31.8.16

Comemoremos, derrubaram a Dilma.
Batamos palmas para os Canalhas e Golpistas, eles venceram e agora teremos o Brasil de ordem e progresso.
Façamos a festa e que seja dada a posse ao traidor, ele é digno do cargo que usurpou.
Que sejam publicados todos os termos para que os usurpadores saiam mal na fotografia.

30.8.16

Eles vinham da noite e invadiam os nossos dias.
Assombravam as nossas crianças que corriam com medo.
Assustavam até a nós que surpresos, nos escondíamos.
Hoje não há luz, não esperança.
Mas amanhã, há de ser um novo dia.

E quando o meu povo acordar, você há de pagar.
O Governo da Bahia dará início, no mês de setembro, ao Mutirão de Cirurgias, vinculado ao programa Saúde sem Fronteiras. Serão atendidos gratuitamente 13 mil baianos no período de um ano. O objetivo é reduzir a fila de espera para cirurgias de vesícula, câncer de próstata, hérnia, útero, miomas e câncer de mama. A ação, que é inédita no País, começará com os procedimentos pré-operatórios.

O Governo do Estado disponibilizará a equipe médica e toda a estrutura para os procedimentos, além do acompanhamento do paciente após a cirurgia. Os atendimentos médicos serão realizados nos hospitais estaduais e nas unidades complementares de cada região do estado. Isso permitirá que o paciente tenha maior comodidade e não faça grandes deslocamentos. As prefeituras serão responsáveis por garantir o acesso dos pacientes às cidades onde serão realizados os procedimentos. Os pacientes também receberão um kit pós-operatório, com todos os medicamentos para a recuperação. Todos os 417 municípios do estado serão contemplados com o projeto.

25.8.16


Os secretários de Turismo de Canindé de São Francisco, Dimas Roque e Beto Vieira, de Obras, receberam hoje, 25, uma equipe da SETESP – secretaria de Turismo e Esporte do Estado de Sergipe. Durante o encontro, foi apresentado a eles demandas para o fortalecimento do setor, que teve nos últimos anos, investimentos consideráveis, como a criação da Casa do Artesão, ponto de parada de turistas que visitam a cidade, e da nova Orla Canindé, as margens do rio São Francisco, que transformou o local, para os turistas e os para os moradores bairros que ficam ao lado do empreendimento.
Durante a manhã, eles se reuniram com artesões, ouviram solicitações a serem implementadas no setor. A equipe ouviu e irá analisar a viabilidade de cada uma. Dimas e a equipe de técnicos do turismo local, visitaram também, a “Cachoeira da Descida” e a tarde estiveram no Vale dos Mestres. O objetivo foi apresentar a Gabriela Nicola, turismóloga e consultora de turismo da Cobrape/Prodetur Anselmo Araújo, analista ambiental e Francisco Neto, analista de infraestrutura. Potenciais atrativos turísticos a serem explorados com visitas. Dentro do plano, cada local, deverá ser dotado de infraestrutura para o acolhimento de turistas e da comunidade local.
São projetos a serem apresentados aos técnicos do Prodetur – Programa de Desenvolvimento do Turismo. E sendo aceitos, vão passar por duas fases, a primeira de estudos de viabilidade e a segunda de implantação. O que deverá acontecer nos anos de 2017 e 2018.
Ao final da visita, perguntados se há a possibilidade de que sejam viabilizados os projetos turísticos. Os técnicos do estado disseram que o caso do Vale dos Mestres já é para ser tocado o mais rápido possível.

Segundo Dimas Roque, tudo o que aconteceu e está acontecendo no turismo em Canindé, com a abertura de novos espaços e a criação de novos roteiros para o turista, “só é possível, porque o prefeito Heleno determinou que o que puder ser feito no setor, o município apoiará”.

23.8.16

O governador Rui Costa confirmou o início dos procedimentos do Mutirão de Cirurgias no dia 2 de setembro em Ipiaú e Jaguaquara. Rui também reafirmou o compromisso feito por ele no lançamento do projeto, no dia 15 de agosto. “Aquela cidade que conseguir cadastrar mais pessoas [na lista única de pacientes aptos à cirurgia] será sempre a próxima etapa. Em Ilhéus, Ipiaú, Jequié e Jaguaquara, nós vamos monitorar. Aquela região que tiver o maior número de cadastrados, será a próxima região”, garantiu.
As obras de construção, reforma e ampliação de hospitais baianos pelo Governo do Estado também tiveram destaque na entrevista. De acordo com o governador, os equipamentos já estão sendo instalados no HGE 2, que deve ser inaugurado em setembro. Outra unidade que deve ser concluída ainda este ano é o Hospital da Mulher, localizado no Largo de Roma, em Salvador.
Também em 2016, o governador pretende dar início à construção do Hospital Metropolitano, na cidade de Lauro de Freitas. “Isso se complementa com a estratégia da construção das policlínicas regionais, que nós já iniciamos nas regiões de Teixeira de Freitas, Guanambi, Jequié e Irecê. Eu início as obras, ainda este ano, nas regiões de Valença, Santo Antônio de Jesus, Feira de Santana, Alagoinhas e, também, na Região Metropolitana de Salvador, na cidade de Simões Filho”, concluiu.

O programa Digaí, Governador! é produzido pela Secretaria de Comunicação Social (Secom), veiculado pela Rádio Educadora FM 107,5 MHz e reproduzido por diversos veículos de comunicação. Está disponível no site www.secom.ba.gov.br e pelo telefone 0800-071-7328.

22.8.16

A Bahia fechou o primeiro semestre com 35 empreendimentos implantados e quatro ampliados, um investimento de R$ 2,3 bilhões e a geração de 3.022 novas vagas de empregos. Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Jorge Hereda, o fortalecimento da economia baiana é essencial para a manutenção das indústrias instaladas e a atração de novos investimentos. “Reduzir o índice de desemprego é a nossa grande meta. Estamos executando um conjunto de ações articuladas para garantir a atração de mais empresas, que resultam em emprego e renda para os baianos”, afirma.
A Tecsis - Tecnologia e Sistemas Avançados, o Juá Garden Shopping e a Lipari são os responsáveis pelo aumento no número de empregos. A fábrica de produção de pás eólicas, que está com 20% das suas operações iniciadas no Polo Industrial de Camaçari, emprega até o momento 637 funcionários, mas a previsão é fechar o ano com 1.500 vagas ocupadas. Com investimentos da ordem de R$ 220 milhões, a planta tem capacidade para produzir 2,5 mil pás por ano, em 12 linhas de produção. De acordo com a Tecsis, com a capacidade máxima instalada, a fábrica pode empregar até seis mil pessoas. A meta é chegar a até o final de 2018 com três mil colaboradores.
O Juá Garden Shopping inaugurado no mês de março, em Juazeiro, no Vale do São Francisco, foi responsável pela geração de mil empregos e investiu R$ 150 milhões, mas a previsão é gerar cerca de três mil empregos, entre diretos e indiretos, quando estiver em pleno funcionamento. A Lipari Mineração, implantada no município de Nordestina, emprega 260 funcionários e foi responsável pelo investimento de R$ 200 milhões.
O segmento Eletricidade e Gás foi o responsável pela maior parte dos investimentos implantados, um total de R$ 1,8 bilhão com 21 usinas eólicas implantadas no semi-árido baiano e mais 491.900 kW adicionados à rede elétrica. “A Bahia tem hoje um total de 68 usinas em operação e mais de 1,71 GW em potência instalada, ocupando a segunda posição na produção de energia eólica”, destaca Hereda.
As expectativas para o Estado continuam bem positivas, no início do mês, a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) cadastrou 1.260 empreendimentos de geração de energia eólica e solar fotovoltaica para o 2º Leilão de Energia de Reserva 2016, sendo 841 projetos eólicos e 419 fotovoltaicos, somando 35.147 MW de potência instalada. A Bahia foi líder na oferta de projetos, cadastrando 240 projetos eólicos, com um total de 6.380 MW e 101 com a energia do sol que totalizam 3.155 MW de potência instalada.
Novos empreendimentos.
Além dos investimentos implantados, alguns grupos baianos e grandes redes anunciaram novos investimentos e ampliações no Estado. No segmento de Comércio e Serviços, o centro de distribuição (CD) da rede de farmácias Pague Menos, no município de Simões Filho, tem previsão de entrar em operação ainda neste mês de agosto. Os investimentos somam R$ 6 milhões, com geração de mais de 100 empregos diretos.
O complexo vai absorver a demanda das 86 lojas da rede cearense no estado. A previsão é inaugurar outras 14 unidades até o final deste ano. Outro CD que será inaugurado até o final do ano é o da cervejaria Petrópolis em Camaçari, com investimento de R$ 28 milhões e geração de 100 empregos.
As atrações de investimentos não param. No segmento de Automotivo e componentes, a Bridgestone, uma das maiores fabricantes de pneus do mundo, investirá R$ 262 milhões na ampliação da sua planta industrial Bahia, sendo R$ 252 milhões no incremento da produção e R$ 10 milhões na construção de um centro de distribuição. Atualmente a fábrica trabalha em três turnos e espera chegar, com a ampliação, a produzir 8,1 mil pneus/dia.
Já no segmento de Papel e Celulose, a Suzano anunciou ampliação de sua fábrica em Mucuri, no extremo-sul da Bahia, com investimentos de R$ 700 milhões e geração de 1.150 empregos diretos nas obras civis, e 50 novos postos de trabalho que se somarão aos 2,4 mil já existentes naquela unidade fabril. Além da modernização e do aumento da produção de celulose, está prevista a construção de uma unidade de fabricação de bobinas para conversão de papel higiênico, um novo segmento de atuação da empresa. As obras começam ainda este ano e o início das operações está previsto para o final de 2017.

Três meses depois, foi a vez da Veracel - uma das gigantes do setor de celulose, controlada pela brasileira Fibria Celulose e pela sueco-finlandesa Stora Enso -, anunciar o investimento de R$ 700 milhões em sua fábrica de Eunápolis, até o próximo ano. O objetivo é aumentar a sua produção em 30%, passando das atuais 900 milhões de toneladas/ano para 1,135 milhão de toneladas/ano. No processo de modernização, serão gerados 200 novos empregos entre diretos e terceirizados, que vão se somar aos cerca de 3 mil já existentes na unidade industrial, entre diretos e terceirizados.

21.8.16

"Em um discurso histórico, feito durante um show na última quarta-feira (20) no Rio de Janeiro, o rapper Mano Brown, dos Racionais MC’s, afirmou que “fechou um ciclo” em sua vida e em sua carreira depois que viu “a população virar as costas para Dilma” e depois de constatar “o poder que a população tem num país de terceiro mundo”.

“Eu vi a população virar as costas para a Dilma. E eu vi o que é o poder da televisão em um país de terceiro mundo, o que é um país de terceiro mundo se informar. Onde a televisão elege e derruba quem eles querem. Aí eu falei: já que o povo escolheu isso, que assim seja. Daqui para frente, fechou um ciclo na minha carreira e na minha vida. Se o povo decidiu derrubar um governo, que assim seja. Daqui para frente, é cada um cada um. Não siga o Mano Brown que você pode tombar do precipício. Papo reto”, disse.

Em sua fala, Brown associou o fato de boa parte da população apoiar o impeachment da presidenta Dilma à manipulação midiática, em especial a exercida pela rede Globo – esta comparada por ele a uma droga.

“Em São Paulo, a maioria da população é de preto. E tá usando tudo isso de droga: cocaína, maconha, balinha, lança-perfume, novela da Globo, Jornal Nacional, todas as drogas possíveis. Vamos chapar? Vamos chapar de Rede Globo, de Jornal Nacional, vamos chapar de Willian Bonner”, ironizou.

“Enquanto a favela faz silencio, a elite manipula (…) O dia que o povo se omitiu. O dia em que a favela ficou quieta e deixou eles tomarem o que a favela conquistou”, completou o rapper paulista."

19.8.16

A partir desta segunda-feira (15), o Posto SAC Periperi tem endereço novo, onde os cidadãos serão atendidos durante o período de reforma das instalações permanentes. A unidade, responsável pelo atendimento da população do Subúrbio Ferroviário de Salvador irá funcionar provisoriamente, no Empresarial Innovarcenter, na Praça da Revolução. A oferta de serviços e a capacidade de atendimento permanecem as mesmas, bem como o horário de funcionamento, das 7h às 15h30, de segunda a sexta-feira.
O Posto SAC Periperi oferece serviços de 13 órgãos e instituições parceiras, responsáveis por realizar uma média mensal de aproximadamente 22 mil atendimentos. “A população estará igualmente assistida nesta unidade provisória, até que sejam concluídas as obras de manutenção no imóvel onde o Posto funciona há 18 anos, garantindo conforto e segurança ao cidadão”, disse Edelvino Góes Filho, secretário da Administração.

O fechamento da outra unidade ocorreu no dia 29 de julho, depois de avaliação que verificou problemas em sua estrutura física. Desde então, uma das unidades do SAC Móvel foi deslocada para o bairro. Na carreta foram realizados mais de 2,2 mil atendimentos, até esta quarta-feira (10). Para mais informações sobre endereços e horários de atendimento da Rede SAC na capital e interior, a Secretaria da Administração disponibiliza o Portal SAC.

18.8.16

O CONAEDU reunirá alguns dos mais destacados palestrantes, conferencistas e educadores do Brasil, Cesar Nunes, Cipriano Luckesi, Bernard Charlot, Jaqueline Moll, Francisco Cordão, Alexandre Ventura, Marta Relvas, Celso Antunes, Augusto Nunes, Dalmir Santana, Ordália Almeida, Jane Haddad, Eliana Romão, Isabel Parolin, Silvio Wonsovicz, Júlio Furtado, Gabriel Perissé, Renato Casagrande e Simone Machado. Além de todas estas personalidades, eu, Suzana Montauriol, também tive a honra de ser convidado para colaborar neste evento transformador.
Será o maior congresso virtual de educação do país. O tema deste ano é: Educar para a Humanização e para a Cidadania. Trata-se de uma iniciativa que visa contribuir para implementar as atuais metas e dispositivos da legislação brasileira (PNE e Diretrizes Curriculares Nacionais), com a finalidade de construir consensualmente o sistema nacional de educação, baseado em premissas de igualdade, como o direito a estar na escola, que exige esforços de toda a sociedade para universalizar o acesso à escola, e o direito a aprender na escola, que exige do Estado, da sociedade brasileira e de todos os educadores a tarefa de gerar uma qualidade social da permanência das crianças e adolescente no espaço escolar.
É preciso superar a avaliação da escola brasileira baseada em comparações exclusivamente mensurativas técnicas, estatísticas e meritocráticas. A educação, institucional e escolar, é um direito subjetivo e social. Construir uma escola e produzir uma referência pedagógica para as crianças e adolescentes do Brasil é a mais exigente tarefa de formação cultural, ética e política posta para nosso tempo e nossa geração.

Rubem Alves será homenageado em todo o congresso. Acesse agora www.conaedu.com.br, veja os temas das palestras e faça sua INSCRIÇÃO! Eu recomendo o CONAEDU, pelo propósito do congresso, pelo seu conteúdo de excelência e também pelo fato de você receber um certificado de extensão universitária de 32 h/a de formação continuada. Este registro acadêmico será expedido pela UNIFEG uma das maiores referências de Ensino a Distância, reconhecida pelo MEC.

17.8.16

No final dos anos 60 e início dos anos 70 existia no Brasil o chamado Curso de Admissão, que era o passo para se chegar ao Ginasial. Era através de um exame, espécie de vestibular entre o curso primário e o ginasial, que aqueles que quisessem continuar a estudar tinham que passar e seguir seus estudos. Lembro, que mesmo ainda sendo criança, ia a Casa da Criança I em Paulo Afonso na Bahia e via e ouvia a empolgação daqueles que passariam pelo teste. Era como se todos buscassem mostrar que tinham a capacidade de serem aprovados. Era uma festa.
Posteriormente lembro-me das notícias que chagavam de Salvador e principalmente de Recife, que ao receberem os alunos de Paulo Afonso e Delmiro, Alagoas, que iam prestar o vestibular, nos melhores cursos ou nas Escolas Técnicas, eram aprovados com êxito. A ida deles, quase sempre resultava em admissão. Eram dias onde o estudo que era praticado no Colepa – Colégio Paulo Afonso, ligado a CHESF – Companhia Hidrelétrica do São Francisco, no Colégio Sete de Setembro, Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso e posteriormente o Polivalente, do governo do estado, era de glória para todos no estudo.
Naqueles anos, professores eram exaltados por suas competências em ministrar aulas. Alguns deles eram referências para os alunos. Bastava estar em uma série ou curso, onde os mestres davam aulas, para que todos soubessem que aqueles alunos eram especiais e teriam bom conteúdo. Isso também se aplicava até na educação física, onde o handebol, o voleibol e o atletismo deram grandes atletas e times que disputaram campeonatos pelo nordeste e saíram vitoriosos.
Chegamos aos dias atuais. E como entender agora, que muitos dos alunos que terminam o segundo grau, não conseguem dizer cinco frases sem cometer erros nos português. Ou mesmo, que não aprenderam quase nada do que foi dado em sala de aula. Onde está o erro? Se hoje temos melhores escolas. Com alguns erros e falhas pontuais, mas que no geral têm; salas bem conservadas, cadeiras confortáveis, algumas salas com ar-condicionado, lanche, material didático de qualidade, recebem fardamentos, bibliotecas nas escolas, aumentos de salários anualmente e com piso salarial definido pelo governo federal. Ora, com todo o respeito que se deve ter aos nossos educadores, mas está na hora de se cobrar metas e resultados dos profissionais da área. Para isto, deve ter em cada estado da federação uma escola para a reciclagem dos mesmos anualmente e cobrança de resultado com prova a cada final de semestre a serem aplicadas aos alunos. Assim, os municípios teriam como avaliar o trabalha de cada professor individualmente. O que não pode é continuar a educação sendo tocada como mercado persa, onde se vende de tudo, menos uma educação de qualidade para os nossos jovens. Se continuarmos a tocar o ensino público dessa forma, estaremos criando uma geração perdida, e teremos dificuldades, no futuro, de termos bons cientistas, intelectuais e pensadores.

Para terminar, relato um exemplo que é comum nas cidades do Brasil. Professores dão aula na rede pública e na particular. Na primeira, alguns vivem de contratar Substitutos. Pagam a estes muitas vezes um salário mínimo, ou menos que isso, e todos os dias estão dando aulas na segunda. Outros não faltam um só dia nas particulares. São frequentadores assíduos. Mas, nas escolas onde o povo estuda, vivem de atestado médico. Ou mudamos essa cultura, ou estamos deixando um legado onde melhoramos o que há de pior no ensino público, que é a falta de compromisso com nossos jovens.

12.8.16

Com a meta de realizar 13 mil cirurgias eletivas ao longo de um ano, o governador Rui Costa lança, nesta segunda-feira (15), às 9h, em Salvador, na sede do Senai/Cimatec, localizado na Avenida Orlando Gomes, 1.845, em Piatã, o projeto Mutirão de Cirurgias, executado pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesab).

O objetivo da ação é reduzir a fila de espera para a realização de seis procedimentos médicos. As cirurgias serão realizadas nos hospitais estaduais e nas unidades complementares de cada região do estado. Participarão do ato, além do secretário estadual de Saúde (Sesab), Fábio Vilas Boas, prefeitos e secretários municipais de saúde do Estado.
O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) dará início a mais uma obra de recuperação hidroambiental na região do Baixo São Francisco. No dia 16 de agosto será realizado o evento de lançamento o projeto de recuperação na bacia do rio Curituba, no município de Canindé do São Francisco, em Sergipe.
O seminário será realizado pela empresa GOS Florestal, vencedora do processo licitatório lançado pela agência delegatária do Comitê, a AGB Peixe Vivo. Os serviços, cuja finalidade é a oferta de água em maior quantidade e melhor qualidade, têm prazo de vigência de 36 meses.
Os projetos de recuperação hidroambiental têm sido uma prática comum do CBHSF em toda a bacia hidrográfica do Velho Chico. A iniciativa também confirma a determinação do colegiado de investir parte dos recursos arrecadados com a cobrança pelo uso das águas franciscanas na própria bacia.
O seminário inicial do projeto faz parte das atividades previstas no contrato e será realizado na sede da Associação de Desenvolvimento Comunitário de Curituba (ADCC), povoado Curituba, a partir das 10h. Na oportunidade, os técnicos da empresa devem apresentar todos os detalhes das intervenções que serão realizadas.
ASCOM – Assessoria de Comunicação do CBHSF.

10.8.16

Querida Suzana,
Perdoe-me se estou interrompendo eventual entrevista sua para alguma revista de fofocas ou celebridades. Não é minha intenção perturbar seu mundo próprio, sua caverna platônica. 
É que precisamos conversar. Geralmente não me incomodo com falas preconceituosas em relação ao Norte e Nordeste. Cresci ouvindo essas sandices. Rapidamente aprendi que os cães ladram enquanto a caravana passa. Mas você é uma pessoa pública, já foi vítima de preconceitos e contabiliza muitas primaveras na epiderme para tropeçar na língua e tombar no ego. Deveria estar do outro lado da luta, mas não está. Por isso, merece uma carinhosa resposta.
Confesso que fiquei comovido com sua ignorância e nós, nortistas, temos a cultura de querer ajudar o próximo, mesmo que ele se sinta, deslumbradamente, superior a nós. 
A considerar seu ar de superioridade, imagino que você sabe que a palavra corrupção vem do latim corruptus e significa, em bom vernáculo, o ato de quebrar aos pedaços. Tem o sentido de decomposição, de algo que se deteriora. Desculpe, entendo que você sabe disso, é apenas um excesso de cautela...
O que não entendo é qual a exata diferença entre um corrupto e um preconceituoso.
O que pode quebrar mais aos pedaços do que um preconceito? O que se deteriora mais do que um pensamento discriminatório?
Corruptos geralmente se acham mais espertos, presumem que as outras pessoas são imbecis. É exatamente o mesmo pensamento de pessoas preconceituosas.
Corruptos são cínicos. E há algo mais debochado do que um preconceito?
Corruptos são irresponsáveis. E existe algo mais irresponsável do que uma fala discriminatória?
Corruptos são soberbos. E por acaso o pensamento preconceituoso não é uma manifestação de um ego inchado, doente e cego?
Corruptos e preconceituosos causam danos no que há de mais importante em um ser humano: a dignidade.
Portanto, corruptos e preconceituosos se irmanam na infâmia.
Por tudo isso, causa perplexidade um ato contra a corrupção ser embalado por preconceitos.
Aqui no Norte aprendemos desde cedo o que é corrupção. Nossos índios e populações tradicionais foram e são vítimas desse cancro moral. Ela está por trás dos desmatamentos, da grilagem de terras, da espoliação de nossos recursos hídricos, minerais, da biodiversidade e do conhecimento tradicional de nossos nativos. 
Sabe aquelas pessoas frágeis e sofridas que você defende nas novelas? Elas existem de verdade e aos montes aqui por estes rincões por causa da corrupção e do preconceito. Nossas crianças não tem acesso à boa educação, à saúde básica e à segurança porque pessoas inescrupulosas acham que elas não valem nada. 
Sabe o que isso significa? Que a lógica subjacente à corrupção é sustentada em um preconceito: a de que existem seres humanos melhores do que outros e que estes não têm realmente valor.
Essa é a mesma lógica que está nas cicatrizes históricas de nossos irmãos do Nordeste, que você também discriminou. Os coronéis, que você só enfrenta no conforto do Projac, oprimiram pessoas simples durantes seguidas gerações, roubando-lhes a dignidade e o acesso a uma vida melhor, tal como a que você merecidamente tem.
Suzaninha – permita-me a intimidade a esta altura da missiva – essa corrupção que você alardeia combater é, muitas vezes, bancada por pessoas “bacanas” dessas bandas daí, gente que frequenta os mesmos lugares que você frequenta, alimenta essa mesma cultura etnocêntrica imbecil e ostenta os mesmos preconceitos que você não esconde. Então me diz como combater a sombra exterior que também habita o íntimo?
Sabe querida, é impossível lutar contra a corrupção com preconceito, porque são faces da mesma degeneração ética. Qual a autoridade moral que um preconceituoso tem para combater a corrupção? 
Que tal pensar nisso, ainda que no intervalo de alguma novela cheia de heróis de barro?
A ti, querida Suzana, em resposta a teu escancarado preconceito oferto um suculento açaí amazônico, porque quem sabe na escuridão do caldo possas ver refletida a ignominia de teu arcaico preconceito.

Por Márcio Alexandre Proença

8.8.16

Nós não podemos ficar assistindo ao que o ministro do supremo, Gilmar Mendes, vem fazendo com o país e acharmos que tá tudo normal. Não é de hoje que ele emite opiniões sobre processos, antes mesmo de serem julgados. Chegando a declarar posições favoráveis ou contrarias, influenciando a opinião pública. Que quase sempre são sobre uma agremiação política, o Partido dos Trabalhadores.
Indicado por Fernando Henrique Cardoso em 2002, quando ainda era o advogado geral da união, Gilmar teve contestado o seu nome por ninguém menos do que Dalmo Dallari, consagrado jurista brasileiro e, também, professor emérito da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Nomeado e aceito pelo Senado federal, se notabilizou pela defesa dos interesses do PSDB – Partido da Social Democracia Brasileira. Gilmar foi contra a demarcação das terras indígenas, se alinhando ao grande latifúndio brasileiro. Na época ele ficou conhecido como o “inventor”, já que criava soluções jurídicas para os interesses do governo de plantão.
No dia 18 de março de 2016, Gilmar proibiu, a pedido do PSDB e PPS – Partido Popular Socialista, a posse do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva como ministro Chefe da Casa Civil. Modificando decisão já tomada, anteriormente em outro processo pelo próprio. O PT, vê nessa manobra uma partidarização do ministro, que dá opiniões e vota sempre contrário a tudo em que o partido está envolvido. Prejulgando e fazendo o papel de membro oposicionista declarado.
Na semana parada, Gilmar, o tucano de toga, agora investido de presidente do Tribunal Superior eleitoral, pediu a cassação do maior partido de esquerda das américas, o PT. Na alegação, entregue a corregedoria do TSE, ele afirma que houve recebimento de dinheiro da Petrobras. Leia-se Lava Jato. Mas porque só uma agremiação política foi escolhida pelo ministro, deixando de fora o PSDB, PMDB, DEM e PP, que teriam recebido recursos de empresas investigadas na Operação?
Quem vai parar Gilmar Mendes e sua sanha contra um único partido, que mostra claramente a sua seletividade, assim como acontece com a república do Paraná?
Me desculpe Doutor Marco Aurélio, mas parece que só nos restou o senhor para esse enfrentamento. Não é possível que fiques calado diante de tanta parcialidade, perseguição e seletividade praticada pelo ministro Gilmar Mendes. Não esperemos que se alinhe a partido “A” ou “B”. Mas que seja imparcial. Que faça valer o que a constituição e as leis do Brasil defendem. Que não prejulgue, quem quer que seja. Mas que sejas imparcial, como deveria ser todos os ministros, juízes e promotores desse país. Não podemos ter um justiçamento de uns, e o acobertamento de outros. Não defendemos acobertamento de crimes praticados por quem quer que seja. Mas que sejam mostradas as provas dos crimes, e que ninguém possa ser condenada por manchetes de jornais. Se há crime, que o fato determinado seja apresentado. Porque Senhor Ministro, da forma que parte da justiça vem fazendo, ou se omitindo, vão levar o nosso Brasil ao caos social. E isso a maioria da população não quer que aconteça.


Dimas Roque
A matéria publicada na Revista Caros Amigos (no 232/2016) intitulada “Sob o mito da energia limpa” da jornalista Lillian Primi foi a motivação dos comentários que faço a seguir. Falar em energia nos aproxima de temas correlatos como economia, meio ambiente, tecnologia, modelo de sociedade. Logo, difícil, ou quase impossível encontrar consensos nesta discussão.
Todavia alguns pontos são inquestionáveis, e mesmo assim conceitos são deturpados junto a população. É o caso do uso frequente do termo “energia limpa”. Toda fonte energética ao ser convertida em outra forma produz algum tipo de resíduo, emissão, contaminação, poluição, que afeta o meio ambiente e as pessoas. Além de que as obras e instalações realizadas para o processo de geração, dentro do modelo de expansão vigente, e mesmo a transmissão da energia, provocam danos, expulsões, privações, prejuízos, destruições de vidas e de bens muitas vezes permanentes e irreversíveis. Portanto é falso e desaconselhável o uso deste termo. Meros interesses econômicos da mídia corporativa, aliada das empresas tentam confundir quando antepõem energia limpa versus energia suja.
Fato é que as chamadas fontes não renováveis – petróleo, gás natural, carvão e minérios radioativos são as principais responsáveis pelo aquecimento global, pelas emissões que provocam, e consequentemente, com as mudanças climáticas que ocorrem no planeta. Evidentemente, este efeito é agravado de maneira substancial pelo modo de produção e consumo da atual civilização. E aqui é ressaltado o papel nefasto do petróleo e seus derivados como o inimigo número um do aquecimento global.
Por outro lado, as fontes renováveis de energia – sol, vento, água, biomassa são as que menos contribuem para as emissões de gases de efeito estufa, e consequentemente, para as mudanças climáticas. Mas ai tem um porém, e que foi muito bem registrado na referida matéria sobre os problemas socioambientais causados pela geração centralizada da energia eólica, e o que tudo indica também da energia solar fotovoltaica. O atual modelo de implantação e expansão destas tecnologias é tão catastrófico do ponto de vista socioambiental, como o do uso das fontes não renováveis. Neste caso a vantagem comparativa inexiste. É o que ocorre atualmente no Nordeste brasileiro com a devastação do bioma Caatinga, e com as mudanças dos modos de vida infligidas às populações que se dedicavam a pesca, coleta de mariscos, e a agricultura familiar.
Há uma discussão sobre a questão das mega hidroelétricas com a construção das barragens. Alguns gestores públicos, membros da academia, técnicos e grupos empresariais, ainda insistem na defesa de grandes e destruidores empreendimentos, onde as desvantagens superam em muito as vantagens. Os deslocamentos de milhares de pessoas acarretam danos irreversíveis a estas populações, conforme constatações históricas. Por outro lado, é consenso que as hidroelétricas também emitem uma considerável quantidade de GEE, principalmente o metano resultante da degradação microbiológica da matéria orgânica existente nos reservatórios. Todavia, os defensores desta tecnologia, após terem que aceitar esta contastação científica, ainda tentam desqualificar aqueles que são contrários a construção de mega hidroelétricas na região Amazônica, insistindo erroneamente em afirmar que são imprescindíveis.
Neste contexto não se pode esquecer que vivemos em um sistema capitalista, onde o lucro é o objetivo principal. E aí o vale tudo tem imperado. Desde o afrouxamento da legislação ambiental para atender aos interesses econômicos imediatos, a falta de fiscalização sobre tais empreendimentos, e os contratos draconiamos de arrendamento da terra. Em nome da maximização do lucro, o meio ambiente e as pessoas acabam sendo prejudicadas, com o Estado se omitindo e muitas vezes incentivando práticas não condizentes com os discursos de proteção ambiental e de sustentabilidade.
Logo, os investimentos em fontes renováveis estão orientados pela lógica capitalista, e são tratados como um negócio como outro qualquer, e muito rentável, onde o lucro e a justiça são incompatíveis. É o que tem atraído fundos de pensão de outros países, empresas multinacionais e nacionais, grandes investidores particulares que encontraram no Brasil um filão para os “negócios do vento e do sol”, aliados a uma legislação que muda conforme seus interesses.
Como bem constatamos na história recente do país, o “capitalismo brasileiro” não convive com a democracia, com a justiça ambiental, com os direitos sociais. E é nesta lógica, em um país onde a informação é controlada e manipulada, que os interessses dos grupos empresariais, que se dedicam aos negócios da energia prosperam e com altas taxas de exploração. Com a inexistência plena da liberdade de imprensa, discussão junto a sociedade sobre energia para que? Energia para quem? E como produzi-la? Acabam restritas a setores acadêmicos e a poucos grupos sociais.
Verifica-se que na questão energética, em particular, na expansão das fontes renováveis de energia solar-eólica, o Estado é o maior gerador de conflitos socioambientais. Contraditóriamente, diante da função que seria de mediar os conflitos de classe, o Estado brasileiro tem lado, e favorece os grupos empresariais.

Nesta discussão, a segurança energética de um pais é assegurada pela diversidade e complementariedade. Ambas não repousam somente no duo eólico-solar, e sim em um mix de tecnologias disponíveis localmente e escolhidas dentro de critérios técnicos e socioambientais para satisfazer as necessidades dos diferentes setores da sociedade.
Parabenizo a jornalista Lillian Primi pela provocação. Lamento que na sua matéria somente alguns interesses foram representados e tiveram voz, em particular, técnicos cujas posições são bem conhecidas em prol das megahidroelétricas.

Heitor Scalambrini Costa - Professor aposentado da Universidade Federal de Pernambuco.

5.8.16

Se é verdade eu não sei. Mas, vale ler e pensar no que está rolando na internet.

Aos caçadores de Pokémon.
Cuidado👇


Olha que bizarro: Galera, uma pesquisa rápida me fez chegar ao seguinte:

1°  O (Pokemon Go) foi fundado por esse cidadão: John Hanke

2°  Ele também fundou a empresa Keyhole, Inc. 

3°  Essa Keyhole é um projeto de mapeamento de superfícies, foi comprada pelo Google e usado pra fazer o Google Maps/Earth e Street view.

4° Essa Keyhole foi patrocinada pela empresa In-Q-tel, que foi fundada pela CIA em 1999 (só entrar no site deles e comprovar).

5° Até aqui já podemos ver que a CIA indiretamente poderia ter acesso a todos os mapas do planeta, né? só que eles ainda não conseguiam entrar dentro das casas, correto?

6° Esses dias foi lançado o joguinho Pokemon Go, que virou febre na galera e geral anda usando, né?

7° Pra jogar você precisa dar permissão pro aplicativo usar a câmera, gps, microfone e até os dispositivos USB que estiverem conectados no seu smartphone.

8° Sempre que você aceita a permissão, o seu cel já acha 3 pokemons pertos de imediato (os 3 primeiros pokemons).

9° Quando você procura por pokemons dentro de casa, você permite o aplicativo ter uma foto da sala, incluindo as coordenadas e o ângulo do seu celular.

10° Você acabou de registrar as fotos de onde você mora por dentro e dar acesso ao aplicativo.

Mas Amigo, não é paranoia sua?

Veja bem, você leu os termos de aceitação pra usar o jogo? acho que ninguém vai ler né? são esses:

- _“Nós cooperamos com agências do governo e companhias privadas. Podemos revelar qualquer informação a seu respeito ou dos seus filhos…”_

No parágrafo 6 vocês podem achar isso também:
- _“Nosso programa não permite a opção “Do not track” (“Não me espie”) do seu navegador”_.

De nada, gente.

Fontes:
http://bit.ly/2aek3JD
http://bit.ly/29A7iFu
https://twitter.com/zergulio

2.8.16

Eu tinha um Pai.
Eu tinha uma mãe.
Eu não tinha tempo para eles.
Eu tinha tempo só para mim.
Eu tinha mais o que fazer.
Eu Não tinha que deixar eles sozinhos.
Eu tinha que ter beijado meu pai quando podia.
Eu tinha que ter beijado a minha mãe quando ela queria.
Eu tinha que ter respeitado os meus país. E hoje que não os tenho mais. Fico a me cobrar pelo carinho que não dei.
O beijo que não recebi.
O momento que podia ter dado a eles.
O carinho do abraço que já não posso ter mais.
Eu tinha que ter sido um filho melhor para os meus país.

Dimas Roque.
Postagens mais recentes Postagens mais antigas Página inicial