Dimas Roque: Tá na internet: Como manter a sanidade no Brasil de Bolsonaro?

6.11.19

Tá na internet: Como manter a sanidade no Brasil de Bolsonaro?


Como manter a sanidade no Brasil de Bolsonaro? Minhas soluções pessoais:

1°) Jamais, em hipótese alguma, achar que tem mais poder do que de fato tem. A pedagogia tem limites. Bolsonaro e Witzel foram muito sinceros na campanha. Se o pobre, fudido, que mora em região de conflito, votou no fascismo, não serei eu quem conseguirá explicar que seu voto é ato de suicídio. Vai ter que ter experiência, vai ter que ter dor, vai ter que enterrar sobrinho, filho, ficar sem o benefício do INSS, sem direitos trabalhistas. 
2) Parar de passar pano para as merdas que os pobres fazem. Não é inconsciência, não é manipulação. O pobre é perfeitamente capaz de ser um belo de um fela da puta, como outro ser humano qualquer. A pobreza não garante virtude. Há homens pobres e pretos que ainda apoiam Bolsonaro porque têm a expectativa de exercer violência sobre outros grupos minoritários, como mulheres e homossexuais. Esse canalha pra mim é tão adversário como qualquer operador do mercado financeiro.

3°) Sejam hedonistas. Cultivem todos os prazeres que a vida pode oferecer. Bebam, transem, assistam o Mauro Cezar Pereira no Linha de Passe. Hoje, ninguém conseguirá levantar as massas contra Bolsonaro. As pessoas vão precisar se fuder muito primeiro. Cuidem da vida privada e deixem o mundo arder. Não somos os responsáveis pela tragédia. Cada cachorro que lamba sua caceta. Tem inocente nessa porra não.

4°) Cortem relações com os que ainda apoiam esses assassinos. Foda-se se é da família. Teu sangue até a muriçoca que acabou de te picar tem. Construam bolhas de relacionamento e fiquem dentro delas, na posição mais confortável possível.

Nenhum comentário: