23.4.15

Diogo Portugal faz ataque e não humor.

Eu faço parte de um grupo de discussão no Whatssap, alguém tem que criar um vírus para acabar com isso, dentre tantos outros que vão de notícias a amizades. E na tarde de hoje, 23, eu fiquei sabendo que uma pessoa de nome Diogo Portugal, apresentado como humorista, teria feito agressões a presidente Dilma Roussef em uma de suas apresentações. Confesso que fiquei com raiva do rapaz pelas informações que me foram passadas. Eu então pedi que alguém me enviasse o vídeo para que, assim, pudesse tirar minhas conclusões.
Foi aí que a minha querida amiga Maria Luiza, uma das mais aguerridas militantes virtuais que já conheci, providenciou uma cópia e me mandou. De imediato o assisti o que vi, e não difere em nada do que estes jovens de classe média intitularam chamar, em Inglês, de Stand Up. Que é a definição de alguém que um dia pensou ser engraçada e se tornou um otário. Na acepção da palavra! Neste baixo nível está acompanhado dele, Danilo Gentille, e a turma do Pânico, que perdeu a graça já faz um bom tempo.
No vídeo se vê claramente a forma desrespeitosa que o senhor Portugal se refere aqueles que ele ridiculariza. Usa termos agressivos, indecentes para qualquer pessoa. E olha que não sou um daqueles que se ruboriza com qualquer palavra. Mas fiquei imaginando se um de nós citássemos metade das palavras que ele usou para agredir a presidente da república. Na minha infância, para se ter a ideia da importância de se respeitar a mãe do outro, bastava que alguém fizesse dois riscos no chão, e se alguém passasse o pé por cima do do outro, era o bastante para levar um soco na cara. Hoje não, qualquer analfabeto humorístico, para fazer sucesso entre os seus iguais. Sim Iguais, pois são pessoas desprovidas de inteligência suficiente para discernir o que é uma agressão a uma mulher, ao chama-la de sapatão, sem que ele tenha mostrado uma só prova, simplesmente para que o riso da plateia possa ecoar mais facilmente. Está é a tática dos “novos humoristas” brasileiros.
Aí eu fiquei imaginando o Bemvindo Sequeira, um dos melhores humoristas que o Brasil tem, fazendo as suas apresentações. E busquei informações com amigos que já foram aos seus espetáculos, e nenhum deles disse já ter ouvido qualquer agressão a autoridade que ele discorde do campo político. Não satisfeito, fui ver vídeos de Castinho, Chico Anísio, Tom Cavalcante e boa parte da turma da Escolinha do Professor Raimundo e da Praça é Nossa. Fiquei imaginando o que estamos perdendo ao passar dos anos. E também, a merda que está sendo produzida por gente como o Diogo Portugal. Ele deve achara que é texto, que tem um redator para produzir aquele lixo. Eu digo que a cigana que o convenceu de que o que fala em seus espetáculos (espetáculos?), roubou o seu dinheiro. Não vou aqui chama-lo de filho da puta, pois a mãe do mesmo não merece isto, já que nem a conheço. Não vou falar dos seus trejeitos, para não ser classificado de homofóbico, pois estaria enveredando pelo caminho tortuoso que ele usou para agredir a Dilma. Muito menos vou falar da precariedade do cenário usado por ele, pois posso ser agredido de não entender o “novo humorismo” brasileiro. Na verdade, o senhor Portugal já valeu mais palavras aqui, do que ele mereceria pelo péssimo trabalho que produz. Se é que aquilo lá pode ser considerado alguma profissão.

Dimas Roque

Nenhum comentário: