7.6.21

Com músicas que versam sobre a solidão, afeto e questões sociais, banda Tio Zé Bá se prepara para lançar novo EP


Três anos após o lançamento do terceiro trabalho de estúdio, Rainha da Paz, a banda Tio Zé Bá se prepara para lançar um novo EP. Com letras que versam sobre a solidão do homem na contemporaneidade, sobre a afetividade e questões sociais em tempos de pandemia, o álbum Homem Solidão será lançado no próximo dia 16 de junho (quarta-feira) e já está disponível para pré-save em todas as plataformas musicais.

O título, embora se refira às várias solidões existentes no cotidiano social, também acompanha o período de realização do EP, iniciado há mais ou menos um ano, momento que coincidiu com a pandemia do novo coronavírus. A necessidade do isolamento como forma de prevenção e combate a covid-19 influenciou, além das letras, o processo de produção: o álbum foi gravado integralmente em home studio, com participação à distância de músicos locais e do exterior.

“Vivenciar esse período enquanto artista é muito complicado, pois a gente precisa do público para fazer o nosso trabalho, então é um momento de nos reinventarmos. O álbum fala muito sobre questões pessoais de convivência com outras pessoas e a solidão pela qual passamos quando assumimos lutas, sonhos e desejos”, explica o músico Maércio José, que assina  a composição das músicas que integram o EP.

Ao todo, Homem Solidão conta com quatro faixas. Entre elas, A Cidade e a Orquídea, música lançada como single no mês de março e que teve clipe dirigido pelo cineasta Flávio Andrade. A produção está disponível no canal do Youtube da banda.

Nascida como um projeto paralelo ao grupo Apocalypse Reggae, em Petrolina-PE, a banda Tio Zé Bá assume local de destaque e de referência na cena reggae do Vale do São Francisco há 15 anos. Sempre abrindo espaço para a discussão de temáticas ligadas às periferias, ao resgate da ancestralidade africana e a aproximação com a cultura pernambucana, o conjunto participou de diversos festivais do Brasil, como o Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), Festival Pernambuco Nação Cultural e o  Aldeia do Velho Chico.

Por: Mayane Santos.

Foto: Verena.

Nenhum comentário: