20.9.14

PNAD e os trabalhadores com carteiras assinadas.

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD), divulgada ontem (19), pelo IBGE, mostra que a proporção de trabalhadores formais – entre empregados com carteira assinada, pela CLT, e pequenos empresários com CNPJ – cresceu e alcançou o maior patamar da série histórica.
O percentual de trabalhadores formais passou de 58,6%, em 2012, para 60,3%, em 2013. O aumento equivale ao acréscimo de 1,3 milhão de trabalhadores que passaram a ter acesso à formalização em 2013. Em 2013, mais da metade dos trabalhadores apresentavam pelo menos 11 anos de estudos. Ainda no ano passado, a população ocupada no País chegou a 95,9 milhões de pessoas – um crescimento de 0,6% em relação ao ano anterior.
Segundo a pesquisa, este crescimento foi alavancado pela força de trabalho feminina, que apresentou expansão de 1,3% na ocupação. As Regiões Nordeste e Sul registraram os maiores percentuais de aumento da população ocupada: 1,2% e 0,9%, respectivamente.
Os bons resultados de empregabilidade foram acompanhados pelo aumento real do rendimento mensal domiciliar, que passou de R$ 2.867 para R$ 2.983), de todos os trabalhos (de R$ 1.590 para R$ 1.681) e de todas as fontes (de R$ 1.516 para R$ 1.594).

Nenhum comentário: