24.10.12

Quando o silêncio incomoda a turma que se fez derrotar


Terminou a eleição em Paulo Afonso e a oposição ate o momento busca uma justificativa para saber o que aconteceu nas urnas. Pois nunca na história dessa cidade essa turma perdido por com uma vantagem tão expressiva. Faz tempo que a cidade estava dividida literalmente no voto. Nenhuma das duas posições tinha conseguido colocar 4.000 votos de diferença na frente do outro.
E que lição esse povo vai tirar do 07 de outubro passado? Se é que estão dispostos a tanto!
Na câmara de vereadores, quando a maioria era favorável, não tiveram a coragem de enfrentar de frente o prefeito Anilton Bastos, nem mesmo o ex-presidente da casa que segundo as denuncias cometeu grandes atos de improbidade. Acovardaram-se diante do pedido de criação de uma CPI – Comissão Processante de Investigação. E quando todos já sabiam que na saúde a coisa ia de mal a pior na administração Aureliano, os vereadores deram um crédito ao prefeito e o deixaram fazer uma movimentação financeira, quando tudo indicava que não o fizessem. Eles diziam que o povo poderia ficar contra eles. Erram feio! O povo ficou contra foi por nunca terem a coragem de enfrentar de frente os desmandos que eles mesmos anunciavam existir no governo de Anilton. Ou o resultado das urnas não é a rejeição da política praticada com medo?
Nunca entendi que um sujeito seja eleito para ser oposição e se acovarde. Isto não me peça.
Ainda caíram no engodo praticado acertadamente pela rádio de esgoto que faz o papel que o dono da voz quer. Algumas das lideranças da oposição eram convidadas a usar a latrina quando isto significasse agredir, acusar, xingar, enxovalhar o nome de alguém que estava no mesmo lado político. E o que isto causou? Distanciamento e uma quase improvável reconciliação. Quando aconteceu, o povo já não acreditava mais nisso!
E ainda tem aqueles que jogaram o jogo do “quanto pior melhor”. Estes fizeram de tudo para que a oposição, lado do qual dizem pertencer em Paulo Afonso, perdesse. Imaginam estas pessoas que daqui a 4 anos podem ter o candidato viável. Agora eu quero é saber se já combinaram com a população e todos aqueles que trabalham para sempre perder? Estes parecem ate que estão do lado de cá para ajudar o lado de lá.
Recolham as sobras daquilo que ainda restou e como dizia uma faixa em 1980 na Praça dos Trabalhadores, “A Luta Continua” companheiros.

Um comentário:

Cecilio ALMEIDA MATOS disse...

EXCELENTE TEXTO.CONCISO, PRECISO E REFLEXIVO. POR ONDE ANDAVA A OPOSIÇÃO EM PAULO AFONSO? QUE CAMINHOS TOMARA EM DIREÇÃO A UM NORTE NÃO FICTÍCIO.?