31.5.18

Durante o feriadão de Corpus Christi, destinos turísticos baianos registram boa procura por meios de hospedagem. Em Porto Seguro, no Extremo Sul, a ocupação hoteleira deve chegar a 80%, segundo estimativa da  seção local da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – (Abih-BA). 

“Mesmo com o período de baixa estação e consequências da greve dos caminhoneiros, a expectativa é de boa movimentação regional neste feriado, com muita gente que vem de Vitória da Conquista (BA) e Nanuque (MG)”, disse o presidente da Abih Regional, Wilson Spagnol.

Em Rio de Contas, na Chapada Diamantina, onde a tradição do Corpus Christi é forte, a previsão da secretária municipal de Turismo, Cléria Soares Santos, é que os hotéis e pousadas cheguem à ocupação média de 70%, podendo melhorar a partir desta quinta, se a oferta de combustíveis se mantiver estável  na região.

Algumas casas de hospedagem estão com lotação completa. É o caso da Pousada Pérola do Rio, localizada no centro e com mais de 30 acomodações. “Estamos com 100% das reservas preenchidas, não só para o Corpus Christi, mas também para o São João”, afirma a recepcionista Vera Lúcia.

Também os 18 quartos da Pousada Rio de Contas, uma das mais antigas da região, já foram reservadas por grupos que fazem passeios para a cidade nesta ocasião, informa o gerente Anfilófio Gottschall.

 Nesta quinta, Dia de Corpus Christi, Rio de Contas ganha um colorido especial, com a colocação dos tapetes de pó de madeira no trajeto da procissão do Jesus Sacramentado.  Já na noite de vésperas, luminárias penduradas nas casas e prédios públicos encantam os visitantes.

 “Técnicos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan e do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural – Ipac estão vindo para cá para fazer o registro do evento como parte do processo de tombamento”, diz a secretária Cléria.  Além da festa, as belezas naturais, com rios e cachoeiras, fazem de Rio de Contas um dos principais polos ecoturísticos da Bahia.

Destinos como a Praia do Forte, Morro de S. Paulo e Salvador podem registrar ocupação mediana em hotéis e pousadas. Os estabelecimentos que fazem prospecção de turistas têm obtido bom retorno nos feriados. Sauípe terá boa ocupação e a Praia do Forte deve chegar a 60%. Com a normalização da operação de travessia de Valença-Morro de São Paulo o fluxo para a região de Tinharé deve ser crescente nos próximos dias.
A Bahia é o primeiro Estado do Nordeste e terceiro no Brasil em número de inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), ficando atrás de Minas Gerais e São Paulo. Este ano, na Bahia, 398.490 mil estudantes foram confirmados na inscrição de 2018. De acordo com os dados divulgados pelo Ministério da Educação (MEC), são 5,5 milhões de inscritos confirmados. As provas do ENEM serão realizadas nos dias 4 e 11 de novembro.

“Desde o ano passado que estamos realizando o projeto ENEM 100% para orientar, mobilizar e fomentar a participação dos nossos estudantes no ENEM. Este projeto engloba ações estratégicas voltadas para o fortalecimento das aprendizagens e funciona por etapas, que incluem a mobilização das unidades escolares; a inscrição e o registro dos inscritos; e o fortalecimento das aprendizagens”, destacou o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro.

Ainda dentro das ações do ENEM 100% tem-se o Redijaê, que propõe os estudantes a escreverem e enviarem suas redações para o ambiente virtual da Plataforma Anísio Teixeira e os textos são corrigidos por professores da rede estadual e por estudantes de universidades públicas e particulares e devolvidas para os alunos, com as observações necessárias para o aperfeiçoamento da escrita dissertativa. O ENEM 100% envolve, também, o apoio logístico (transporte) para a realização das provas.

Em abril, a Secretaria promoveu o DIA D ENEM 100%, uma das etapas do projeto, nas unidades escolares, com o objetivo de estimular os alunos a regularizarem os seus documentos (RG e CPF) e a realizaram a inscrição, disponibilizando inclusive computadores, com professores, gestores e técnicos auxiliando no processo. Ainda dentro do ENEM 100%, os colégios são estimulados à realização dos aulões e videoaulas, dentro da fase preparatória que acontece até outubro.

Dados sobre inscrição – As notas do ENEM podem ser usadas para concorrer a vagas no Ensino Superior pelo Sistema de Seleção Unificada (SISU), a bolsas pelo Programa Universidade para Todos (PROUNI) e a financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (FIES).

30.5.18

A 20ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza será estendida até o dia 15 de junho. A determinação foi do Ministério da Saúde, em função da greve do transporte rodoviário. Também foi informado que a partir do dia 18 de junho, os municípios que não atingirem a meta, estabelecida pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), de vacinar 90% da população-alvo, deverão buscar estratégias para continuar vacinando os grupos prioritários, em especial, crianças, gestantes, idosos e pessoas com comorbidades, uma vez que a vacinação contra a influenza contribui sobremaneira para a redução das complicações, das internações e, consequentemente, da mortalidade decorrente das infecções pelo vírus da gripe, nos grupos alvos já definidos.

Outra medida adotada também será a de que, a partir do dia 18 de junho, caso haja disponibilidade de vacinas na Bahia ou nos seus respectivos municípios, a vacinação poderá ser estendida para crianças de cinco a nove anos de idade e adultos de 50 a 59 anos. Nesses grupos não será avaliada a cobertura vacinal, somente as doses aplicadas.
Na Bahia, até o momento foram vacinadas 2.128.795 pessoas, dando um percentual de cobertura de 68,65%. A meta da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) é imunizar 90% da sua população alvo, que é de 3,6 milhões de pessoas dos grupos prioritários: indivíduos com 60 anos ou mais; crianças de seis meses a menores de cinco anos; gestantes e puérperas (até 45 anos dias após o parto); trabalhadores da saúde; professores; povos indígenas; portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas; população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.


Casos de H1N1

A Sesab informa que até o dia 26 de maio deste ano foram notificados 1.090 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), com 82 óbitos. Dentre esses casos, 209 foram confirmados para Influenza, sendo 164 pelo subtipo A H1N1, com 19 deles evoluindo para óbito. No mesmo período de 2017 foram notificados 275 casos de SRAG, com 21 óbitos. Dentre eles, 23 foram confirmados para Influenza, sendo dois casos de Influenza A H1N1 e nenhum óbito por A H1N1.


Foram confirmados casos de A H1N1 em 43 municípios e os óbitos ocorreram em nove deles. Salvador registrou onze (11) óbitos. Os outros municípios foram Apuarema (1); Camaçari (1); Irará (1); Lauro de Freitas (1); Retirolândia (1); Saúde (1); Serrinha (1) e Vitória da Conquista (1).

A faixa etária de maior ocorrência ficou entre os menores de cinco anos (57 casos e sete óbitos) e maiores de 60 anos (24 casos e cinco óbitos), sendo que 66,6% dos óbitos ocorreram no grupo dos menores de cinco anos.

Geniel Zuza do Nascimento, conhecido como 'Guga', 27 anos, e Ádyson Tiago dos Santos, 22, foram presos terça-feira (29), após a guarnição do 20º Batalhão de Polícia Militar (BPM/Paulo Afonso) receber informações de que os dois estavam numa moto de cor preta, placa OZL-6881, roubada na cidade de Rodelas, localizada no norte baiano.

Ao encontrar os criminosos, acompanhados de um menor de 17 anos, os policiais apreenderam dois revólveres calibre 38 e 32, três munições, três aparelhos celulares e quatro bolsas pertencentes a pessoas vítimas de roubos.

Eles estavam praticando assaltos em Rodelas e na região. Agimos rápidos, depois de sermos informados desta ação delituosa, e efetuamos a prisão”, disse o comandante do 20º BPM, tenente-coronel Carlos Humberto Moreira. Guga, Ádyson e o adolescente, juntamente com o material apreendido, foram encaminhados para Delegacia Territorial de Rodelas, onde houve o registro da ocorrência.

Também na região norte do estado, no município de Paulo Afonso, Marcílio Alexandre da Silva, 29 anos, foi preso no bairro da Prainha, por furtar um celular num bar, que estava sendo carregado no balcão. “Os clientes do estabelecimento comercial chamaram a polícia, fizemos rondas e encontramos Marcílio, logo reconhecido pelo pessoal que estava no bar no momento do furto”, contou o tenente-coronel Carlos Moreira, acrescentando que o bandido, encaminhado para a delegacia territorial local, foi autuado em flagrante.

29.5.18

A Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) informa que até o dia 26 de maio deste ano foram notificados 1.090 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), com 82 óbitos. Dentre esses casos, 209 foram confirmados para Influenza, sendo 164 pelo subtipo A H1N1, com 19deles evoluindo para óbito.

No mesmo período de 2017 foram notificados 275 casos de SRAG, com 21 óbitos. Dentre eles, 23 foram confirmados para Influenza, sendo dois casos de Influenza A H1N1 e nenhum óbito por A H1N1.
Foram confirmados casos de A H1N1 em 43 municípios e os óbitos ocorreram em nove deles. Salvador registrou onze (11) óbitos. Os outros municípios foram Apuarema (1); Camaçari (1); Irará (1); Lauro de Freitas (1); Retirolândia (1); Saúde (1); Serrinha (1) e Vitória da Conquista (1).

A faixa etária de maior ocorrência ficou entre os menores de cinco anos (57 casos e sete óbitos) e maiores de 60 anos (24 casos e cinco óbitos), sendo que 66,6% dos óbitos ocorreram no grupo dos menores de cinco anos.
Ter gigante petrolífera deveria servir para reduzir nossa exposição ao mercado internacional. Nem os norte-americanos ousam ser liberais nestas questões

 De um lado, o ‘espectro’ Michel Temer. Do outro, Pedro Parente, feiticeiro do caos
O governo, velho de dois longos anos, teve seu réquiem celebrado com pompa e circunstância pela insurreição dos caminhoneiros, que ora se batiza de greve, ora de paralisação e, até, de locaute, pois sua operação e logística a muitos sugerem aliança entre empresários e autônomos, mal saídas, as duas categorias, de fracassadas negociações trabalhistas.
Uma quer mais lucro; outra pleiteia melhor remuneração e melhores condições de trabalho. De ambas depende o consumo de 207 milhões de brasileiros, o que parece ser ignorado pelo dr. Parente, feiticeiro do caos.
Nutro justificada desconfiança quando nos falam em comunhão de interesses entre trabalhadores sobre-explorados como os motoristas de caminhão (baixa remuneração, péssimas condições de trabalho, jornadas escorchantes que chegam a 12 horas diárias, riscos de assaltos, péssimas estradas, semanas inteiras fora de casa) e empresários, estes somente preocupados, ora em alargar suas margens de lucros, ora em aumentar a acumulação de mais-valia.
Segundo dados disponíveis da frota brasileira de caminhões, 60% pertencem a grandes empresas (que controlam 64% dos fretes do país), 30% a caminhoneiros e 10% a pequenas empresas que sublocam  seus veículos aos grandes empresários.
Por que, então, preocuparem-se os trabalhadores com a carga tributária que incide sobre os negócios do patronato?
O fato objetivo é que a paralisação, associada aos piquetes, bloqueios e à obstrução das rodovias, pôs a nu variadas mazelas, como a equivocada política de preços da Petrobras, a vulnerabilidade de nossa economia aos choques externos, dependência ao transporte rodoviário e este à dependência de combustíveis fósseis e a falta de proteção e estímulo à produção familiar de alimentos.
E colocou ainda outros, tão ou mais graves, como a saída de Temer, a solidariedade dos aparelhos repressivos aos grevistas, os irresponsáveis pedidos de “intervenção militar” tendo como pano de fundo a factual ausência de um governo que já findou, mas que, no entanto, permanecerá perambulando a esmo até o final de dezembro, tendo, ademais, a missão de presidir aquela que pode ser a mais dramática eleição desde o fim da Nova República. Aliás, o caos exige toda a mobilização possível para garantir as eleições.
Preocupemo-nos, pois, em nossa História, não é raro que crises dessa ordem estimulem aventuras autoritárias.
Após uma semana de desvario e ameaças, pode o ainda presidente Temer permanecer residindo no Palácio do Jaburu, mas será, doravante, apenas um espectro, assustando meia dúzia de almas penadas, os solitários fantasmas de sua corte.
Antes da crise, o chamado presidente tinha, apenas, 3% de apoio na opinião pública (segundo pesquisa IPSOS). Como dizia ele quando maquinava a derrubada de Dilma Rousseff (a ex-presidente ostentava 6% de apoio popular), é impossível um presidente sobreviver a tanta rejeição. E o que dizer, agora, a propósito, quando Temer carrega de origem a mácula incurável da ilegitimidade.
Preocupantemente, o ministro Gilmar Mendes, que continua assessor de Temer em tudo o que não merece respeito, elabora e articula, em nome do mandatário, ‘emenda constitucional’ instituindo um tal de ‘semipresidencialismo’, e o Senado se apresta em regulamentar a eleição indireta para as hipóteses de vacância da cadeira presidencial.
A paralisação até aqui vitoriosa também expõe em sua inteireza  a irresponsabilidade do neoliberalismo ortodoxo, o império do mercado e do privatismo que domina a política e a economia brasileira, desde o golpe de 2016, pondo por terra todo e qualquer projeto de desenvolvimento nacional autônomo.
A atual política de preços dos combustíveis é a manifestação de verdadeira alienação política. Os mercadeiros, cogitando tão-somente dos interesses dos  acionistas da empresa, condenam a economia nacional à turbulência (nos primeiros cinco dias de protesto as perdas, diz a FSP, já somariam 10 bi), pondo mesmo em risco o pacto social que sustenta nossa democracia. Pois trata-se de momento grave, marcado pela ausência de autoridade e liderança,  e quando, aos olhos  do povo, estão desmoralizados os três poderes da República.
Não há em que nem em quem confiar.
A crise política é, igualmente, uma crise da legitimidade institucional, abrindo espaço para toda sorte de aventureirismo, quando a movimentação de massa proporcionada pelos grevistas, certamente a maior e a mais contundente de quantas tivemos até aqui, se abraça com a generalizada insatisfação da sociedade, animando as vivandeiras de plantão.
A visão tacanha do ainda presidente da Petrobras leva-o, após submetê-la a um regime de lipoaspiração de ativos, a trata-la como uma produtora qualquer, independentemente da importância estratégica dos combustíveis para o país, assim divorciando a empresa de seu papel como fator de dinamização da economia nacional.
Por razões que não são justificadas, os preços do petróleo e seus derivados, arrancados de nosso solo e aqui refinados, são submetidos aos preços internacionais, e para que se sintam bem os acionistas privados da Petrobras (e não o povo brasileiro), passa a reajustar os preços dos combustíveis e do gás de cozinha segundo o comportamento do preço internacional do barril de petróleo (em alta) combinado com as taxas de câmbio.
De janeiro até aqui o preço do diesel na bomba subiu 38% e hoje está 56% acima da média internacional. Os aumentos sucessivos do gás de cozinha, para além do que ocorria nos trágicos tempos da inflação desenfreada, penalizam as populações mais pobres, que voltam em escala crescente a cozinhar a lenha e carvão.
Foram 229 reajustes nos últimos dois anos, e o Dr. Parente, insatisfeito, pleiteia reajustes diários.
Tudo isso para que a empresa, como se instalada em Marte, pudesse distribuir dividendos, quando ainda ontem, mentindo para o Mercado,  diziam seus atuais dirigentes, que a Petrobras estava falida. Era a senha  para fazer cair sua cotação nas bolsas de São Paulo e Nova Iorque, facilitando sua alienação.
Essa política de preços é particularmente danosa para caminhoneiros, desastrosa para a agricultura (que não é apenas o agronegócio), para a indústria em crise e para o comércio. Mas é um estorvo incontornável para o consumidor brasileiro, pois tudo que chega à sua porta viaja de caminhão de um extremo a outro do País. E chega mais caro. Ou os novos deuses do Olimpo não sabem que quando aumenta o preço do combustível aumentam todos os preços?
São os fabricantes de ventos que nos ameaçam com tempestades.
Colocar 200 milhões de pessoas na dependência de dois ou três preços que não são determinados pela nossa economia é mais do que irresponsabilidade, é crime de lesa pátria. E, de permeio, reforça o projeto de marketing que visa a desacreditar a Petrobras, abrindo fenda no apoio que sempre lhe dedicou nosso povo, a quem, aliás, a empresa deve sua criação.
Os problemas decorrentes do petróleo no Brasil e no mundo escrevem uma história de muitas lutas, de exploração e guerras. Está à vista a tragédia do Oriente Médio, que se aproxima da Venezuela. Poucos países, fora os donos do mundo, têm o controle sobre suas jazidas e são senhores de sua exploração e comercialização, usando assim o chamado ‘ouro negro’ em benefício de seu povo.
O Brasil é um deles, graças ao monopólio estatal (já quebrado), graças ao sucesso da Petrobras, graças à descoberta e exploração  do pré-sal, graças à autonomia do refino, por sinal, hoje sob ameaça.
Possuir uma gigante petrolífera com grandes reservas associadas à experiência em prospecção, lavra e refino, deveria servir para reduzir nossa exposição ao mercado internacional, ainda mais quando essas oscilações têm óbvio efeito sobre a economia de um modo geral e de forma particular junto ao câmbio e a inflação, ou seja, sobre os destinos do País e a qualidade de vida de todos nós.
Em questões dessa ordem nem os norte-americanos ousam ser liberais. O que ainda resta de governo Temer, porém, transforma em empecilho tudo o que, nas mãos de patriotas, seriam condições positivas de defesa de nossa economia.
O grande projeto do atual Planalto é transformar a Petrobras em exportadora de óleo bruto e importadora de produtos finais, como o óleo combustível, o óleo diesel, o gás veicular, o gás de cozinha e a gasolina.
Nossas refinarias já trabalham com ociosidade (as operações de refino foram reduzidas em 30%), para que importemos, como estamos importando, gasolina e diesel dos EUA, expondo assim os preços internos às cotações internacionais, em momento de alta volatilidade dos mercados. Os derivados importados já representam 24% do mercado nacional e em apenas quatro meses compramos quase 7 bilhões em óleo diesel dos EUA).
O objetivo dessa súcia é colocar um setor consabidamente estratégico para a segurança do País nas mãos de um mercado irresponsável. A desvalorização da Petrobras, como a desvalorização da Eletrobrás é, nessas condições, um subproduto da crise, planejada para tornar mais fácil a alienação de nossas empresas.
A fragilização da Petrobras, em marcha, se completará com a destruição da Eletrobrás, a desorganização do mercado de trabalho, a privatização desenfreada, a redução do papel dos bancos públicos, o enxugamento do Estado indutor de desenvolvimento, condenando às calendas gregas a retomada do projeto industrialista, mesmo se o povo reconquistar nas eleições de outubro próximo a condição de condutor de seu destino.
Roberto Amaral

______________
Roberto Amaral é escritor e ex-ministro de Ciência e Tecnologia

Com o objetivo de discutir ações que possam fortalecer a cidadania ambiental nas escolas e nas comunidades, foi aberta oficialmente nesta segunda-feira (28/05), no Hotel Sol Bahia, no bairro de Patamares, em Salvador, a III Conferência Estadual Infantojuvenil pelo Meio Ambiente. O evento, realizado pela Secretaria da Educação do Estado (Sec), tem como tema “As Escolas da Bahia Cuidando das Águas” e também contará, até esta quarta-feira (30), com oficinas e palestras voltadas para a temática. A etapa estadual classificará 19 delegados para representarem o estado na V Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente.

Representando o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, o superintende de Políticas para a Educação Básica, Ney Campello, falou da importância de promover a discussão sobre o meio ambiente na escola. “Trazer essa consciência de cidadania ambiental para a escola é formar uma geração capaz de trazer novas perspectivas para a sobrevivência da própria espécie humana. De modo que é uma conferência que tem grande importância estratégica para a rede pública de ensino, que vem muito da concepção do Estado e da Secretaria da Educação de criar unidades sustentáveis na configuração da escola, usando energia solar, reuso da água, coleta seletiva, entre outras ações”, destacou.

O estudante Cliff Correia Sousa, 12, do Colégio Estadual Guedes Andrade, em Itabuna, Região do litoral Sul (a 356 Km de Salvador), explicou o trabalho ambiental realizado na sua unidade. “Nosso projeto foi baseado na plantação de mudas nas nascentes de rios localizados próximos à minha cidade, porque isso evitaria que houvesse o assoreamento dos rios, prejudicando o abastecimento de água na região. Fiquei muito satisfeito pela oportunidade de participar, porque esta é uma forma diferente e mais divertida de aprender”, contou.

Já o estudante Josemar Marques, da Escola Estadual Deputado José Rocha, em Coribe, Região do Extremo Oeste Baiano (a 951 km de Salvador), falou da expectativa de participar dos três dias de conferências. “Minha vontade é fazer novas amizades, conhecer os projetos desenvolvidos pelos colegas nas suas escolas, participar das oficinas e palestras para aumentar o meu conhecimento sobre o assunto e, ainda, quem sabe, ser um dos representantes da Bahia na Conferência Nacional. Com certeza estaríamos bem representados”, disse.

Ainda estiveram presentes à abertura, o secretário do Meio Ambiente do Estado, Geraldo Reis, além de representantes de diversos órgãos e instituições voltados à discussão sobre o meio ambiente.

Confira a programação dos próximos dias:

2º DIA – Terça-feira (29/5)
Manhã e Tarde
Oficinas de seleção dos projetos com os delegados/delegadas
Oficinas com os professores/professoras
1) Cultura da sustentabilidade na Educação Ambiental crítica – Profa. Rosileia Oliveira (UFBA);
2) Comunicação não violenta - um trilhar ecológico – Daniella Araujo (facilitadora e semeadora de Comunicação não violenta) & José Maria Dutra (Ouvidor-geral do Estado, facilitador e praticante de Comunicação Não-Violenta; Terapeuta comunitário em formação)

3º DIA – Quarta-feira (30/5)
Manhã: Plenária Final
12h - Encerramento

28.5.18

Foto: Manu Dias

         Com os melhores ventos e o melhor potencial solar do país, a Bahia tem motivos a comemorar nesta terça-feira (29), Dia Mundial da Energia. O estado tem se destacado no investimento em energias renováveis, foram quase R$ 9 bilhões nos últimos três anos, e hoje ocupa o 1º lugar na geração de energia solar e 2º em eólica. De acordo com dados da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), a projeção é que até o final de 2019 dobre o número de parques eólicos em funcionamento e a Bahia seja também líder na geração eólica, ultrapassando o Rio Grande do Norte. Serão mais de 200 parques espalhados pelo interior do estado, onde o potencial de geração pela força dos ventos é maior.
            Segundo a secretária de Desenvolvimento Econômico (SDE), Luiza Maia, os ventos constantes e os excelentes níveis de radiação solar farão da Bahia referência na geração de energias renováveis. "O Governo do Estado tem desenvolvido uma política de atração de investimentos através de incentivos fiscais. Participa de feiras e eventos internacionais, promovendo a Bahia e subsidiando o setor com informações pertinentes, buscando atrair novas empresas e indústrias, promovendo o desenvolvimento econômico e gerando empregos. Além disso, atua junto a outros órgãos como CDA, Inema e Iphan buscando dar celeridade aos processos de regularização fundiária, licenciamento e outorga”, afirma a secretária.

Investimentos
            Nos últimos três anos, foram implantados na Bahia 71 parques eólicos com uma capacidade instalada de 1,7 GW. Foram investidos R$ 6,7 bilhões e criados mais de 26 mil empregos. Os projetos movidos pelos ventos começaram a ser implantados no estado em 2012 e atualmente já são 102, totalizando uma capacidade instalada de mais de 2,5 GW. A previsão é que sejam investidos mais de R$ 10,7 bilhões na construção de 132 parques, com a geração de mais de 42 mil empregos e uma potência instalada de 2,8 GW. A cadeia produtiva de eólica está consolidada e gera mais de 3 mil empregos nas unidades industriais dos principais fabricantes de equipamentos do setor.
            Já o setor solar, implantou 16 empreendimentos totalizando 443 MW de potência, com investimentos de R$ 2,2 bilhões e geração de mais de 13 mil empregos. No total são 18 empreendimentos com 446 MW de potência. O primeiro projeto solar do estado foi o Estádio de Pituaçu, primeiro da América Latina a utilizar o sistema de geração fotovoltaica. A inauguração ocorreu em abril de 2012. A previsão é que sejam instalados mais nove empreendimentos com 244 MW de potência, geração de mais de 7 mil empregos e quase R$ 1 bilhão em investimentos.           

Atlas Solar
Há uma semana, o estado ganhou mais um instrumento para atração de investimentos, o Atlas Solar da Bahia, que inclui o mapeamento, identificação e detalhamento das áreas promissoras para o aproveitamento solar, assim como a apresentação de áreas de interseção entre as fontes de geração eólica e solar do Estado que favorece a instalação de parques híbridos que façam uso de novas tecnologias atualmente em desenvolvimento.
    
     "As fontes solar e eólica se complementam no regime diurno e noturno, respectivamente. A geração simultânea, com o uso das duas tecnologias, torna possível reduzir a variação no fornecimento de energia, se comparada com a geração de uma delas isoladamente. A proximidade das usinas permite otimizar o uso de subestações e a rede de transmissão. Esses avanços permitem que usinas solares compartilhem os mesmos inversores e transformadores dos aerogeradores", destaca Paulo Guimarães, superintendente de Atração e Desenvolvimento de Negócios da SDE.

No oitavo dia de manifestação dos caminhoneiros, os postos que estão conseguindo comprar gasolina, estão com uma fila imensa de clientes. Os brasileiros deveriam se manifestar com boicotes! Para ajudar a greve totalmente legitima que solicita o direito para todos e o corte do abusivo preço do combustivel.

Em vez de reclamar dos caminhoneiros que tal a gente fazer pressão no governo que em todo o momento está fazendo míseros cortes de 2% ou até menos e, parece até piada, mas sim o “Presidente” não vai e nem tem intenção de resolver esse problema que está afetando todo o território nacional.


Por: Iury Roque

25.5.18


A direita (não a extremista defensora das armas e fiscal de costumes e sim a do deus mercado, dos liberais, financiadora do golpe) não tem candidato minimamente bem colocado nas pesquisas. Fato. Já a esquerda segue na frente, mesmo com seu principal líder encarcerado. Também fato. Instala-se o caos, o fora Temer retoma fôlego e aí é quase um déjà vu. Quase porque desta vez não tem vice e quem assume é o presidente da Câmara. Isso acontecendo quem vai escolher o próximo presidente não seremos nós. Será o parlamento brasileiro. Precisa desenhar? Vai dançar de novo em volta do pato?

Por Júlia Maria de Assis.

Procura-se autor do texto abaixo para devido crédito.


Caminhoneiros: greve ou lock out?! 🤔repassando texto, cuja autoria desconheço. Mas há informações quentes que convém verificar e ter em conta: "Ainda sobre os protestos de caminhoneiros, que me pareceram (parecem?) bem esquisitos, sobretudo pelas reivindicações. Se fosse um protesto de autônomos, por que não exigir o aumento proporcional no valor do frete, em vez de redução de custo (diesel e pedágio)?

O site do UOL informou que a organização por trás do negócio é o "Movimento União Brasil Caminhoneiro". Achei o site deles. Pelo que o site informa, o "movimento" não é um órgão representativo da categoria, mas uma cooperativa de trabalho. A página de descrição me pareceu bem problemática, pois se concentra na "quantidade de votos" que a cooperativa conseguiria angariar "para eleger prefeitos, vereadores, etc". (vejam aqui: http://www.uniaobrasilcaminhoneiro.org.br).

Por pura curiosidade, eu resolvi pesquisar no nome de quem estava registrado o domínio do site, pois no site não há nome de diretoria, presidentes, membros, nada. Pois é.

Descobri que o site está registrado no nome de "Eliane Albuquerque Botelho", sobre quem não achei muita informação online, exceto que é técnica/analista em TI e estudou na UFF (http://br.linkedin.com/pub/eliane-albuquerque/51/9a2/aab). O email registrado dessa pessoa é de um domínio "@cobrascam.com.br". Cobrascam? Fui atrás.

A Cobrascam é, aparentemente, outra cooperativa de caminhoneiros (http://cobrascam.com.br/cobrascam.htm), que também não é órgão representativo trabalhista, pelo que entendi. O site parece um pouco mais transparente, mas também não tem informação nenhuma sobre diretoria, membros, atividades, etc. Hmmm. Estranho. Joguei a Cobrascam no Google.

Descobri que o diretor presidente da Cobrascam é o mesmo "presidente" do Movimento União Brasil Caminhoneiro. O nome dele é Nélio Botelho (*atenção para o sobrenome Botelho*). Procurando informações sobre ele no Google, encontrei alguns relatos de greve, vi que já foi entrevistado por Boris Casoy, etc. (http://www.cargapesada.com.br/edicoesanteriores/edicao82/faixacontin82/galo.htm) 

Mas. Só que.

Encontrei algumas informações de atividades bem suspeitas e controversas. Não há muitas condições de checar pela internet, mas faz sentido.

- Achei uma notícia dizendo que um órgão público estava repassando uma área de 160mil metros quadrados para a Cobrascam. Em seguida encontrei a informação de que quem "manda" na área é o tal Nélio Botelho que presta serviços privados de atendimento a caminhoneiros no tal terreno (restaurante, borracharia, etc).

- O mesmo artigo sobre o problema com a área de 160mil metros quadrados na beirinha da Dutra (http://www.ncst.org.br) também está discutindo uma legislação que regulamenta o trabalho dos caminhoneiros. Essa entidade (União Brasil Caminhoneiro) e a Cobrascam, na pessoa do tal Nélio, foi contra essa regulamentação.

Sabe quem mais foi contra, e luta ao lado desse suposto "Líder caminhoneiro"? Jerônimo Goergen, deputado federal do PP pelo Rio Grande do Sul, que foi um dos proponentes da CPI que ataca a FUNAI nos processos de demarcação de terras indígenas. Esse cara também é a favor de uma "Sudene" para o Sul do Brasil, tadinho, que é tão pouco desenvolvido... Entre outras pérolas que vocês encontram aqui (http://www.camara.gov.br/internet/sileg/Prop_lista.asp?Autor=530158&Limite=N)

Outro comparsa "do bão" é o deputado ruralista Nelson Marquezelli, do PTB-SP. O show de horrores de suas posições de extrema direita está em seu site oficial (cujo link me recuso a repassar). Na lista de projetos de sua autoria, porém, aparece uma relação próxima ao Ministério da Defesa (http://www.camara.gov.br/internet/sileg/Prop_lista.asp?Autor=523597&Limite=N), que parece ser uma área de interesse desse político.

Seguem mais alguns links "interessantes" sobre o tal Nélio Botelho. Comprovando que minha preocupação e impressão com os "protestos de caminhoneiros" não está tão errada assim:

Istoé: O pelego que parou o país (sobre sua proximidade com os patrões)

Ministério dos Transportes: abertura de processo sobre irregularidades na obtenção do terreno de Nélio

Revista Época (notinha sem data, mas parece q é da época do governo FHC), sobre o tal terreno: http://epoca.globo.com/edic/20000703/joyce.htm

Nélio e o MUBC defendendo piores condições de trabalho para caminhoneiros, para que as empresas não percam dinheiro: http://blogdocaminhoneiro.com/2013/02/mubc-pede-reducao-do-tempo-de-descanso-para-8-horas/


Já tá bom pra vocês acreditarem?"
Prudente ficar alerta!

A ação aconteceu na manhã desta quinta-feira (24), numa parceria com a Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap).


Integrantes do 20º Batalhão de Polícia Militar, em parceria com a Secretaria de Administração Penitenciaria e Ressocialização (Seap), realizaram, na manhã desta quinta-feira (24), uma revista no presídio de Paulo Afonso. Durante a ação, o interno Joélson Vicente de Jesus Alves, 24 anos, foi encaminhado para Delegacia Territorial, para prestar esclarecimento em relação ao material apreendido em sua cela.


Com Joélson, preso por porte ilegal de arma de fogo, foram encontrados 30 pacotes de cocaína e 74 gramas de maconha, além de seis aparelhos celulares e cinco chips. “Essas ações no presídio acontecem toda vez que somos solicitados pela diretoria da unidade”, explicou o comandante do 20º BPM, tenente-coronel Carlos Humberto Moreira.

24.5.18

Juntos segmentos já empregaram mais de 35 mil pessoas

No setor de energia renovável não tem para ninguém. A Bahia é líder em energia limpa. Ocupa o primeiro lugar do ranking brasileiro em Fotovoltaica e o segundo em Eólica, com perspectiva para o ano que vem de alcançar a liderança. O segmento representou 88% dos investimentos no Estado depois da inauguração de 28 novos parques de energia com um total de R$ 3,7 bi do ano passado até hoje. Na geração de emprego, o destaque vai para o setor de Calçados, Couros e Componentes.


Para este ano ainda estão previstos a implantação de mais 56 parques de energia, uma soma de R$ 5,5 bilhões em investimentos. Serão 33 parques eólicos, com previsão de gerar R$ 2,6 bi e 23 parques de energia solar, com estimativa de R$ 2,9 bi. Ao longo dos últimos anos, o setor gerou mais de 30 mil empregos.

“A projeção para o final de 2019 é de que a Bahia dobre o número de parques eólicos em funcionamento e ultrapasse o Rio Grande do Norte. Eles estão em regiões estratégicas do interior do estado, onde o potencial de geração é maior devido a força dos ventos”, explicou a secretária de Desenvolvimento Econômico, Luiza Maia.

Para estimular o crescimento do setor, o Governo do Estado participa de feiras e eventos nacionais e internacionais, buscando atrair novas empresas e indústrias, permitindo o crescimento do setor eólico. A ideia é levar desenvolvimento socioeconômico para territórios como Caetité, Campo Formoso, Sento Sé, Gentio do Ouro, Igaporã, Guanambi e Pindaí.


Calçados

No setor de calçados, foram ampliadas as fábricas Pegada Nordeste e RAMARIM. “A maior parte dos investimentos se dará nas unidades industriais localizadas na Bahia. Ressaltamos que a meta de crescimento para os próximos três anos fica em 20%. Hoje temos mais de 3 mil colaboradores”, disse Sergio Renato Brodbeck, diretor da Ramarim.

A Suzana Santos também expandiu com a inauguração de uma unidade em Macarani e gera 1,6 mil empregos diretos no estado. A fábrica está presente também nos municípios de Itapetinga, Itarantim, Potiguará, Maiquinique e Iguaí. Somente em 2017 o segmento gerou 1,5mil empregos diretos.

Na fábrica BSC INDÚSTRIA no município de Camacan foram investidos R$ 5,8 milhões. Atualmente, mais de 300 funcionários trabalham na empresa. A perspectiva é dobrar o efetivo até o final de 2019.

Postagens mais recentes Postagens mais antigas Página inicial