Bento XVI, o papa da transição, sufocaram a teologia da libertação e foram responsáveis pelo desprestígio da Igreja, especialmente na América Latina e África, dando lugar ao crescimento das chamadas igrejas evangélicas e pentecostais.
Com o conservadorismo dos dois últimos papas, os discursos dos religiosos católicos tenderam ao subjetivismo e passaram a não atrair os fiéis que passaram a procurar outras igrejas, com sérios prejuízos ao objetivo de Roma.
Bento XVI pegou vários caroços no seu papado a partir dele mesmo com declarações fora de hora que o levou a pedir desculpas, e, principalmente, com o problema da pedofilia na Igreja católica. Talvez para preservar a Igreja católica ele colocasse o tema entre os muros do Vaticano quando se impunha uma tomada de posição aberta perante a toda comunidade mundial.
Para a renúncia de Bento XVI, a explicação oficial é de que ele já não reunia as condições físicas para enfrentar as atividades do papado. Jornais italianos dão conta que os motivos que levaram o Papa a renúncia estão atos de corrupção e lavagem de dinheiro pelo banco do Vaticano, divisão de forças na Santa Sé e até o movimento interno na Sé pró-gay .
A Igreja tem problemas a enfrentar a curtíssimo prazo e haverá a necessidade da eleição de um Papa com a capacidade de diálogo interno e externo, apto a entender as tendências da sociedade moderna, sem perder a identidade da Igreja. Enquanto o casamento dos padres, o que já fora anteriormente permitido, e o casamento entre pessoas do mesmo sexo não tenha
lugar, a Igreja deve ser liberal com a aceitação dos métodos contraceptivos e a pesquisa com células tronco. De modo contrário, a tendência será de encolhimento e dialogo consigo mesma. Voltar aos princípios do Concílio Vaticano II (1962) e da Conferência Episcopal Latino-Americana de Medellín talvez seja um bom recomeço.
Aparentemente os cardeis norte-americanos (15 no todo) estão propensos a apoiar um cardeal brasileiro e o cotado é arcebispo de são Paulo, Dom Odilo scherer que ganha força e hoje foi citado largamente por jornais europeus.
De qualquer maneira, com a renúncia, Bento XVI, hoje papa emérito, talvez ele tenha contribuído mais para Igreja do que fizera nos últimos 30 anos. Sua renúncia não foi coisa de momento. Ela foi planejada.
Enquanto a imprensa mundial acompanha a sucessão no Vaticano, passou entre nós como um cometa sem cauda a Sra. YOANI SÁNCHEZ, blogueira cubana que ganhou celebridade com a Internet e sua oposição ao regime dos irmãos Castro.
Deu-se muita importância a quem não deveria receber e tenho minhas dúvidas sobre a real intenção de Yoani. Sou um apaixonado pela televisão pública e na última segunda-feira, 25, assisti a entrevista dela que não me deixou boa impressão, diferentemente do que pensou Hélio Fernandes.
Em Feira de Santana ele foi impedida de assistir a exibição de um documentário e em outras cidades houve aplausos e vaias. Não houvesse a disposição dos simpatizantes de Cuba hostilizado a blogueira ela teria passado sem maior atenção.
Esquecendo ela como esqueceu sobre o embargo norte-americano a Ilha que vem desde o início dos anos 60 do século passado, passeando ela por diversos países a custa de ninguém sabe, tenho a impressão que ela deveria colocar sobre o peito a logomarca de uma agência norte-americana, seria melhor.
Perguntada sobre o regime de Fulgêncio Batista que antecedeu aos irmãos Castros ela foi incapaz de traçar um perfil de Cuba nos anos 50 e 60. Cuba de Fulgêncio Batista não passava de um antro de corrupção e prostituição, um país bordel.
Paulo Afonso, 04 de março de 2013. Fernando Montalvão. montalvao@montalvao.adv.br
Montalvão Advogados Associados.

Nenhum comentário: