27.7.15

CODEVASF em Juazeiro homenageia dia do Agricultor.

Criado em 27 de julho de 1960 pelo então presidente Juscelino Kubitschek, em comemoração aos 100 anos do Ministério da Agricultura, o dia do agricultor faz uma homenagem aos produtores rurais, considerados um dos principais responsáveis pelo crescimento econômico de nosso país.
Em nossa região os frutos desse trabalho garantem o desenvolvimento do vale do São Francisco, gerando emprego e renda para a maioria da população ribeirinha.
Como reconhecimento da importância dos agricultores para nossa economia, o superintendente regional da CODEVASF em Juazeiro, Alaôr Grangeon de Siqueira, encaminhou aos distritos administrativos dos perímetros irrigados de Mandacaru, Maniçoba, Curaçá, Tourão, Pedra Branca, Rodelas, Glória e a Associação dos Usuários do Perímetro Irrigado do Salitre (ASUPIS) correspondência parabenizando todos os agricultores familiares que integram esses perímetros irrigados.
Segundo Alaôr Grangeon, “eles são verdadeiros heróis, pois conseguem, com seu trabalho, neste sol quente do nosso sertão, diante da escassez de água e de todos os problemas que afetam a atividade, retirar da terra os frutos que vão gerar divisas para o desenvolvimento de nossa região”.
Alaôr observa que “nós precisamos continuar apoiando esses trabalhadores que, de sol a sol, geram riquezas; seja através de apoios técnico, financeiro e de infraestrutura, seja através de melhoria das condições de trabalho de todos eles”.
O gerente executivo do Distrito de Irrigação do perímetro irrigado de Maniçoba, Valter Matias de Alencar, que no seu dia a dia tem contato com os produtores, afirma que “é importante que os produtores tenham fé em seu trabalho, e condições de realizar essa atividade tão importante para eles e para todas as comunidades”.
O agricultor Edilson Conceição da Silva, de 47 anos, confessa que “me sinto muito orgulhoso quando eu vendo o que eu produzi para alimentar muitas pessoas, e além de conseguir meu sustento, ainda ajudo muita gente também”. Ele conta que já passou por muitas dificuldades no campo, mas “com o tempo e com muito trabalho, eu consegui me firmar e hoje me sinto uma pessoa realizada, tanto eu como minha família”. Edilson e a esposa têm três filhos, de 7, 11 e 15 anos, e estão no lote agrícola do perímetro irrigado de Maniçoba há sete anos. Para o futuro Edilson espera terminar a implantação da cultura de manga e maracujá para continuar com seu trabalho de maneira mais assegurada, graças às culturas perenes.
Ele lembra que quando começou com agricultura, “só via mato e caatinga, e hoje, com nosso trabalho, eu vejo muitos pais trazendo seus filhos de volta para o campo para trabalharem com o que é deles também”.
Benedito Lima Nunes, de 51 anos, é outro produtor do perímetro de Maniçoba que acredita em seu trabalho, e junto com dois dos seis filhos, já começou a preparar a terra para plantar melancia consorciada com os pequenos pés de manga. Ele lembra que, como a maioria dos produtores vizinhos, começou sua atividade no lote plantando culturas de ciclo curto, como melão, melancia e feijão, mas hoje, estabilizado economicamente, já está passando para as culturas de ciclo longo, como coco e manga.
“No início foi tudo difícil”, lembra Benedito, que afirma “mas com o trabalho, a insistência, e ajuda do distrito de irrigação e da Codevasf, conseguimos botar esse negócio para frente, e hoje, graças a Deus, estamos bem”.
No ano passado os 34 perímetros irrigados assistidos pela Codevasf totalizaram R$ 1,67 bilhão em Valor Bruto de Produção (VBP). Desse total, segundo dados da Área de Irrigação da Companhia, 40% são oriundos da agricultura familiar. A produção total foi estimada em 2,62 milhões de toneladas de produtos agrícolas, principalmente frutas. A geração de empregos chegou a 76.692 empregos diretos e 115.038 empregos indiretos.

A companhia continua investindo na revitalização e melhoramento das atuais estruturas física s dos perímetros. Segundo dados da área de irrigação, os investimentos totalizam até agora R$ 500 milhões empenhados em ações de modernização, sendo que mais de R$ 250 milhões já foram utilizados.

Nenhum comentário: